A morte de Dios

Leia o post original por Flavio Prado

 

Imagine você vivendo a morte de Deus. Seguramente é assim que se sentem os argentinos. Passionais como são eles viam em Maradona o Libertador, pós a catastrófica guerra das Malvinas. Os dois gols contra a Inglaterra, na primeira Copa do Mundo pós guerra, um espetacular e outro de mão, transformaram aquele ser humana num Deus e não é fácil administrar esta dupla situação.

Maradona morreu e fica um vácuo enorme no país todo. Desde Evita Peron o país não tinha uma tragédia tão grande. E mesmo na pandemia não será possível segurar o povo, que por certo irá para as ruas. O Dios argentino subiu. E será muito bem recebido lá em cima. Ele alegrou muita gente na sua vida conturbada.