Covid-19: com 108 profissionais contaminados, HC não vê falta de proteção

Leia o post original por Perrone

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, em São Paulo, um dos mais importantes do país, contabilizou até o dia 30 de março 108 funcionários infectados pelo novo coronavírus. No entanto, o hospital não relata escassez de equipamentos de proteção individual (EPIs) para quem atua na linha de frente. A falta desses materiais é hoje uma das principais preocupações do Ministério da Saúde.

Indagada pelo blog sobre a quantidade de profissionais da saúde a serviço do HC que foram infectados pelo vírus, a assessoria de imprensa do hospital enviou um balanço sobre os casos registrados, mas não dividiu as estatísticas por profissões exercidas pelos funcionários examinados. Também não há informações sobre o número de contaminações ocorridas no ambiente de trabalho ou fora dele.

“O HCFMUSP informa que o estoque (de EPIs) está regular e que há um plano em andamento para que não falte insumo”, diz trecho do comunicado.

O HC afirma que seu centro de atendimento a colaboradores atendeu a 2.549 profissionais até 30 de março. Desse total, 1.244 fizeram testes para saber se foram contaminados pelo novo coronavírus. Foram 108 casos positivos.

A nota informa ainda que neste momento 125 funcionários estão afastados para evitar risco de contaminação.

O blog havia perguntado a quantidade de casos graves e se houve óbito entre os profissionais da saúde do HC, porém, a resposta não trouxe esse detalhamento. Abaixo veja a nota na íntegra.

“O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP já atendeu, até o balanço de 30 de março, no Centro de Atendimento ao Colaborador (CeAC), 2.549 colaboradores. Destes, 1.244  foram testados e 108 confirmados. Hoje, 125 funcionários permanecem afastados para evitar qualquer tipo de contaminação, entre suspeitos e confirmados. O HCFMUSP tem cerca de 20 mil colaboradores. Informa ainda que todos os colaboradores  que precisam estão recebendo atendimento e aqueles com sintomas, de acordo com o protocolo, estão realizando testes. Todos os suspeitos são afastados temporariamente até confirmação do resultado. Aqueles que têm o exame positivo estão isolados e recebendo tratamento de acordo com protocolo. O HCFMUSP está realizando todos os esforços e seguindo todos os protocolos de segurança, inclusive com todos os equipamentos de proteção necessários, para garantir a segurança de pacientes e colaboradores. E reafirma seu apoio e admiração por todos os seus profissionais, que estão na linha de frente do combate à pandemia”.