Saiba como anda interesse de bilionário russo em comprar o Fortaleza

Leia o post original por Perrone

Uma delegação representando o bilionário russo Ivan Savvids, dono do clube grego PAOK, planeja desembarcar no Brasil no final de fevereiro. Na pauta estarão investimentos no país, incluindo a possibilidade de uma oferta para comprar o Fortaleza.

A intenção é conversar com integrantes do governo brasileiro sobre investimentos, especialmente na área do turismo, e se encontrar com o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz.

O tricolor cearense já foi sondado. Apesar de o plano ainda ser embrionário, neste momento, pode ser considerado difícil.

Isso porque, inicialmente, Paz avalia ser mais interessante uma parceria.

 Por sua vez, Savvids entende que para investir numa agremiação é preciso que ele tenha o controle absoluto. Ou seja, o desejo é a aquisição.

“Não posso decidir sobre venda do clube. Isso teria que passar por mudança de estatuto no Conselho Deliberativo. O que seria mais viável e rápido seria patrocínio ou parceria”, disse o presidente do Fortaleza ao ser indagado pelo blog sobre o assunto.

O trâmite para a venda da agremiação, entre outros pontos, dependeria da aprovação do conselho, além da reforma estatutária.

O brasileiro Leonardo Cornacini, agente de jogadores e representante do PAOK, explica o interesse do bilionário e de seus filhos no Fortaleza.

“Eles encomendaram um estudo que apontou o Fortaleza como o time com mais potencial para se tornar autosustentável no Brasil”, afirmou Cornacini. Ele está escalado para vir ao Brasil com os russos e participar das conversas.

“A ideia é investir em outras áreas no país. O ideal é que isso avance para avançar o projeto de ter um clube. Ele [Savvidis] é apaixonado por futebol e entende que ter um time seria bom para os outros negócios. Mas não é só isso, A ideia é ter um clube satélite mesmo”, explicou Cornacini. 

Se não der certo com o Fortaleza, outra equipe pode ser procurada. Segundo o representante do PAOK, o time brasileiro receberia jogadores da “matriz” grega que teria interesse em levar jovens talentos revelados na “filial” brasileira. 

Savvids já foi deputado na Rússia e em 2018 chegou a ser banido dos estádios gregos por três anos. Ele foi acusado de invadir o gramado com uma arma na cintura durante jogo de seu time para protestar contra a arbitragem.