Faltou juízo a Vitor Hugo, mas Keno salvou!

Leia o post original por Celso Cardoso

Vitor Hugo já havia falado ano passado que responderia às provocações em Libertadores “na canela, no tornozelo”. Hoje, nem precisou ser provocado. Duas entradas duras, desnecessárias, dois amarelos e consequente expulsão com apenas 22 minutos de jogo. Atitude irresponsável que quase colocou tudo a perder, ainda mais depois de Zampedri marcar o gol do Tucuman dois minutos após o vermelho recebido pelo zagueiro. Para sorte dele, Keno encontrou o caminho do gol numa bola alçada na área no final do primeiro tempo.

O empate tirou o peso das costas palmeirenses, deu mais confiança, embora o time paulista optou por não correr mais riscos. Na segunda etapa, fechado atrás, o Palmeiras chamou os argentinos para o próprio campo afim de explorar os contra-ataques. A estratégia montada por Eduardo Baptista deu certo, pena que Borja não estava numa noite inspirada, mandando pra fora a melhor oportunidade da partida. No fim o 1 a 1 ficou de bom tamanho, apesar de esperar-se mais do time palmeirense.