Passar pano para ofensa racista contra Marinho é alimentar próprio racismo

Leia o post original por Perrone

É assustador ver que há muitos comentários nas redes sociais passando pano para o comentarista chef Fábio Benedetti, da Rádio Energia 97FM, que usou fala racista para criticar a expulsão do santista Marinho contra a Ponte Preta.

Houve até quem escrevesse para Benedetti em seu perfil no Twitter: “estou com você, não achei nada demais  nas suas palavras” .

Como assim? Vamos lembrar, o chef afirmou que diria o seguinte para Marinho, que é negro, numa hipotética conversa com o jogador se estivessem no mesmo grupo de whatsapp: “Eu vou falar assim: ‘você é burro, você está na senzala, você vai sair do grupo uma semana para pensar sobre o que você fez.”

Quem não vê nada demais nessa fala e ainda se dá ao trabalho de tornar tal sentimento público é no mínimo um racista saindo do armário.

Há também quem diga que o chef é gente boa, mas fez uma piada infeliz. Ignorar que senzala e piada não cabem na mesma frase é alimentar o racismo estrutural no país.

Afastado pela rádio, Benedetti usou as redes sociais para se desculpar e informar que pediu desculpas diretamente a Marinho. “Mais uma vez, quero pedir desculpas ao Marinho e a todos que se sentiram ofendidos pelo meu comentário infeliz!”, diz o comentarista ao encerrar seu pronunciamento.

O chef demonstra não entender que não se trata de se sentir ofendido. Ele ofendeu até que não sabe sobre o episódio. Para se retratar com todos que atingiu, primeiro teria que escrever suas desculpas em todos os idiomas possíveis. É só ver o movimento global “Blacks Lives Matter” para entender isso.

Benedetti também não compreende que seu comentário não foi infeliz, foi racista. Admitir isso é fundamental se ele quiser mudar. Caso contrário, continuará com seu preconceito guardado no peito, pronto para dar uma escapadinha e agredir muitos através de um.

Isso com o escudo dos ilusionistas que transformam em “mimi” o que não conseguem justificar. Esses querem transformar as desculpas do chef numa borracha capaz de apagar o racismo estrutural.

Para os defensores do autor da fala racista informo que não rola. E não é só isso. Se você minimiza o chicote verbal que estalou na alma de Marinho, cuidado. Provavelmente há um racista dentro de você louco para sair e dar suas chicotadas por aí. Se é que já não saiu.