Chico Lang. Internacional 0 x 0 Corinthians.

Leia o post original por Mauro Beting

Você só está lendo estas linhas sobre Internacional x Corinthians porque Chico Lang, em 19 de janeiro de 1990, pediu para este repórter de política e metido a crítico musical cometer um texto a respeito dos 7 anos sem Garrincha. Sem ninguém saber começava a minha carreira como jornalista esportivo.

Por dever de ofício não consegui ver o clássico de hoje no Beira-Rio. Bem na hora no almoço de Dia dos Pais. Não vi. Não sei como foi. Mas pelo pouco que vi, li e ouvi, não perdi muito.

Mas o que sei é que hoje, lá no fundo, mas bem mesmo lá no fundo, torci pelo time do Chicão. Nada contra o Inter. Ao contrário. Tem jogado futebol consistente. Tenho gostado muito do desempenho.

Mas é que não conheço ninguém que em dezembro de 2018 perdeu um filho. Semana passada, outro. Não quero e não posso imaginar. Ninguém quer.

Então, deste cantinho, eu só pude torcer para que o Dia dos Pais do Chico fosse como foi o do ano passado. E o de todos os outros anos. Antes mesmo deles terem nascido. Porque a gente é pai quando nasce. Tendo ou não filhos. Eles são tão maravilhosos que deveriam nascer junto com a gente.

Como não é assim a vida, e não poderia ter sido assim este ano com o Chico e com ninguém, que a gente consiga curtir nossos filhos nesses momentos de ausência.

O futebol nos ensina a ganhar e perder. E mesmo empatar.

Hoje é dia celebrar todos os pais.

Mais ainda você, Chico.