Teixeira Heizer

Leia o post original por Mauricio Noriega

O Jogo Bruto das Copas do Mundo é livro obrigatório em qualquer biblioteca que se preze sobre futebol e jornalismo esportivo.

Conheci o livro muito antes do autor. Quando conheci o autor compreendi a importância do livro.

Teixeira Heizer foi um mestre. Um jornalista que quando cunhava uma frase mostrava mais vocabulário que toda uma geração de coleguinhas. Um artista das palavras bem escolhidas, colocadas de forma precisa, um guardião do vernáculo.

Cada resenha com o Teixeira era uma aula de vida, de simplicidade embasada em conhecimento de alguém que viu os melhores momentos do futebol brasileiro, acompanhou momentos e personagens decisivos de nossa História e ajudou a construir o padrão brasileiro de transmissão de futebol pela TV.


A amizade do Teixeira foi um tesouro passado de pai para filho. Começou com Luiz Noriega na Copa de 1962, Eu tive a honra de dar sequência a essa amizade em nosso convívio no SporTV.
Teixeira Heizer foi desses jornalistas cada vez mais raros, que colocavam a informação acima da vaidade, e prezava pelo conteúdo comandando a forma.


Mestre Teixeira, boa resenha com meu querido pai aí em cima e obrigado pelos ensinamentos.