Michel Bastos rende primeiras críticas a Cunha em seu retorno ao São Paulo

Leia o post original por Perrone

Após retornar ao São Paulo aplaudido por praticamente todas as correntes políticas do clube, Marco Aurélio Cunha tem recebido suas primeiras críticas de conselheiros de diferentes alas. O motivo é o desempenho de Michel Bastos.

Quem reclama diz que o diretor executivo de futebol não conseguiu recuperar o jogador e que errou quando, ao iniciar seu trabalho, entendeu que não deveria dispensar Bastos.

Antes da chegada de Cunha, Michel era avaliado por parte da diretoria como sem comprometimento com a equipe. Além disso era e ainda é um dos mais criticados pela torcida. Sua permanência no elenco chegou a ser colocada em dúvida também por haver o entendimento de que o lateral e meia não queria ficar.

Uma das primeiras medidas de Cunha foi conversar com Michel e definir que ele ficaria. Na ocasião, o dirigente avaliou que o jogador estava “dentro” do clube mas que precisava de proteção.

“Eu não recupero jogadores. Recupero pessoas e grupos. Dou oportunidade e sei a hora de não aumentar a pressão interna. A partir disso cada um assume a sua responsabilidade. Os melhores serão escalados segundo o treinador”, disse Cunha ao blog respondendo a respeito das críticas.

Ao falar sobre saber a hora de não aumentar a pressão interna, o dirigente se refere ao fato de entender que a dispensa de Bastos ou de outros jogadores que sofriam forte cobrança no momento de sua chegada pressionaria mais o elenco.

Ele acredita que não pegaria bem junto ao time se chegasse dispensando jogador sem dar oportunidade e também diz que não se incomoda com a primeiras críticas que recebe.

Apesar dessas reclamações, avaliação geral do trabalho de Cunha entre os conselheiros é positiva e ele segue com prestígio como quando chegou.