Bauza vai dando cara (boa) ao SP

Leia o post original por Antero Greco

Quando o jogo começou no estádio Couto Pereira, muitas dúvidas passeavam pelo ar frio de Curitiba: o São Paulo de Edgardo Bauza, mesmo desfalcado, jogaria bola? E Alan Kardec? Marcaria um gol após 25 jogos de jejum? O artilheiro Kleber faria a festa da torcida do Coritiba mais uma vez? E Gilson Kleina seria ainda o técnico ao final da partida? Para completar: o jogo com esses ingredientes seria bom?

 Foi bom.

 O empate de 1 x 1 não encheu os olhos da torcida com técnica refinada ou grandes jogadas, mas teve emoção, disputa constante e muitas oportunidades de gol. Kleber e Alan Kardec não balançaram as redes, nem jogaram bem.

 Gilson Kleina, embora seu time tenha saído na frente do placar, vai continuar sofrendo a pressão da torcida e com certeza não vai resistir se o Coritiba perder do Grêmio no fim de semana.

 E Edgardo Bauza? Bem, este está com a bola toda.

 Claro que a torcida são-paulina está de olho nas semifinais da Taça Libertadores, que começam em julho. Acontece que torcedor nenhum quer ver seu time perdendo pontos no começo do Campeonato Brasileiro para depois correr feito doido para fugir do rebaixamento.

 Mas com sabedoria, ele poupa um jogador, descansa outro, recupera outro, dá moral a atletas que estão em má fase e arma a equipe de acordo com o adversário. O São Paulo não se acovardou contra o Coritiba, exigiu muitas defesas do goleiro Wilson e só mostrou mesmo falhas na sua zaga, onde Lucão deu algumas vaciladas comprometedoras.

 Com inteligência, quando sofreu o gol de Alan Santos, mexeu rapidamente na equipe: trocou Auro por Rogério e recuou Wesley para lateral. E foi Rogério quem recebeu na entrada da área, limpou o lance e bateu forte, surpreendendo o goleiro que nada pode fazer dessa vez.

 No fim de semana, vamos ver como Bauza armará o seu time para pegar o Palmeiras. Vale a pena prestar atenção nesse técnico, que sabe muito de futebol.

(Com participação de Roberto Salim.)