Arquivo da categoria: Alexandre Mattos

Opinião: desejos atendidos e título recente deixam Felipão mais pressionado

Leia o post original por Perrone

Uma combinação de fatores faz com que Felipão comece a atual temporada mais pressionado do que quando voltou ao Palmeiras em 2018.

O principal motivo é o fato de a diretoria entender que atendeu a todos os pedidos do treinador para reforçar a equipe em 2019. A direção faz questão de deixar isso claro quando é indagada sobre a possibilidade de novas contratações. “Mas analiso que tudo o que a comissão pediu a gente já deu, especialmente a velocidade nas extremas”, disse o diretor executivo de futebol Alexandre Mattos em recente entrevista ao responder sobre as chances de contratar Ricardo Goulart.

Em 2018, a diretoria entendida que já tinha um elenco forte. Agora está segura de que o qualificou ao gosto do treinador. Chegaram Arthur Cabral, Zé Rafael, Matheus Fernandes, Carlos Eduardo e Felipe Pires.

Além de ter o que pediu, Scolari enfrentará outro nível de exigência. Quando voltou ao Palmeiras a principal missão era fazer decolar um time caro. Ele falhou na tarefa de conquistar a Libertadores, mas fechou o ano em alta com o incontestável título do Brasileirão.

Com duas taças nacionais conquistadas recentemente (2018 e 2016), em tese, o torcedor palmeirense está mais obcecado ainda pela Libertadores e pelo Mundial de Clubes da Fifa. O que a equipe de Felipão fizer no torneio continental deve ter peso maior.

Dessa forma, Scolari começa o ano vivendo situações antagônicas. Desfruta do conforto de ter o melhor elenco do Brasil (na opinião deste blogueiro) e sofre uma gigantesca pressão pelos triunfos internacionais.

Por que é difícil para o Palmeiras contratar Ricardo Goulart?

Leia o post original por Perrone

O discurso na diretoria do Palmeiras é de que não há negociação encaminhada pelo atacante Ricardo Goulart. Pelo contrário, a contratação é vista neste momento como muito difícil.

Existe uma série de complicadores. Um dos principais é o fato de o alviverde considerar inviável pagar ao Guanghzou Evergrande pelos direitos relativos ao brasileiro. Além disso, a direção palmeirense não acredita na disposição dos chineses de emprestar o jogador. O empréstimo é visto como única opção.

Ainda que a transferência temporária aconteça, será necessário Goulart aceitar receber do clube brasileiro bem menos do que ganha na China. A informação no Palmeiras é de que ele embolsa cerca de R$ 3 milhões mensais.

Por fim, se toda essas barreiras forem superadas seria preciso vencer a concorrência com outros clubes brasileiros. Essa é a parte menos complicada já que o time paulista tem uma das melhores situações financeiras entre os clubes do Brasil. Outro ponto é a amizade de Goulart com Felipão e Alexandre Mattos, diretor de futebol.

Em um cenário hipotéticO, para a negociação vingar, Goulart teria que se esforçar para convencer seus atuais patrões a aceitarem uma saída por empréstimo. E ainda encontrar uma fórmula para que o Palmeiras não tenha que desembolar integralmente o montante referente ao seu salário.

Por que tanto moleque desconhecido por tanta grana???

Leia o post original por Craque Neto

Não dá pra negar que a patrocinadora Crefisa deu um UpGrade no Palmeiras com a injeção de milhões de reais para contratação de jogadores. A situação melhorou ainda mais com a construção do Allianz Parque que colocou o Verdão em outro patamar financeiro. Em 2018 o planejamento foi muito bem feito. Reforços pontuais que de fato trouxe resultado dentro de campo. Quer dizer, não foi do jeito que o torcedor alviverde imaginava – com o título da Libertadores -, mas a taça do Brasileirão trouxe um alívio. Agora para o próximo ano me causou muita estranheza quando o executivo Alexandre […]

O post Por que tanto moleque desconhecido por tanta grana??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Por contrato, Palmeiras deve elogiar Crefisa pela compra de Guerra

Leia o post original por Perrone

Por contrato, a diretoria do Palmeiras deve se esforçar para elogiar a participação da Crefisa na contratação de Guerra. A exigência está cravada na cláusula 4.2 de documento assinado em janeiro de 2017.

“O patrocinado (Palmeiras) se compromete, observadas as disposições deste contrato, a efetuar a apresentação oficial do atleta juntamente com o patrocinador (Crefisa) ou com empresas a este coligadas, bem como a envidar seus melhores esforços para externar, sempre que possível, a importância do patrocinador na contratação do atleta pelo patrocinado”, diz o compromisso assinado entre as partes.

