Arquivo da categoria: aeroporto

“Que homem!”

Leia o post original por Rica Perrone

O rubro-negro quando feliz brinca sobre Diego dizendo “que homem!”.  Afinal, para elas ele é lindo. Para eles, se dedica, é profissional e joga muito.  Para uma dúzia de imbecis dispostos a quebrar patrimonio alheio por causa de futebol, não.

Esses acham o Diego um merda.  Para eles, por ser a personificação do “new Flamengo”, ele deve pagar a conta. Já escrevi sobre isso. E mesmo entendendo que alguns pensem assim, é absolutamente inexplicável o destempero humano que acompanha o Flamengo.

Seu torcedor é o mais fácil do mundo. Ele se convence que o Diego não presta na mesma velocidade que o pede na Copa do Mundo. Hoje, após o episódio do aeroporto, Diego fez o que a imprensa não consegue fazer há 50 anos. Separa-los.

Eu vou me usar de exemplo pra não atingir terceiros. Eu provavelmente no lugar dele mandaria a torcida tomar no cu após o gol. Não porque eu ache certo, mas porque meu nível de vingança e “fala agora seus cuzão!” estaria tão alto que eu seria incapaz de pensar em algo fofo, inteligente e de frutos imediatos.

O cara correu o campo e um destemperado como eu já pensava: “vai manda rola pra torcida…”.

Mas não. Ele foi lá e abraçou os caras. Porque?

Porque ele é assim. Ele pensa, as vezes até demais. Ele calcula, tanto que nem se identifica com a loucura que é ser Flamengo. Ele tem calma, coisa que rubro-negro nenhum no mundo tem.

Ele sabe que bastava um gol, duas vitórias e em 1 semana o Flamengo pode estar líder do Brasileiro, classificado na Libertadores e encaminhado na Copa do Brasil.

E aí é “aeroFla”, cheirinho, hepta, a porra toda.  Porque mais inteligente do que a maioria de nós, ele não quis desabafar. Ele quis ser o marco de qualquer possível conquista deste Flamengo católico de 11 filhos únicos.

Se funcionar, ele será o cara que abraçou a torcida na hora do racha. Se não funcionar, ele será aliviado porque não reagiu, ajoelhou e deu à nação o que ela mais adora: o status de soberana no clube.

Diego é um craque. Se não com a bola, com a cabeça. E não me refiro ao gol.

abs,
RicaPerrone

Desculpe o transtorno, preciso falar da nação

Leia o post original por Rica Perrone

Foi mal, Gregório! Roubei porque você é o protagonista da semana a ser substituído nesta terça-feira, quando milhares de rubro-negros tomaram as ruas para também declarar seu amor. Roubei porque tal qual você, é preciso alguma coragem pra expor tantos sentimentos num mundo rude e babaca onde priorizar a paixão, para alguns, torna pessoas “vagabundas”. …

Justifica-se a euforia?

Leia o post original por Rica Perrone

Ontem a discussão era se a festa no aeroporto e toda a atenção dada pela mídia a Diego era justificável, proporcional a sua chegada.  E sem pestanejar, lhes digo que sim. Diego merece esse status, sim. Nós temos uma mania complicada – talvez seja no mundo todo – de avaliar o filme pelo que esperávamos …

La vuelta de Dios

Leia o post original por Rica Perrone

O momento onde você mais ouviu falar de Orlando City não foi num jogo ou numa eventual conquista. Foi na apresentação de Kaká.  As maiores festas descontroladas e portanto espetaculares do Rio de Janeiro foram protagonizadas pelas chegadas de Romário e Ronaldinho ao Flamengo. Os três maiores eventos do SPFC nos últimos anos foram apresentações, recordes …

Membros da Mancha receberam ingressos de graça para jogo na Argentina

Leia o post original por Perrone

Integrantes da Mancha Alviverde ganharam ingressos para o jogo do Palmeiras contra o Tigre, segundo fonte ligada à diretoria. Membros da torcida são acusados de agredir os jogadores no aeroporto, antes da volta ao Brasil, após a derrota pela Libertadores.

