Boi, boi, boi do Morumbi que não se toca que precisa se trocar logo aí

Leia o post original por Mauro Beting

Parece um torcedor segurando o outro pra não xingar o presidente remunerado (profissional é outra coisa), a diretoria, o conselho, a comissão técnica, o ex-treinador derrubado, o ex-treinador afastado, o atual interino, o futuro técnico, o elenco, o time, o futebolixo, o Talleres, as derrotas nos clássicos. Mas o boi, boi, boi enterrado no Morumbi é ainda pior. Foi um companheiro de equipe lamentando um chute sofrível de um time que só chegou na segunda etapa em arremessos laterais e na primeira etapa só teve a melhor chance em um lance anulado pela mão na bola. Arremedo de time. De dar medo e raiva. Trocando os pés pelas mãos. Trocando de comando como quem troca de camisa. E quem tinha que ser trocado não se toca.