RESULTADISMO

Leia o post original por Flavio Prado

(Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

O São Paulo ganhou e foi merecido. Teve mais chances, criou mais oportunidades e mereceu marcar seu gol, que veio aos 12 minutos do segundo tempo. O Santos só se defendeu até que veio o gol de Diego Souza. Aí saiu para o jogo e passou a criar chances. Então eu pergunto: por quê o Santos só saiu para o ataque depois que passou a perder? Por quê o São Paulo parou de atacar após marcar um a zero?

A resposta é simples, os times brasileiros não se preocupam com o espetáculo. O que interessa é o resultado, a manutenção dos empregos, a satisfação aos torcedores, de preferência uniformizados e conselheiros. Pronto, só isso. Se o jogo é feio ou bonito, se agrada ou não quem está vendo, pouco importa.

O resultadismo tomou conta do futebol brasileiro. A culpa não é só dos treinadores, claro, mas do jeito que está não é possível. Os jogos são só para segurar os cargos. Os dirigentes “amadores” não garantem nada, não se preocupam com coisa nenhuma a não ser se perpetuarem no poder. E fica nisso. Futebol, que gostamos, não se vê. E o nosso jogo vai perdendo cada vez mais espaço para tudo, não apenas para a Europa, mas para cinemas, shoppings, netflix, etc. Deixou de ser a prioridade para o torcedor brasileiro.