Justiça suspende ação da Caixa contra arena corintiana por mais 60 dias

Leia o post original por Perrone

A Justiça Federal de São Paulo suspendeu por mais 60 dias o processo no qual a Caixa Econômica cobra R$ 536 milhões da Arena Itaquera S/A, controlada por Corinthians e Odebrecht, para as partes tentarem um acordo.

Essa é a primeira suspensão dos autos feita depois de o Corinthians anunciar a venda dos namings rights de sua arena.

Dirigentes corintianos entendem que o negócio com a Hypera Pharma pode ajudar numa composição com o banco. Isso porque agora a Neoquímica Arena tem uma receita fixa (R$ 15 milhões anuais por 20 anos), além da arrecadação gerada pelos jogos (quando o público for liberado), para repassar para a Caixa.

O despacho que concede o novo prazo para a tentativa de acordo foi assinado pela juíza federal substituta Marina Gimenez Butkeraitiz no último dia 21.

Desde outubro do ano passado, seguidas suspensões foram concedidas a pedido das partes. Em agosto, como mostrou o blog, havia sido autorizada suspensão por 30 dias.

Alegando que a Arena Itaquera atrasou parcelas referentes ao financiamento de R$ 400 milhões feito junto ao BNDES por intermédio da Caixa, o banco executou o contrato exigindo o pagamento da dívida total. Com multa, a cobrança chegava a cerca de R$ 536 milhões, nas contas da Caixa, no início da ação apresentada no ano passado à Justiça Federal de São Paulo.

A direção alvinegra discorda de multas cobradas pelo banco. Isso tem dificultado o acordo. O empréstimo foi feito para ajudar a bancar a construção da arena.