Mistério sobre parceiros para pagar Daniel Alves gera preocupação no SPFC

Leia o post original por Perrone

Quem são os parceiros que vão ajudar o São Paulo a pagar os salários de Daniel Alves? Quanto cada um vai bancar? Por que eles ainda não deram as caras se o retorno deve ser com publicidade?

Conselheiros e membros do Conselho de Administração do clube buscam respostas para essas perguntas. Parte deles demonstra preocupação com o tema já que o lateral vai receber aproximadamente R$ 1,5 milhão por mês. Isso após um primeiro semestre de aperto financeiro no Morumbi. A diretoria recorreu a vários empréstimos e chegou a atrasar direitos de imagem.

Por enquanto, a direção faz mistério. “Desculpa, não posso falar absolutamente nada sobre isso”, disse ao blog Elias Barquete Albarello, diretor executivo financeiro do São Paulo. Já a assessoria de imprensa do clube não respondeu ao questionamento feito por este blogueiro até a publicação deste post.

Dois membros do Conselho de Administração do clube confirmaram que estão em busca de informações sobre o tema. De acordo com um deles, por enquanto, tudo o que a diretoria diz é que a operação está equacionada com parceiros, sem revelar suas identidades. A expectativa deles é de que a direção esclareça o assunto na próxima reunião do órgão. Na última, Daniel Alves ainda não tinha sido contratado e não foi apresentado projeto para isso. Fonte ligada ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, confirma que no próximo encontro do órgão devem ser dadas explicações.

Daniel Alves estreou com gol na vitória por 1 a 0 sobre o Ceará, mas não houve ação do grupo de parceiros para explorar publicitariamente o momento. Esse é um dos fatos que incomodam pelo menos parte dos membros do Conselho Administrativo. Mas há uma ala mais paciente, que aguarda a próxima reunião sem criticar a falta de esclarecimentos até agora.

Como mostrou o UOL Esporte, o projeto prevê que o São Paulo desembolse valor equivalente a seu teto salarial para pagar Daniel Alves. O restante seria pago pelos parceiros, que explorariam a imagem do lateral.

Colaborou José Eduardo Martins, do UOL, em São Paulo