Órgão que fiscaliza direção do SPFC vê demora em entrega de documentos

Leia o post original por Perrone

Membros do Conselho Fiscal (CF) do São Paulo reclamam internamente de falta de estrutura para o funcionamento do órgão e de demora da direção para a entrega de documentos. Os problemas estariam atrapalhando seu trabalho e dificultando a elaboração de outros relatórios como o que apontou a contratação e a liberação de Diego Souza como exemplos de má gestão.

Essa situação foi relatada ao blog por dois dos cinco membros efetivos do órgão. Eles, que pediram para não terem seus nomes divulgados, afirmam aguardar a entrega de uma série de documentos para poder analisar outros casos. Na fila estão contratos assinados com jogadores, prestadores de serviços e concessionários do estádio, entre outros. Por meio de sua assessoria de imprensa, a diretoria afirmou que não se manifestaria sobre o assunto.

O órgão também pediu para a direção uma secretária exclusiva, mas não foi atendido, tendo que utilizar os serviços de duas funcionárias que trabalham para três conselhos do clube. Por outro lado, o CF conseguiu junto à diretoria a reforma de sua sala e a troca de seus móveis.

No entorno de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do São Paulo, o discurso é de que a direção entrega todos os documentos que entende fazerem parte do escopo do trabalho do Conselho Fiscal. E que o prazo de entrega depende da complexidade do pedido e da disponibilidade dos departamentos do clube, pois eles não podem parar suas atividades diárias para providenciar a documentação.

Já no CF há a preocupação de desvincular seu trabalho da pressão política sofrida por Leco. Os integrantes do órgão afirmam não apoiarem o movimento que pede a renúncia do presidente. Sustentam que a intenção é executar suas funções estatutárias e alertar a diretoria para corrigir eventuais erros.