Corinthians espera verba da venda de Pedrinho até para demitir funcionários

Leia o post original por Perrone

Nesta semana o Corinthians pagou três de quatro meses de salários a transados a jogadores e membros da comissão técnica. O plano agora é quitar o restante entre terça e quarta da semana que vem com a antecipação do dinheiro da venda de Pedrinho para o Benfica.  Porém, a receita servirá também para o clube pagar custos de demissões de funcionários que ainda não foram feitas por falta de dinheiro.

A expectativa é de que a receita a ser antecipada junto a um banco estrangeiro chegue na terça-feira. Se isso acontecer, o clube coloca em prática o pacote de demissões com o objetivo de reduzir custos, conforme apurou o blog.

Por mais de uma vez, o Corinthians se viu perto de concretizar a antecipação, mas acabou tendo que adiar seus planos

O desligamento de empregados faz parte de uma estratégia elaborada em maio para enfrentar as dificuldades financeiras do alvinegro agravadas pelos efeitos da pandemia de covid-19. O corte de pessoal não deve atingir o futebol profissional.

Na ocasião, a diretoria pediu que todos os departamentos fizessem reduções de gastos em até 50%. O número variava de acordo com a área. Muitas das demissões, no entanto, ainda não puderam ser feitas porque o clube não tem como pagar custos como os referentes a verbas rescisórias.

Com as demissões somadas a outras reduções de gastos, que incluem trocas de fornecedores, por exemplo, a direção espera alcançar uma economia de R$ 2,5 milhões mensais. A quantidade de funcionários a serem demitidos é mantida em sigilo pelo clube. A diretoria não fala oficialmente sobre futuras demissões.

O Corinthians receberá na operação de antecipação menos do que os 18 milhões de euros que seriam  pagos pelo Benfica a partir de agosto de 2021. Isso porque a instituição financeira cobra taxas para antecipar a receita.

Inicialmente Pedrinho tinha sido vendido por 20 milhões de euros. No entanto, o alvinegro aceitou reduzir a quantia em 2 milhões de euros depois de os portugueses reclamarem da decisão corintiana de não exercer o direito de compra dos direitos referentes a Yony González.  O Benfica também conseguiu adiar em um ano o pagamento de primeira parcela.

Por sua vez, Will Dantas, agente de Pedrinho, já tinha aceitado receber os 30% a que tem direito só no ano que vem.