Pelo relato, o clube brasileiro recebeu como cortesia dos argentinos 100 bilhetes. Eles foram repassados também sem custos para torcedores que queriam ir ao estádio, fossem eles integrantes de organizadas ou não. A venda não era permitida. Em entrevista coletiva, o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, admitiu que o clube doa ingressos em partidas fora de casa.

Também de acordo com pessoa próxima à direção, uma das uniformizadas do clube pediu dinheiro para colocar combustível no ônibus que levaria seus torcedores para a Argentina. Mas o pedido não foi atendido pelo presidente.

Nos próximos jogos fora, se o Palmeiras receber ingressos de graça, não fará mais o repasse às organizadas. Nobre reagiu de forma dura ao ataque sofrido por seus atletas e suspendeu a venda de bilhetes na sede da Mancha para partidas do time.

No ano passado, o Ministério Público já havia pedido para os clubes evitarem a comercialização de ingressos nas sedes das organizadas.

O blog telefonou para Marcos Ferreira, presidente da Mancha, para falar sobre os ingressos gratuitos. Mas ele não atendeu às ligações.

Paixão pela destruição

Leia o post original por Wanderley Nogueira

Já imaginou se você invadir o aeroporto internacional e destruir cadeiras, cinzeiros, enfeites natalinos, quebrar vitrines e tentar agredir policiais?

A sua chance de sair impune é nenhuma.

Aqui ou em qualquer país do mundo.

Mas, se você vestir camisa de torcida organizada, pelo menos no Brasil, além de não enfrentar nenhuma punição, no dia seguinte vai poder ver todo estrago que provocou e comemorar o sucesso do ato de vandalismo.

E o policiamento, nas nossas terras, adota um padrão, digamos, diferente.

Antes mesmo de o público sair do local, a polícia vai embora. É assim nos estádios, foi assim no embarque do Corinthians para o Japão.

Os vândalos tiveram a vida facilitada.

O aeroporto ficou entregue aos depredadores.

Os bárbaros, selvagens e destruidores se deliciaram.

A paixão pela destruição é maior do que o amor pelo clube.

A possibilidade de esse grupo, por exemplo, ajudar a evitar a destruição do planeta é zero.

Um dos bandidos chegou a dizer que aquilo “era por amor do time… uma espécie de desabafo, para extravasar”.

Invasão empolgante! Já passei por algo assim…

Leia o post original por Neto

Mais de 15 mil corintianos estiveram no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, para se despedir do elenco que embarcou para a disputa do Mundial de Clubes no Japão. Emocionante e impressionante esse carinho! E pra quem pensa que não adianta nada, se engana. Pode ter certeza que essas atitudes contam e muito na motivação que os caras entram em campo. Falo isso por experiência própria. Em 1990, quando o clube estava buscando ainda seu primeiro título do Brasileirão (quem diria!), tivemos a torcida praticamente escoltando nosso ônibus rumo ao Pacaembu no dia da semifinal contra o Bahia.

Lembro como se fosse hoje do pessoal ajudando a tirar com as mãos um carro que atrapalhava a passagem do nosso ônibus. Até ‘seu’ Vicente Matheus, presidente da época, desceu para ajudar. É brincadeira? Não à toa conquistamos aquele primeiro Brasileirão. Acho que estava escrito. Não sei se é o mesmo caso de agora, mas uma coisa é fato: os jogadores vão entrar pilhados na busca desse Bi-Mundial. Essa agitação toda me deu um pouco de nostalgia. Fiquei feliz.

Em tempo: Nesse post estava tentando passar aos internautas a emoção que o jogador pode sentir em uma situação de envolvimento como essa com o torcedor. Quando o Santos embarcou para o Mundial do ano passado também foi maravilhoso. O São Paulo foi tricampeão Mundial e fez uma festa linda pelas ruas de São Paulo em 2005. Claro que a confusão no aeroporto após o embarque do Corinthians foi ridícula. Brigar com a polícia é coisa de marginal. Isso vestindo qualquer cor de camisa. Obviamente que minha opinião é igual a da maioria da população. Agora isso não tira o brilho da festa antes da baixaria.