Guerra foi apresentado na FAM (Faculdade das Américas), de propriedade do casal José Roberto Lamachia e Leila Pereira, donos da Crefisa.

Na ocasião, Alexandre Mattos ressaltou a importância dos parceiros para a concretização da negociação. “Faço um agradecimento especial aos nossos patrocinadores. Acho que posso chamá-los de amigos. Sem eles, a presença do Guerra e de outros jogadores seria impossível. Num gesto de merecido  reconhecimento quero chamar Leila para entregar a camisa ao Alejandro”, declarou o diretor. Mattos disse ao blog que não comentaria a cláusula contratual.

Na apresentação do meia, Leila e seu marido estavam na reta final de suas campanhas por vagas no Conselho Deliberativo do clube. Ambos foram eleitos.

Adendo do “contrato de patrocínio do programa Avanti por intermédio do atleta Alejandro Guerra”, assinado em 20 de janeiro de 2018, registra que a patrocinadora repassou ao clube  R$ 12.001.487,40 para a contratação.

Antes de o contrato ser alterado, o Palmeiras só precisava devolver à parceira o valor investido na hipótese de venda do atleta. Em caso de prejuízo, ele seria só da parceira. O lucro ficaria com o clube. Como mostrou o blog, o alviverde só poderá lucrar na operação se estiver com eventuais pagamentos à patrocinadora em dia.

As alterações contratuais referentes aos investimentos feitos pela Crefisa na compra de jogadores por meio de acordos de marketing são contestadas pelo COF (Conselho de Orientação Fiscal do Palmeiras).

O órgão entende que Maurício Galiotte não poderia ter assinado o documento sem consultá-lo, entre outras supostas irregularidades. Tanto o presidente palmeirense como a Crefisa negam terem cometido irregularidades.

Procurada para comentar sobre a “cláusula de elogio”, a assessoria de imprensa de Leila Pereira, enviou a mesma nota que havia encaminhado ao blog no dia anterior para responder a outras questões sobre as alterações:

“Perrone, primeiro quem estiver passando esses contratos para o senhor tem a nítida e clara vontade de prejudicar o Palmeiras, talvez seja a mesma pessoa que levou o primeiro contrato para a Receita, mas enfim essa pessoa deveria respeitar a cláusula de sigilo, que é muito comum em contratos. Mas o senhor e os torcedores do Palmeiras podem ter certeza, eu jamais vou fazer qualquer coisa que prejudique o Clube”.

 

Leila, Mattos, Dudu e Felipe Melo. Os desafios de Felipão

Leia o post original por Perrone

Conhecer a política do clube é uma das principais habilidades de Felipão que o levaram a ser contratado pelo Palmeiras. Porém, ele encontrará um cenário explosivamente novo em seu retorno.

Como em suas duas passagens anteriores, Scolari vai encontrar bastidores agitados. Mas os personagens não são apenas os conselheiros velhos conhecidos do treinador. O principal fator novo para o técnico no caldeirão político é Leila Pereira, patrocinadora, conselheira e que trava intenso conflito com o grupo do ex-presidente Mustafá Contursi.

Além de blindar o vestiário de eventuais balas perdidas nessa guerra, Felipão provavelmente verá a dona da Crefisa e da FAM cruzar seu caminho, já que o clube muitas vezes recorre ao dinheiro dela e de seu marido, José Roberto Lamachia, para fazer contratações.

Leila tem histórico de declarações fortes e de deixar clara suas opiniões em relação ao futebol alviverde.

Além da presença dela, Scolari terá como fator novo a convivência com Alexandre Mattos, poderoso executivo do futebol palmeirense.

Felipão é conhecido no futebol por respeitar a hierarquia dos clubes por onde passa. Mas também por seu estilo “sargentão” controlador e pelo gênio forte.

Desagradar ao técnico pode causar reações inesperadas. Em março de 2011, por exemplo, Scolari se irritou com a decisão da diretoria do Palmeiras de não levar para a concentração a nutricionista Alessandra Favano. O objetivo do clube era economizar dinheiro. Como revelou o blog na ocasião, o técnico ameaçou não se concentrar com o time se a profissional não fosse integrada à delegação. De fato, o Palmeiras iniciou o período concentrado sem o treinador.

Na outra ponta da nova relação, Mattos está acostumado a trabalhar com autonomia no Palmeiras. Ela é tanta que incomoda conselheiros.

