Desfalques. Internacional 1 x 0 São Paulo.

Leia o post original por Mauro Beting

Odair só tinha três titulares na equipe que foi ao Beira-Rio cada vez mais colorado. O São Paulo tinha ao menos cinco titulares ausentes. Também por isso o clássico foi pobre, com poucas chances na primeira etapa um pouco mais paulista, e também no segundo tempo mais gaúcho.

Mérito para Odair por aquilo que tem feito – também por ter mais tempo de clube. Quando trocou as funções de Nonato e Bruno Silva, prendendo mais este no 4-1-4-1 e liberando mais aquele para pisar na área tricolor, o Inter chegou mais. Foi mais dinâmico e mais ofensivo que o São Paulo que sentiu além da conta os desfalques.

Na segunda etapa, Marcelo de Lima Henrique poderia ter marcado um pênalti de Reinaldo que empurrou Parede pelas costas. O VAR mandou seguir. Aos 27, porém, uma falta que eu não marcaria de Hudson gerou uma cobrança que bateu nas mãos do volante são-paulino. O VAR viu e chamou o árbitro que interpretou como pênalti. Um lance muito discutível. Mas eu também marcaria – pelo vídeo – a infração. Entendi que Hudson virou de lado e deixou as mãos à frente do tronco para ampliar indevidamente a área corporal. Pênalti pra mim – mas num lance originado numa falta que eu não teria marcado para o Inter.

Lances complicados e polêmicos para um bom e experiente árbitro. Imagine para quem não tem a milhagem e competência dele.

Essencial ter paciência com nosso apito. Como com os treinadores como Odair e também Cuca. Ainda mais com desfalques.

A mania brasileira de cobrar demais (o que é diferente de exigir mais) das arquibancadas e tribunas de imprensa ajuda a prejudicar o nosso jogo que não é bom. E pode ficar pior com pressão exagerada. Ou impaciência ignorante e intolerante.