Arquivo da categoria: ano novo

“Espera aí, vó!”

Leia o post original por Rica Perrone

Era 23h59 minutos quando olhei em volta e vi um mar de celulares apontados pro horizonte.  Via também famílias, amigos, pessoas que pagaram uma nota para estarem lá, pela roupa que usavam e especialmente pelo celular que carregavam. A primeira coisa do ano é registrar pros outros o que eu “vivi” com os meus. E…

Feliz dois mil e hexa!

Leia o post original por Rica Perrone

Em 2018 eu quero que você reuna seus amigos o máximo de vezes que puder. Que faça churrascos com muita cerveja, risadas sem noção e futebol sempre que puder. Quando não puder, dê um jeito.
 
Não precisa ser a picanha mais cara. Se não der, pega aquela de 30 reais. Tudo bem. Compra latão, tanto faz. Mas junta gente, brinda coisas sem sentido, abraça os amigos e promete qualquer merda mesmo que seja só um conhecido.
 
Sorria. Aliás, gargalhe. Morra de rir.
 
Não brigue com seus amigos por causa desses filhos da puta da política. Discuta, mas quando a chapa esquentar, muda de assunto. “E o Corinthians?!”. Pronto, foda-se o Lula, o Bolsonaro, o Doria….
 
Se veste de amarelo. Pinta a cara. Curta a Copa e não seja um idiota que reclama do pão e circo no mes de junho. A gente precisa de circo pra vida ter sentido e pão pra ela continuar. Uma coisa não exclui a outra.
 
Se juntas pessoas para celebrar, cantar o hino, sentir orgulho e confraternizar não é motivo para parar o país, cancela a porra do Natal.
 
Vai ter hexa! Tem que ter.  
 
Não importa onde, mas sempre com quem. E se for com os nossos, o lugar tá ótimo.
 
Um ano cheio de muita risada gostosa, amigos leais, romances surreais, jogos memoráveis do seu time, churrascos com mais pão de alho que picanha e, ainda assim, os melhores churrascos do mundo.
 
Pára de esperar ficar rico. Ser feliz custa menos de 100 reais.
 
Um 2018 do caralho pra vocês! Inclusive pra quem vive aqui só pra me encher a porra do saco.
 
Aos meus, em especial, e quem é sabe, um beijo enorme e obrigado por mais um ano de amizade e tudo que citei acima. Eu tenho os melhores amigos do mundo. Agora pega o cavaco, bota a cerveja pra gelar, acende a churrasqueira chega de papo!
 
Feliz 2018
abs,
RicaPerrone

Reconhecimento e megalomania

Leia o post original por Rica Perrone

O Flamengo é movido a sua grandeza e especialmente ao seu complexo de grandeza.  Dali de onde nada se espera, eles sempre esperam tudo. E de onde muito se espera, sai nada. O time de 2016 começou o campeonato taxado pelos mesmos torcedores que hoje lamentam a “perda” do título como fraco. Se tornou razoável, …

Esperança de um ano melhor…

Leia o post original por Neto

Torcedores do Palmeiras lamentam instabilidade do time em 2014

Torcedores do Palmeiras lamentam instabilidade do time em 2014

…. Para o Botafogo que passou vergonha com o rebaixamento no Brasileirão de 2014 e precisa de uma reconstrução absoluta em seu departamento de futebol profissional.

…. Para o Corinthians, que alternou altos e baixos e não conquistou nada na temporada. Pré-Libertadores? Muito pouco para o investimento que é feito no futebol.

…. Para o São Paulo, que nada, nada e morre na praia. O Tricolor não conquista um título decente desde o tri do Brasileirão em 2008. Ah, aquela Sul-Americana pela metade não conta, vai!

…. Para o Santos, que depois da saída do Neymar simplesmente sumiu!

…. Para o Palmeiras, que tem se apequenado e feito seu torcedor morrer de vergonha e frustração. Chega de lutar contra o rebaixamento! O Verdão merece uma diretoria capaz de formar uma equipe competitiva e que brigue por títulos.