Quem convive com Scolari afirma que, apesar da fama de durão, ele tem jogo de cintura para lidar com Leila e Mattos.

No vestiário, outros dois nomes representam desafio de peso para o treinador: Felipe Melo e Dudu. Ambos têm pavio curto.

O volante chegou a ser afastado por Cuca na última passagem do treinador pelo clube. Apesar da viralização de áudio no qual ele detonava o técnico, acabou sendo reintegrado numa ação de Mattos. Foi uma demonstração de força do atleta. Neste momento, ele está em baixa na parte técnica.

Em relação a Dudu, o desafio do treinador é motivar o jogador. Recentemente, ele deu a entender numa rede social estar insatisfeito por não ter sido vendido o futebol chinês.

O enigma relacionado a como Scolari vai se virar no novo ambiente começará a ser decifrado nesta sexta (3), dia marcado para o início de seu trabalho.

 

Palmeiras precisa de quem PONHA o ‘P’ na mesa!!!

Leia o post original por Craque Neto

Na calada da noite desta quarta pra quinta-feira, logo após a derrota vergonhosa para o Fluminense no Maracanã, a diretoria do Palmeiras anunciou a demissão do técnico Roger Machado. Me parece que era uma vontade da maioria dos torcedores, já que vi pouca gente questionar a saída do gaúcho que alcançou quase 70% de aproveitamento de pontos no período que ele ficou no comando alviverde. De qualquer forma pra mim a responsabilidade pelos maus resultados – e essa instabilidade recente – é muito mais de alguns jogadores do que propriamente do treinador. Vejam os casos do Felipe Melo e do […]

O post Palmeiras precisa de quem PONHA o 'P' na mesa!!! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Gastar sempre é FÁCIL, mas e os zagueiros???

Leia o post original por Craque Neto

Vejo tanta gente ganhando dinheiro com o futebol que sinceramente fico tentando imaginar um dirigente 100% correto nesse meio, viu? Pensando no Palmeiras, por exemplo, que hoje em dia é um dos clubes mais ricos e que mais investe em reforços no País, vejo pouco defensor de qualidade ser contratado. Poxa vida, desde que o executivo Alexandre Mattos foi confirmado pelo ex-presidente Paulo Nobre para gerenciar o departamento profissional – há cerca de dois anos e meio – uma infinidade de jogadores desembarcaram no Palestra. Acho que daria pra encher um caminhão com o dinheiro gasto em reforços. E olha […]

O post Gastar sempre é FÁCIL, mas e os zagueiros??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Roger na CORDA BAMBA do Palmeiras???

Leia o post original por Craque Neto

Como vida de técnico de futebol é ingrata, não? Por mais que o cara faça uma boa campanha no time, se vacilar em decisões, tudo pode ir por água abaixo. E é mais ou menos esse o caso do Roger Machado no Palmeiras. Ele veio no início dessa temporada com a responsabilidade de dar títulos para um elenco que pisou feio na bola no ano passado. A diretoria gastou milhões para formar uma equipe forte e só patinou. E de uma maneira geral, em um primeiro momento, o Roger até correspondeu às expectativas. Fez a melhor campanha do Paulistão e é sim […]

O post Roger na CORDA BAMBA do Palmeiras??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Ronaldo: Queria ver Alexandre Mattos trabalhar sem dinheiro

Leia o post original por Craque Neto

O comentarista e ex-goleiro Ronaldo Giovaneli afirmou que Alexandre Mattos, diretor executivo de futebol do Palmeiras, responsável pelas contratações do clube, contrata bem apenas por ter dinheiro.

O post Ronaldo: Queria ver Alexandre Mattos trabalhar sem dinheiro apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Muita dança e pouca bola

Leia o post original por Craque Neto

Quando o Palmeiras negociou o zagueiro Yerri Mina com o Barcelona da Espanha fui o primeiro a vir nas minhas mídias elogiar o trabalho do executivo Alexandre Mattos. Afinal alcançar quase R$ 50 milhões – o que o tornou o segundo jogador mais caro da década a ser vendido pelo clube – em um defensor bem mais ou menos foi um ‘ACHADO’. Sempre vi esse jogador como marketing puro. Tinha tamanho de zagueiro, cara de mau, mas só sabia dançar e falhar. Incrível a admiração que a torcida do Verdão tinha por ele. Nunca entendi bem o porquê. De qualquer […]

O post Muita dança e pouca bola apareceu primeiro em Craque Neto 10.