Arquivo da categoria: 2016

Grêmio não comprou títulos. Os fez

Leia o post original por Rica Perrone

Talvez pro torcedor a fórmula simples seja um trabalho legal de revelar jogador, somado a um dinheiro em caixa, um treinador bom e pronto. Campeão!

Não, não é assim. Primeiro porque se fosse isso todos seriam campeões e não dá. Segundo porque 99% dos clubes são capazes de aplicar essa fórmula. E nem 1% deles tem sucesso. Então, talvez, não deva ser tão simples quanto imaginamos da sala da nossa casa em frente a tv.

O que o Grêmio fez de diferente?

Desde 2009 padronizou na base a forma de criar seus talentos. Só que somado aos jogadores que ele mesmo criou, iniciou um belo trabalho de buscar jogadores ainda da base de times menores e traze-los para terminar a base no clube e subir com a mentalidade profissional que o clube quer.

Em 2015 Felipão subiu alguns garotos e efetivou outros. Mas não se acertou e acabou saindo. Então veio Roger e o Grêmio campeão de tudo sem comprar ninguém começou a surgir.

O time ganhou um toque de bola absurdamente superior a maioria. Não entregava a bola de graça, era calmo e muito bem organizado. Mas lhe faltava algo mais. E foi com Renato Gaucho que os resultados do bom trabalho do clube vieram a público.

Saiba: Muito clube faz tudo direito e ninguém sabe porque não é campeão. E mais clubes ainda fazem tudo errado e parecem geniais porque a bola entrou.

O Grêmio do Renato ganhou a Copa do Brasil sendo o time do Roger só que com vontade de fazer gols.

Em 2017 o Cortez ganhou a vaga do Marcelo, o Wallace foi vendido e o Douglas se machucou. Renato fez algumas mudanças simples e uma que resolveu o maior dos problemas.

Como seria sem Douglas? O Grêmio viu entre os titulares a solução e Luan deu 5 passos para trás e não apenas resolveu como melhorou o setor.  Barrios chegava com a 9, e a dupla de zaga cada vez mais difícil de furar. Maicon começa a ter problemas de contusão, e surge Arthur.

Pedro Rocha deslancha. O Grêmio é compato e funciona de todas as formas. Do contra-ataque a posse de bola, o time está redondo e continua dando a falsa impressão que se perder uma peça desmonta. Mas não desmonta.

O Grêmio termina 2017 campeão da Libertadores com a perda do fundamental Pedro Rocha. E o gol da final, inclusive, é do seu substituto.

Vem 2018, perde-se Barrios, Fernandinho e Edilson. Entram Madson (Leo Moura), Everton e Cicero (Jael). Segue o baile, Grêmio campeão gaúcho apos quase uma década.

O que esses quadros querem dizer?

  • Não há contratação de peso.
  • As peças foram mudando e em raríssimos momentos o time mudou a forma de jogar
  • Um time que em 1 ano não contrata “ninguém”, perde 8 jogadores titulares e se mantem ganhando e crescendo deve estar fazendo algo que os outros não estão.
  • A base Grohe, Geromel, Luan foi mantida. São os 3 pilares do time. O Arthur embora fundamental, já foi substituido e viu o Grêmio jogar antes dele. Sua saída será como a do Wallace.  Maicon e Jailson continuarão fazendo funcionar.
  • 3 treinadores tiveram papel importante no processo. Os 3 são ídolos do clube. Talvez não seja coincidencia.
  • André acaba de chegar para tirar Cícero do seu papel improvisado. O time de 2018 tem 6 jogadores do título de 2016 e ainda assim mantém padrão.

O trabalho do Grêmio é muito bom, pouco valorizado pela mídia que segue idolatrando compradores eufóricos que vivem entre a euforia da chegada e a crise da explicação do resultado abaixo do investimento.

Futebol na América do Sul não se faz comprando. Quantos Grêmios serão necessários para que os 12 entendam isso?

Enquanto os outros não entendem, o Grêmio deita, rola e, como no estadual, até “finge de morto”.

abs,
RicaPerrone

Incontestável

Leia o post original por Rica Perrone

Num futebol nivelado e que hoje divide suas atenções entre 2 ou 3 craques no máximo em todo planeta, Cristiano Ronaldo e Messi disputam ano após ano o título de melhor do mundo.  Chega a ser monótono. Mas é realidade fácil de perceber que não há uma “falta de craques” no Brasil mas sim no …

Impressionante, Kashima pressiona o Real Madrid, mas a camisa pesa e o título fica com os europeus

Leia o post original por Milton Neves

f_373161

Hoje vimos o que só o mata-mata pode proporcionar, a emoção no futebol.

O contagiante Kashima, que surpreendeu o mundo ao bater ao Atlético Nacional, deu muito trabalho ao Real Madrid.

Durante o tempo regulamentar, quando o jogo acabou em 2 x 2, os japoneses deram um show.

Mas aí brilhou a estrela de Cristiano Ronaldo, o melhor jogador do mundo da última temporada.

Com três gols marcados, o camisa 7 do Real decidiu a parada.