…. Para o Vasco, que terá que fazer uma campanha bem melhor que fez na Série B para se manter na Série A de 2015. Remodelar o elenco é fundamental.

…. Para o Flamengo, que ofereceu este ano para sua maravilhosa torcida um timinho ridículo e coadjuvante.

…. Para o Fluminense, que depois de perder seu patrocinador master terá que suar sangue para se manter como protagonista do futebol brasileiro. A verdade é que a direção do clube poderia ter explorado melhor a grana e investido em infraestrutura para o time. Mas preferiram gastar horrores com jogadores…

…. Para Bahia e Vitória que fizeram papelão com o descendo em 2014. Ambos apresentaram administrações vergonhosas e futebol ridículo. Recomeço urgente!

…. Para o Grêmio, que apostou as fichas no Felipão e naufragou na empáfia do técnico da Seleção do fatídico 7 a 1.

…. Para o Coritiba e Atlético/PR, que precisam voltar a figurar entre os primeiros. Um Estado forte como o Paraná precisa de times brigando por títulos nacionais. Participar só é muito pouco. Mesmo exemplo vale para o Goiás, que é um clube com uma estrutura de primeiro mundo.

…. Para o Sport, que também precisa de mais ambição. Algo que teve em 87 e 2008.

…. Só vou aliviar com a dupla mineira Cruzeiro e Atlético/MG, além do quarteto catarinense: Chapecoense, Figueirense, Joinville e Avaí. Todos tiveram um 2014 excelente! Os dois primeiros pelos títulos e pela supremacia nacional. Já os quatro pelo conjunto da obra, que só não ficou melhor pela campanha vergonhosa do rebaixado Criciúma. Um Estado pequeno como Santa Catarina, com recursos bem menores para os clubes, alcançar tamanho status, é digno de aplausos. Parabéns a todos!

Ano que vai… outro que vem…

Leia o post original por Neto

Cruzeiro da dupla Borges e Dagoberto fez a festa em 2013

Cruzeiro da dupla Borges e Dagoberto fez a festa em 2013

Essa temporada de 2013 não foi muito marcante para o futebol paulista. Com exceção do título do Paulistão e da Recopa por parte do Corinthians e a Série B pelo Palmeiras, o restante foi péssimo. Má fase inclusive para artilheiros do gabarito de Alexandre Pato e Luis Fabiano. O Peixe depois de perder o Neymar também fez um restante de ano sem empolgação. Destaque apenas para o Cícero, que desandou a fazer gols na reta final do Brasileirão.

A mesma coisa aconteceu com os principais clubes cariocas. O Botafogo caiu tanto de rendimento nas últimas rodadas do Brasileirão que por pouco não perde a vaga na pré-Libertadores.  Já os rebaixados Vasco e Fluminense passaram vergonha! Mas o Flu pode se livrar graças a um erro administrativo da Lusa. Ainda assim a campanha foi ridícula para quem era o atual campeão. Só o Mengão se salvou com o título da Copa do Brasil. Só que no Nacional patinou.

O ano de 2013 brilhou forte mesmo nas Minas Gerais, onde Cruzeiro e Atlético/MG literalmente fizeram a festa com as taças do Brasileiro e da Libertadores, respectivamente. Mas será que ambos conseguirão manter a boa fase em 2014? É o que todos esperam. Eu particularmente só gostaria de ver no próximo ano um futebol mais técnico, mais bem jogado. Ah, claro, e que seja feito dentro de campo. Essa coisa de tribunal decidir jogo por erros de arbitragens e de regulamento já deu no saco.

Galera, FELIZ 2014 a todos!!! Principalmente aos corneteiros que sempre me prestigiam tanto.

