Como eliminações atrapalham quitação de empréstimo pela Arena Corinthians

Leia o post original por Perrone

As eliminações nas oitavas de final da Libertadores e nas semifinais do Paulista significam um golpe para o Corinthians em termos de pagamento da conta de sua arena. Tendo como base as arrecadações nas últimas partidas do time nas duas competições, o alvinegro deixará de obter pelo menos cerca de R$ 5,3 milhões, o que seria suficiente para pagar quase uma parcela inteira do financiamento de R$ 400 milhões feito junto ao BNDES via Caixa Econômica para quitar parte da obra.

Cada prestação custa aproximadamente R$ 5,7 milhões. Nas eliminações contra Nacional e Audax as rendas foram de, respectivamente, cerca de R$ 2,8 milhões e R$ 2,5 milhões. A receita com a venda de bilhetes vai para o fundo que administra o estádio pagar o parcelamento. Além disso, há o gasto aproximado de R$ 2,7 mensais com manutenção e operação da arena.

O cálculo feito pelo blog leva em conta a receita que o clube teria na final do Estadual e nas quartas de final da Libertadores. Se chegasse na final do torneio continental, o alvinegro poderia arrecadar ainda mais cerca R$ 5,6 milhões com jogos em casa. Ou seja, não ser finalista das duas competições significa deixar de levantar aproximadamente R$ 10,9 milhões, dinheiro suficiente para pagar quase duas parcelas do empréstimo.

A diretoria e o fundo que administra o estádio admitiram em reunião do Conselho Deliberativo as dificuldades para quitar as prestações. No último dia 15, a parcela de abril não foi paga, e o departamento financeiro do Corinthians alegou ao blog que não fez o pagamento porque espera conseguir uma nova carência de 19 meses no financiamento para igualar o prazo obtido por outros estádios da Copa do Mundo de 2014.