Opiniões

Leia o post original por Odir Cunha

Um amigo já me disse que basta você dar uma opinião para fazer inimizades. Sim, imagine assistir a um jogo do Santos ao lado de outros torcedores e de repente elogiar um jogador. Veja bem que eu disse elogiar, não criticar. Pois alguém ao lado pode detestar o dito cujo e reagir de maneira agressiva, iniciando uma discussão.

Meu problema, se é que se trata de um problema, é ser crítico e sincero. Sou assim com meus amigos, irmãos, filhos e parentes. Sei que a sinceridade dói e não ajuda em nada no estreitamento de amizades e estou tentando me tornar um senhor mais comedido. Mesmo originalmente passional, hoje acredito que é possível discutir ideias, não pessoas, e por isso, entre outras coisas, este blog tem regras e não tolera palavrões ou expressões chulas.

Como toda ação provoca uma reação, cortando o mal pela raiz conseguiremos discutir o Santos de maneira mais civilizada. Isso serve para todos e, evidentemente, também para mim. Talvez muito mais para mim, que hoje sou dirigente do Santos e preciso tomar cuidado dobrado com minhas palavras.

Sei muito bem que virei vidraça, assim como meus companheiros de gestão, e aceito isso como o preço que se paga por ter a honra de ser escolhido para gerir um clube tão poderoso como o nosso querido Alvinegro Praiano. É evidente que nem todas as críticas que recebemos são justas e espontâneas, mas a situação já era esperada por nós.

Hoje a mídia social supervaloriza acertos e erros e o futebol está longe de ser uma ciência exata. Por mais que se planeje e se trabalhe, um fato inesperado, de última hora, pode mudar uma situação amplamente favorável. Paciência. Quando isso acontece, é preciso levantar a cabeça e continuar lutando. Afinal, os valores de nosso clube são Técnica, Disciplina, Garra e Ousadia. Não temos qualquer dúvida de que, ao final desses três anos de gestão, entregaremos o Santos muito mais estabilizado, transparente e próspero do que o encontramos.

Já estamos correndo para realizar os compromissos de campanha, em várias áreas. Sabemos que o futebol é a menina dos olhos de todos nós e, principalmente, do torcedor e do sócio, mas um clube também depende de vários outros departamentos para crescer com harmonia e solidez.

A ampliação do Memorial das Conquistas, projeto que toco ao lado de Alex Fernandes e a equipe do Memorial, e a restauração da Chácara Nicolau Moran, que encabeçarei com o vice-presidente Orlando Rollo e outros companheiros, já saíram da inércia. Novos capítulos virão. O selo editorial Memorial das Conquistas também está a caminho.

A 1ª Semana Santos está aberta às inscrições de empreendedores, artistas e comerciantes que queiram comemorar o 106º aniversário do Santos na semana de 9 a 15 de abril. Em meados de março divulgaremos o calendário oficial da Semana. Enfim, mesmo com a grana curta, estamos usando a criatividade e o velho e bom trabalho para fazer as coisas andarem.

O que você pode fazer para ajudar o Santos

Suas opiniões e sugestões são muito importantes e nos ajudam a corrigir a rota rumo ao futuro, mas há maneiras mais efetivas de caminhar ao lado do Santos na busca desse objetivo. As duas mais palpáveis são associar-se ao clube, ir aos jogos e adquirir produtos oficiais do Santos. Se tiver de escolher apenas uma das três, torne-se sócio.

Garanto que nesta gestão o sócio do Santos deixará de se sentir apenas um contribuinte que não recebe nada, ou quase nada, em troca. Você terá recompensas e benefícios que compensarão o seu investimento no clube e o seu apoio tornará, a médio prazo, o nosso Alvinegro muito mais forte.

Imagine 100 mil pessoas pagando, em média, 30 reais por mês. Isso dará 36 milhões brutos por ano, ou cerca de 26 milhões líquidos, um valor superior a duas verbas de patrocínio máster.

É a associação em massa que tem dado fôlego a Grêmio e Internacional e também pode proporcionar ao Santos, que tem mais torcedores do que esses times do Sul, a independência e poder que precisa para implantar seus projetos e desenvolver toda a sua ousadia também fora do campo.

Como sócio, você terá a oportunidade de votar para presidente do Santos sem precisar se deslocar para Santos ou São Paulo, pois lutaremos para implantar o voto à distância, além de participar ativamente da vida do clube, respondendo a enquetes dirigidas diretamente a você. Ou seja, finalmente suas opiniões serão ouvidas e, na medida do possível atendidas.

Como jornalista formado no Jornal da Tarde, um veículo que cultuava a crítica e a rebeldia, estou preparado para o julgamento dos santistas. Sei o quanto essa fiscalização é importante e quanto ela nos ajuda. Só peço, principalmente aos que tiveram tanta paciência com os 36 meses ruinosos da última gestão, que sejam um pouquinho mais tolerantes com uma administração que neste dia 2 de fevereiro completa apenas um mês de trabalho oficial. Fortes abraços!

E você, já se associou ao Santos?