Adiós, Hermanos!

Leia o post original por Celso Cardoso

Gabriel Jesus fez a diferença no Mineirão. Abriu o placar e deu a assistência para Firmino ampliar. Deixou o campo ao 35 do segundo tempo muito aplaudido, aplausos para fazer jus a uma das melhores partidas do questionado garoto com a camisa da seleção brasileira. Fez com maestria o papel ofensivo quando com a posse da bola e cumpriu bem a função tática, com boa dose de entrega quando sem ela. E foi o que mais aconteceu na etapa final, uma vez que a Argentina partiu pra cima em busca do empate.

O brilho de Jesus ofuscou Messi que mais uma vez vê a Argentina cair num torneio oficial. Já são 26 anos de jejum e nada de título do camisa 10. Tudo bem que já foi medalha de ouro em Jogos Olímpicos, mas com a seleção principal jamais conheceu o sabor de um título. Uma frustração que o cinco vezes melhor mundo ainda vai ter que lidar.

Domingo, a final no Maracanã terá Brasil em campo. Pode ser o primeiro título de Tite à frente da seleção brasileira. Mais que a taça, tem a garantia de que estará no Catar em 2022.