Na prorrogação, o estoque de milagres do Kashima acabou e o Real venceu por 4 x 2.

Que final, hein?

Cz9fAeHXgAAWy4i

O Real Madrid corintianizou no Japão com apito amigo protegendo Sergio Ramos.

É nisso que sempre dá quando escalam árbitro de país folclórico da bola!

Viva o mata-mata, viva a zebra no futebol, viva o Kashima, viva o Atlético Nacional (campeão mundial da paz).

3° lugar

Mais cedo tivemos a disputa do 3° lugar e o Atlético Nacional venceu o América do México nos pênaltis, depois de um intenso 2 x 2.

Minha seleção do Brasileirão

Leia o post original por Rica Perrone

Essa acima é a seleção da Globo. A minha muda um pouco, mas nenhum dos escolhidos acima eu chego a “discordar”.  Apenas trocaria por um critério ou outro uns nomes. Sempre importante lembrar os mais neuróticos que quando você opta por João e não por Pedro, não quer dizer que Pedro jogou mal. Apenas que …

A locomotiva Flamengo

Leia o post original por Rica Perrone

É com enorme atraso, mas ainda maior satisfação que o Flamengo entrega uma estrutura de treinamento digna de sua grandeza.  O Ninho do Urubu pode parecer um passo básico, até é, mas de importância nacional. O Flamengo tem que ser, pelo número de torcedores, poder de nacionalizar marcas e audiência, a locomotiva dos valores no …

W.O. duplo, “apito corintiano” e rebaixamento histórico. Final do Brasileirão teve de tudo, menos a nossa querida Chape!

Leia o post original por Milton Neves

A ferida ainda está aberta e vai demorar fechar, prova disto foram as emocionantes homenagens prestadas ao grandioso time da Chapecoense.

E no embalo coletivo do #FORÇACHAPE, a última rodada do Campeonato Brasileiro chegou ao seu final.

No Mineirão, ele tinha que dar as caras, né?

Mas não adiantou nada o “Apito Amigo” alvinegro entrar em campo, porque o gol mal anulado e o pênalti escandaloso não fizeram falta para o Cruzeiro.

Que apesar de ter passado um certo sufoco, virou a partida para 3 a 2 com o inspirado Robinho.

“Jogou demais da conta o moço, sô”!

Assim, o sonho do Timão de classificação para a Libertadores foi adiado.

E o torcedor vai ter que se contentar com a Sul-Americana e uma reformulação imediata do elenco.

Não é mesmo, corintiano?

Porém, isso não pode ser comparado com a esperança colorada que afundou em um mar de lágrimas.

Prevaleceu a lógica!

Fluminense não perderia para o desesperado Internacional, Sport Recife venceria o já rebaixado Figueirense e o Vitória contaria com a sorte, pois contra o poderoso Palmeiras, seria derrota na certa.

Já o São Paulo, foi resolver jogar bola justo nas últimas rodadas do campeonato?

Com atacante argentino “brucutu” Chavez em um dia anormal, o Tricolor goleou o meu Santinha por 5 a 0.

Ponte Preta não deu chances para o Coritiba e William Pottker foi mais uma vez o destaque, Macaca 2 a 0.

Estaria ele merecendo uma convocação?

A bem da verdade, quem vai ter que fazer uma convocação, vão ser os dirigentes do Botafogo.

Pois o time da Estrela Solitária bateu o Grêmio por 1 a 0 fora de casa e se classificou para a Libertadores.

Alô, torcida do Fogão, vamos lotar o estádio em 2017!

E por sua vez, o duelo pelo vice ficou mesmo com o Time da Vila.

O Santos venceu o América-MG por 1 a 0 e o Flamengo, que tanto vendeu perfume, vai ter guardar no estoque o precioso “cheirinho”.

Porque contra o Furacão, o duelo não saiu do zero.

OPINE!!!

Diário de viagem – O Penta

Leia o post original por Rica Perrone

Fui! Depois da trágica experiência de ser meio ignorado por uma agência, recebi um telefonema meia noite de terça-feira dizendo que o Hotel Urbano queria me dar a viagem ao Sul para ver a decisão. Dormi pouco, mal, acordando a cada 2 horas. Eu queria que chegasse logo. Nunca fui a Arena nova, e por …

Fernando Carvalho se justifica no “Domingo Esportivo”! Ouça e opine!

Leia o post original por Milton Neves

fernando carvalho

Em uma semana tão triste e dolorosa, o dirigente Fernando Carvalho, do Internacional, acabou bombardeado pela opinião pública por conta da seguinte declaração:

“Adiar a rodada final do Campeonato Brasileiro por conta do acidente com o elenco da Chapecoense prejudicaria o Internacional, que está vivendo sua tragédia particular”.

Pois no “Domingo Esportivo” de hoje, o cartola teve a oportunidade de se explicar.

Disse que errou ao usar a palavra “tragédia”, mas que a edição de sua entrevista foi tendenciosa.

Carvalho afirmou também que o Inter não tentará virar a mesa: “Temos de tratar de cair com dignidade”.

Ouça abaixo a entrevista na íntegra e deixe a sua opinião: