Permanência de vice de futebol divide diretoria do São Paulo

Leia o post original por Perrone

Com sua cabeça pedida pelas torcidas organizadas do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro também sofre rejeição por parte de seus colegas de diretoria. Após a goleada de 6 a 1 sofrida para o Corinthians, eles aumentaram a pressão para que o vice de futebol seja demitido por Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente tricolor.

Os principais argumentos são que o vice não conseguiu em sua gestão levar o time a resultados expressivos, é o responsável pela montagem do elenco atual, humilhado pelo Corinthians e que já foi chamado por ele de um dos melhores do país, seria teimoso demais para ocupar o cargo, fez parte da administração de Carlos Miguel Aidar e estaria atrapalhando a nova gestão.

O blog não conseguiu falar com Ataíde sobre a pressão por sua saída, mas Leco bancou a permanência do vice durante entrevista coletiva na última segunda. Na ocasião, afirmou considerar injustas as críticas ao cartola e lembrou que ele foi o principal responsável pela renúncia de Aidar ao gravar uma conversa na qual o então presidente teria oferecido dividir dinheiro de comissão na compra de um jogador.

Leco não é o único da diretoria que defende a manutenção de Ataíde. Outros diretores consideram que o vice está sendo injustiçado e apoiam a decisão do presidente, dividindo a direção em relação ao tema.

Apesar da resistência, os dirigentes defensores do afastamento do vice, não diminuíram a pressão e prometem fazer mais força ainda pela mudança depois do final do Brasileirão, se o cartola continuar até lá, como parece que continuará.