Com 9,45 mi de euros em jogo, Sevilla sinaliza ter cansado da novela Ganso

Leia o post original por Perrone

Faz pelo menos quatro dias que o Sevilla apresentou uma nova oferta ao São Paulo no valor de 9.450.000 euros por Paulo Henrique Ganso. Até ontem à noite, os representantes dos espanhóis não tinham recebido uma resposta.

Antes disso, uma proposta de 8 milhões de euros foi recusada, como mostrou o blog em 28 de junho. A demora para o desfecho da negociação desagrada ao Sevilla, que sinalizou ao time brasileiro que sua paciência está no fim. A promessa é de partir para outra contratação caso o impasse não se resolva rapidamente.

A imprensa espanhola informa desde a semana passada que o clube tem interesse no meia Jesús Navas, do Manchester City, equipe para a qual foi vendido pelo Sevilla.

O principal entrave no caso de PH acontece porque o clube do Morumbi, dono de 32% dos direitos econômicos, quer ficar com 5,5 milhões de euros do total oferecido pelos espanhóis, o que obrigaria a DIS, braço esportivo do Grupo Sonda, a aceitar menos do que tem direito por sua fatia de 68%.

Na última terça, o meia se encontrou com Delcir Sonda, dono da empresa, José Barral, presidente do grupo, e Roberto Moreno, advogado e executivo da parceira do São Paulo nos direitos econômicos do atleta. Acompanhado de seu empresário, Giuseppe Dioguardi, o jogador ouviu de Delcir que o empresário considera pequena a quantia que o São Paulo quer deixar para a DIS. Porém, ao mesmo tempo, prometeu ajudar Ganso a realizar o sonho de se transferir para a Europa. Mas, antes da reunião, Moreno havia sinalizado para Dioguardi que a DIS não estava disposta a ceder, mesmo correndo o risco de perder o jogador de graça no ano que vem.

É exatamente essa a pressão que o Sevilla põe no São Paulo e em sua parceira ao mostrar cansaço com a demora. Ganso já avisou ao clube que não pretende renovar contrato se sua transferência para o time espanhol melar. Ele tem compromisso firmado até setembro do ano que vem e seis meses antes pode assinar pré-contrato com outro clube.

Nesse cenário, além de ver o meia sair sem deixar um centavo nos cofres tricolores, a diretoria corre o risco de ter de engolir a ida de Ganso para um grande rival. No mercado, Palmeiras, Corinthians e Flamengo são citados como equipes que tentariam assinar com o meia.

Enquanto São Paulo e DIS estão pressionados, Ganso está ansioso para realizar seu sonho europeu. Porém, ele tem ouvido de seu agente que se o negócio não der certo deverá ter um consolo financeiro. A projeção é de que mesmo se ficar no Brasil Paulo Henrique pode ganhar mais do que no Sevilla. Os espanhóis estão dispostos a pagar aproximadamente 2,2 milhões de euros por ano livres de impostos ao jogador. Mas não dariam luvas, pois teriam que desembolsar uma bolada na compra dos direitos. Quando ficar livre de seu compromisso atual, o meia pode pode conseguir luvas milionárias já que o comprador não terá que pagar ao São Paulo.