Quem em 2014 nós, e o Santos, façamos o que precisa ser feito

Leia o post original por Odir Cunha

ano novo

Para uma comemoração de passagem de ano bem exótica, sugiro essa canção do Abba. Tá bom, alguns vão dizer que sou velho. Como não quero discutir nesse dia, responderei que sou apenas um cara para o qual o tempo deu conhecimento mais amplo do que a maioria. Este Abba foi um grupo sueco de música pop, integrado por Benny Andersson, Anni-Frid “Frida” Lyngstad, Björn Ulvaeus e Agnetha Fältskog. O nome “ABBA” é um acrônimo formado pelas primeiras letras de cada membro (Agnetha, Björn, Benny, Anni-Frid). Segundo o Wikipédia, “o quarteto se formou em Estocolmo em 1972, mas só teve fama internacional depois de vencer a edição de 1974 do Festival Eurovisão da Canção. Björn e Agnetha se casaram meses antes da formação do quarteto, enquanto Benny e Frida se casaram apenas em 1978. Os quatro lidaram com obrigações artísticas ao mesmo tempo em que se ocupavam com suas novas famílias. Suas gravações (hoje consideradas bregas) tiveram um grande impacto comercial, fato que levou o grupo a se tornar o mais bem-sucedido da gravadora Universal Music Group e ser a banda que mais vendeu discos em 1970.” Curtam os votos de Feliz Ano Novo do Abba:

Estava para tocar em um assunto delicado, que, sei, dividirá as opiniões dos leitores deste blog, quando, em um átimo de consciência, percebi que este final de ano é tempo de reflexão do que se foi, de planos e projetos para o novo ano que se inicia, tempo para ser usufruído ao lado de quem amamos e nos ama. Então, proponho apenas sonharmos com o Santos que queremos e que em 2014 tenhamos forças para caminhar em busca deste sonho.

Felizes dos que olham para trás, em suas vidas, e podem comemorar realizações. Dias atrás entrevistei, para o Museu Pelé, o jornalista Paulo Planet Buarque, um dos responsáveis pelo plano que levou a Seleção Brasileira ao seu primeiro título mundial, na Copa da Suécia, em 1958. Simpaticíssimo, educado, inteligente, Paulo Planet é um espécime raro no jornalismo esportivo.

Dele recebi o livro autobiográfico “Uma vida no plural”, que estou consultando. Poucos fizeram tanto no jornalismo e na vida, e, apesar disso, Planet é de uma humildade arrebatadora. Em uma das páginas de seu livro, a de número 83, há uma frase atribuída a autor anônimo. Ela diz: “Saber como se faz uma coisa é fácil, o difícil é fazê-la”. Tão simples e ao mesmo tempo tão verdadeira.

Repito-a porque ela exprime nossa labuta diária neste blog, que é a de discutir assuntos ligados ao Santos e com isso apontar caminhos, dar subsídios para que a direção do clube tome as decisões corretas (pessoas de pensamento binário tentam detectar se somos “de oposição” ou “de situação”, incapazes de perceber que somos apenas críticos, movidos pelo ideal de ver um Santos melhor).

Nos períodos de sucesso, em que o time expressa, em campo, a irreverência, o virtuosismo e a juventude da alma santista, como no primeiro semestre de 2010, todas as vozes se unem no harmônico coro dos felizes. Mas, nas etapas difíceis, como a que o clube passou em 2013, é normal surgirem discussões, imprecações, polêmicas. Proliferam os insatisfeitos e os especialistas em tudo.

Toda crise gera oportunistas e é preciso ter muito cuidado com eles. Pois, na verdade, o Santos não precisa de milagreiros e nem de gênios, que um dia cobrarão seu preço, como estamos cansados de vivenciar. Só precisa, como diz a frase anônima do livro de Paulo Planet Buarque, de pessoas que façam o que todo santista sabe que precisa ser feito.

Para concluir, o que desejo a você, que me dá a honra e o orgulho de ler e participar deste blog, é justamente isso: que em 2014 se arme de determinação e coragem para fazer aquilo que, mais do que ninguém, você sabe que tem de ser feito para tornar sua vida e sua relação com as pessoas ainda melhor. Um feliz 2014 meu caro e minha cara leitora. Espero que continuemos juntos no Ano Novo!

planet e pelé
Paulo Planet Buarque e Ele

Cite algo que o Santos sabe que precisa fazer em 2014

Em busca da cereja no bolo

Leia o post original por Neto

Galo sonha em repatriar Diego Tardelli

Começamos o ano de 2013 com os clubes trabalhando forte para buscar seu grande reforço da temporada. O Corinthians, por exemplo, que tudo indica que vai manter a base forte campeã da Libertadores e Mundial, quer Alexandre Pato a todo custo. Não sei se seria um boa ideia. Sinceramente.

