Ex-companheiros de Pelé também encaram problemas com pagamentos no Santos

Leia o post original por Perrone

Os recentes atrasos salariais no Santos afetaram também ídolos do clube que atuaram com Pelé. Pelo menos parte deles afirma que não recebeu em dia quantias referentes a um contrato para representar a agremiação em eventos. Além disso, o modelo de acordo está sendo revisto. A direção  alega que desembolsa R$ 10 mil mensais com cada um dos cinco ex-atletas envolvidos no projeto e estuda uma forma de manter a utilização da imagem deles, mas de uma forma que os ex-jogadores sejam mais aproveitados e que a relação custo-benefício seja melhor para a agremiação. Por essa versão, a despesa anual é de R$ 600 mil.

Rosângela Cleiry Honório de Oliveira, uma das filhas de Coutinho, falecido no mês passado, diz que seu pai também foi atingido pelos atrasos. Porém, ela não pretende reclamar porque avalia que o clube gastou até mais do que o valor da dívida ao bancar o funeral do ex-atacante.

Indagada pelo blog sobre o assunto, Rosângela disse que o Santos atrasou os pagamentos de dezembro, janeiro, fevereiro e estava atrasado em março. Segundo ela, o valor inicial era de R$ 5 mil mensais, foi dobrado e depois voltou para a primeira quantia. “Não tenho do que reclamar. Não vou perguntar nada para o santos sobre esse assunto. Eles gastaram mais com o enterro do que os valores atrasados. E nem é uma questão de dinheiro, e pela maneira como eles nos trataram quando meu pai morreu. Deram atenção, não deixaram faltar nada. Isso me fez entender o amor que meu pai sentia pelo Santos. Até então eu não entendia”, afirmou Rosângela.

Na semana passada, o ex-atacante Edu respondeu que o clube acertou o valor atrasado referente a dezembro e que estava de devendo os valores de janeiro e fevereiro. Outro ex-companheiro lendário de Pelé, Dorval, disse que houve um atraso mas que agora estava tudo certo. Assim como a filha de Coutinho, ambos não fizeram críticas ao Santos.

Rosângela e Edu alegam que o contrato se renova automaticamente e continua valendo (obviamente não para Coutinho). Procurada pelo blog a assessoria de imprensa do alvinegro do litoral respondeu que os pagamentos fazem parte do projeto de auxílio aos ex-jogadores batizado de “Ídolos Eternos”. Porém, afirma que o contrato se encerrou em dezembro, ou seja, não existiriam vencimentos atrasados em 2019. “Estamos procurando a melhor forma para eles e para o clube de renovar”, afirmou a assessoria. O clube não detalha a questão dos atrasos, mas admite que os veteranos sofreram com “problemas de fluxo de caixa” que atingiram o time profissional.