São Paulo tropeça no Morumbi lotado

Leia o post original por Fernando Sampaio

cueva2Domingo 11h da manhã.

Ótimo horário para o público: 54.996 pessoas.

Recorde do Brasileirão 2016.

Em compensação, domingo 18h30 e sábado 21h são horários só para TV.

Apesar do apoio da torcida, o São Paulo não foi bem. Saiu perdendo de dois a zero com sua defesa nada confiável: Denis, Bruno, Lugano e Maicon – a zaga predileta dos mais fanáticos – Carlinhos e Hudson. Complicado. Hoje, justiça seja feita, Denis não falhou e ainda garantiu o empate. Já Maicon falhou nos dois gols de bola aérea.

Normal, Libertadores é mata-mata e mata-mata ilude.

A Chapecoense saiu na frente com mérito. Fez 2×0 e fechou a retranca. Foi fácil administrar a vantagem no primeiro tempo, graças também ao elenco limitado do Tricolor, sem jogador de criatividade, qualidade técnica e força ofensiva.

O segundo tempo mostrou a superação do São Paulo.

A torcida ajudou. Coisa rara. Cornetou depois do 2×0, depois incentivou. O time voltou mais ligado no segundo tempo. Cueva continuou comandando a armação dos ataques. Centurión lutando e, como sempre, confuso. A dupla de gringos foi responsável pelo primeiro gol.  O segundo saiu de um pênalti inexistente. Bola no braço. Ridículo. Além de não ter a intenção de colocar mão na bola, Josimar foi enganado pela imprevisibilidade assim que Maicon tirou a cabeça da bola.

Sorte do São Paulo. Cueva bateu e fez 2×2.

Sufoco. Coloquei 2×0 no Bolão. Errei feio.