Após Everaldo, Corinthians planeja só buscar atleta sem custo em direitos

Leia o post original por Perrone

Depois de acertar a contratação de Everaldo (ex-Fluminense) a meta da diretoria do Corinthians é encerrar os gastos com a compra de direitos federativos e econômicos de jogadores para esta temporada.

Nas palavras de um dirigente do clube, que pediu para não ser identificado, o Corinthians já investiu o suficiente para ter um time competitivo, mas ainda falta os caras jogarem bola.

Para contar Everaldo, o alvinegro gastou R$ 2,5 milhões por 50% dos direitos relativos ao atacante e que pertenciam ao Velo Clube (SP).

O entendimento entre os departamentos financeiro e de futebol é de que a partir de agora o clube só traga ainda para esta temporada jogadores que não exigirem gastos com direitos. É o caso de Gil, que tenta rescindir seu contrato na China. O alvinegro só gastaria com luvas e salários.

O orçamento corintiano prevê em 2019 gasto de R$ 42.213.000 com direitos federativos. Só com o zagueiro Bruno Méndez (aproximadamente R$ 13 milhões) e Sornoza (cerca de R$ 11,1 milhões), os corintianos desembolsaram por volta de R$ 24,1 milhões. O atacante André Luis e o volante Richard são outros reforços pelos quais o clube teve que gastar para adquirir direitos.

Em reunião do Conselho Deliberativo em 4 de fevereiro, no entanto, Duílio Monteiro Alves, diretor de futebol, afirmou que o time  estava sendo montado dentro de um orçamento inferior a R$ 20 milhões.

“Disse que foi feito tudo com bastante pé no chão. Orçamento na parte de contratações de R$ 19 milhões, mesmo trazendo dez jogadores e informou que tem mais um para chegar, se tudo correr bem”, registra a ata da sessão sobre trecho da fala do dirigente.

Sobre vendas, a expectativa dos cartolas é de que na janela de transferências para a Europa no meio do ano dois jogadores sejam negociados. Porém, o discurso é de que os principais atletas do elenco não devem sair.