Já o Atlético Mineiro está dividido entre três nomes: Diego Tardelli, Robinho e Vágner Love. Apesar das dificuldades o presidente Kalil está ralando para acertar com um deles. Se fosse eu, até pela identificação, ficaria com o Tardelli. Mas todos os três são excelentes reforços. Mais confiáveis, digamos, que o Pato. Mas deixa quieto.

O São Paulo está em um leilão danado com o Grêmio para tentar levar sua cereja ao bolo do Morumbi. O chileno Vargas, que está no Napoli, segue conversando e tem o interesse de vir ao Brasil. O problema para o Juvenal Juvêncio é que os gaúchos também estão firmes na disputa. Na minha opinião ele é sim um bom jogador, mas não vale esse dinheiro todo que os caras estão colocando na mesa.

O Santos busca seu reforço em Minas e quer tirar do Cruzeiro seu principal jogador. Esse argentino Montillo é bom de bola. Baita contratação se vier a acontecer. Mas pra falar a verdade não sei se os clubes estão com muita grana ou estão investindo de forma irresponsável. Até porque com exceção do Tricolor, que realmente arrecadou muita grana com a venda de jogadores, ninguém está nadando de braçadas assim no futebol brasileiro.

Até por isso a busca por esse grande reforço tem que ser feita sempre com inteligência e responsabilidade. E sempre perguntar: será que está valendo mesmo a pena? A tal história do custo-benefício…

No futebol ano novo não significa absolutamente nada

Leia o post original por Mion

Feliz 2013 a todos. Este é o primeiro comentário do ano que se inicia. Eu sempre gostei de ser otimista, porém não dá para misturar otimismo com realismo. E quando deparamos com o mundo real do futebol brasileiro não tem como ver horizontes promissores.

A queda de Ricardo Teixeira não representou absolutamente nada. Mudou o cacique, mas está longe a introdução de uma nova Era na entidade. Os vícios continuam. A tribo continua tocando o “mesmo bumbo”. O futebol brasileiro permanece no caminho sombrio da desorganização e sem renovações de ideias. O calendário massacrante e campeonatos colidindo com o interesse dos clubes. Não será em 2013 que o óbvio será assumido: o calendário brasileiro necessita de melhor distribuição e seguir o europeu. Regionais, Copa do Brasil, Brasileiro, Libertadores Sul-Americana podem sim ser  intercalados e realizados ao longo do ano. E não precisam acabar no começo de dezembro. O mês de janeiro é o ideal para encerrar o ano do futebol brasileiro, dividir as férias em duas partes. 15 dias em julho coincidindo com a janela de contratações da Europa e mais 15 dias em fevereiro aproveitando o Carnaval. A nova temporada poderia iniciar em março, como tudo no Brasil. Esta opção não é a ideal, entretanto a mais próxima da realidade mundial.

Na maioria dos clubes continuaremos assistindo as crises financeiras, falta de organização, os jogadores jovens negociados prematuramente, salários astronômicos e dirigentes gastando o que não tem. Empresários mandando nos clubes, donos de jogadores ganhando fortunas e mexendo em toda a estrutura baixando a qualidade técnica, imperando atletas medianos projetados para o mercado europeu: força, velocidade e futebol prático.

Para encerrar, a seleção. É o espelho de tudo isso. Novamente a opção é apostar na fórmula Felipão. Com a falta de talento, formar a tal família Scolari para ganhar Copas da Confederação e do Mundo na base do futebol eficiente e no jogo bruto e burocrático. Feliz 2013 para as pessoas, cada brasileiro pode mudar a sua vida e buscar novos caminhos. Já o futebol vai continuar no rumo sem perspectivas de recomeço e inovações.