Creme de Avelar. Ituano 0 x 1 Corinthians.

Leia o post original por Mauro Beting

É uma bobagem espantosa distinguir o mundo entre os “raiz” e os “Nutella”. Primeiro porque o creme de avelã é ótimo pro diabo. Segundo porque gostar de Nutella não te faz mais “Nutella” na acepção teletubbie criada. Pode até fazer a dicotomia nesse mundo binário. Mas criem outra expressão. Sei que essa há pegou. Já lacrou (meu diabo). Mas, enfim, boa mandioca procês.

Mas eu quero falar do Avelar.

Mais uma vitória corintiana com atuação eficiente e/ou convincente contra o ajeitado Ituano. Mais dois dos seis pontos conquistados em gols decisivos de Danilo Avelar na primeira fase encerrada do SP-19. Empates que gols dele fizeram vitórias. Sem contar um dos gols da classificação suada contra o Avenida.

Danilo Avelar ainda não é o lateral dos sonhos. Mas longe dos pesadelos que provocou em 2018. Quando ele jogou muito abaixo do que pode. Quando o Corinthians se desfez ao perder Carille e a base campeoníssima em 2017.

Avelar ressurge. Ele e o Corinthians. Com cara de time. Ou melhor. De alguns times com variações táticas interessantes por ter o treinador mais opções agora do que em 2017. Não parece ter mais time que aquele. Pode não ganhar tudo que conquistou há dois anos. Mas tem elenco com mais qualidade e quantidade para suprir o treinador. E superar as limitações, os problemas defensivos, e dar caldo. Como Avelar agora cala cornetas e azara apostas indevidas com o nome dele.