Dualib, 100, volta a órgão de orientação e gera polêmica no Corinthians

Leia o post original por Perrone

Na última sexta (13), o ex-presidente do Corinthians Alberto Dualib completou cem anos. O aniversário foi acompanhado de nova polêmica em volta do ex-drigente no Parque São Jorge. Sem alarde, o ex-cartola voltou a figurar na lista de membros do Cori (Conselho de Orientação) da agremiação. Seu retorno gera protestos de parte dos conselheiros e dirigentes alvinegros. Antigos desafetos do mandatário que tocou a parceria com a MSI sustentam que ele não pode ocupar o cargo por ter se desligado do quadro de sócios.

Acuado por denúncias de irregularidades negadas pro ele, Dualib renunciou à presidência em 2007. Com a renúncia, evitou sofrer impeachment. No ano seguinte, o ex-presidente pediu seu desligamento do quadro associativo. Dessa vez, afastou o risco de ser expulso do clube.

Em 2019, um grupo de conselheiros pediu ao presidente Andrés Sanchez que o ex-dirigente fosse readmitido no quadro de sócios. O atual mandatário, um dos mais atuantes nos protestos que ajudaram a derrubar Dualib, encaminhou o requerimento ao Cori. Conforme apurou o blog, o órgão aprovou o pedido, mas entendeu que só Andrés tem o poder de autorizar o retorno.

Também conforme apuração deste blogueiro, o Cori entende que o órgão tem poder para reintegrar Dualib ao Conselho de Orientação independentemente do que Sanchez decidir sobre sua condição de sócio. Quem defende a reintegração argumenta que o estatuto diz que ter sido presidente do clube ou do Conselho Deliberativo basta para um ex-dirigente ter assento no colegiado.

Só que desafetos de Dualib pensam diferente. Afirmam que o estatuto diz que para ser presidente do clube é preciso ser sócio. Por esse raciocínio sustentam estar implícito que sem ser associado não é possível integrar o Cori. Eles também avaliam que o Conselho Deliberativo teria que referendar uma eventual decisão de Andrés favorável ao retorno do ex-presidente.

Porém, Sanchez sofre pressão de aliados para não permitir a reintegração do ex-cartola. Vários deles estavam na linha de frente do movimento “Fora Dualib”, criado para pedir a saída dele em meio às acusações de irregularidades. Eduardo Ferreira, atual diretor adjunto de futebol e homem de confiança de Andrés era um dos líderes do grupo de manifestantes.

O presidente corintiano participou de um jantar no último sábado com Dualib e conselheiros, entre outros, para comemorar o aniversário de cem anos. Sanchez, que foi diretor de Dualib, já se manifestou favoravelmente ao retorno do ex-cartola ao quadro associativo. Porém, até a publicação deste post ele não havia tomado tal medida. O impasse faz a temperatura política corintiana aumentar. Andrês não fala com o blog, por isso foi impossível ouvi-lo. A assessoria de imprensa do Corinthians afirmou que o clube não se manifestaria sobre o tema.