Escola para todos

Leia o post original por Flavio Prado

Foto: CBF

O curso da CBF está sendo motivo de polêmica pela ausência de Renato Gaúcho. Ele quer suas férias e tem razão, mas os outros estão lá e isso exigirá uma posição da entidade. Se punir Renato, campeão da Libertadores, com proibição de trabalho fará papel ridículo. Caso não o puna estará desmoralizada e, automaticamente, liberando todo mundo no futuro.

Não conheço o curso da CBF. Os treinadores costumam elogiar, até porque pela cultura histórica, nunca houve preocupação com estudos no nosso futebol. Pelo contrário, há até um certo preconceito contra os estudiosos. Gostam do ver e fazer e da prática sem preparação, um dos grandes motivos do atraso que vivemos há anos.

A UEFA tem esses cursos há décadas. Só alguém que fez lá e aqui pode comparar o nível dos dois. O certo é que o da CBF não serve na Europa. De qualquer forma finalmente saiu-se do zero. Algum proveito sempre virá . O grande problema está no preço. Para quem fizer os cursos B, A e Pró, o custo chegará a 100 mil reais. Quem pode pagar isso?

O estudo precisa ser massificado no Brasil. Estamos muito atrasados, jogando futebol com táticas superadas e sem criatividade. Só com muita gente trabalhando para mudar, poderemos evoluir. A rica CBF não poderia fazer pelo menos isso pelo futebol brasileiro, bancando os treinadores iniciantes e de equipes menores?

Nunca houve uma diferença tão grande de nível entre Europa e América como agora. Parece outro esporte. A reação não pode ser modesta. Os treinadores brasileiros inexistem nos grandes mercados, cheios de argentinos, colombianos e até chilenos. Reconhecer que se ficou para trás pode ser um bom início.

Mas se limitarmos o ensino a pouco mais abastados, não sairemos do lugar. Passou da hora da CBF liberar seu curso para mais gente. Mesmo que ele seja, eventualmente, bem inferior ao da UEFA, já será o começo de algo que deveria ter sido feito há muito anos. Escola de futebol para todos. Menos empirismo. Só assim o futebol brasileiro poderá renascer.