Opinião: Corinthians e Romero precisam mais um do outro do que imaginavam

Leia o post original por Perrone

A retomada da negociação entre Corinthians e Romero para a renovação antecipada de contrato do jogador indica, na opinião deste blogueiro, que as duas partes entenderam que uma precisa da outra mais do que imaginavam.

Com o vínculo atual terminando em julho, o paraguaio já pode assinar compromisso prévio com outra equipe. Porém, o fato de voltar a conversar com a direção alvinegra sugere que ele ainda não fez isso. Talvez não tenha sido tão fácil como ele e seus agentes imaginavam que seria.

Sem jogar, Romero se desvaloriza. Claro que existirão clubes interessados em contratá-lo sem ter que pagar pelos direitos do jogador. Mas quanto estarão dispostos a pagar de luvas e salários para um atleta encostado há meses? Provavelmente, menos do que ele deseja. E como ser convocado para a seleção do Paraguai sem atuar? É possível que o atacante e seus empresários tenham entendido a situação.

Do outro lado, também parece ter caído a ficha de que encontrar um substituto para o paraguaio não é uma tarefa fácil. O atleticano Luan, visto por muitos em Itaquera como quase um clone de Romero, não veio. Os desejados Boselli e Vágner Love chegaram. No meio, o time foi reforçado com nomes considerados importantes pela diretoria como Ramiro e Sornoza. Mas o alvinegro segue sem alguém que combine eficiência ofensiva e defensiva como o paraguaio. Os resultados obtidos pelo Corinthians mostram isso até aqui. Salta aos olhos a falta que Romero faz à equipe de Carille.

Nesse cenário, uma eventual renovação é positiva para os dois lados. O Corinthians se reforça liberando para treinador um jogador no qual ele confia e sabe muito bem como utilizar. Por sua vez, o atacante volta a poder mostrar seu futebol para a seleção paraguaia e possíveis futuros compradores, além de embolsar um salário melhor.