A festa nos Aflitos

Leia o post original por Mauro Beting

O Paysandu pode reclamar de um pênalti não marcado no jogo de ida. Pode ainda mais reclamar do pênalti no final do jogo que levou aos pênaltis que, desta vez, nos Aflitos, fizeram a festa da casa.

E que festa que o torcedor do Timbu se sentindo ainda mais dono da casa. Uma daquelas que se viam até os anos 90. Com gramados invadidos para festejar título. Acessos de alegria. Não de raiva. Nem fúria.

Não tem mais cabimento a festa no gramado. Concordamos. Como também até o torcedor do Náutico que beijou o ótimo Leandro Vuaden concorda que o time foi beneficiado pelo erro feio. Como em 2018 o torcedor alvirrubro pode reclamar de ao menos dois lances capitais contra o Bragantino.

Teve esquema então contra e teve agora a favor – ou contra o Paysandu?

É dever da imprensa sempre questionar. Em alguns casos até investigar.

Mas pode ser apenas o que entendo que tenha acontecido no Recife: uma falha lamentável de um ótimo árbitro. Prejudicando demais o Paysandu. E o futebol como um todo.

Daí achar que tudo se fez para e pelo Náutico é ser leviano como acusar sem provas tudo e todos.

A arbitragem vai mal. VAR muito mal. Com e sem. Mas vai ser ainda pior com tanta pressão, desconfiança e teorias conspiratórias. Vamos deixar os árbitros seguirem errando sozinhos e desamparados. Não vamos piorar o que já está péssimo.