Arquivo da categoria: antonio carlos

Antônio Carlos: O Tchê Tchê tem vaga em qualquer time!

Leia o post original por Craque Neto

O volante completará 100 jogos pelo Palmeiras na próxima partida, e o zagueiro Antônio Carlos falou sobre seu companheiro de equipe, que segundo ele tem vaga em qualquer time grande do Brasil.

O post Antônio Carlos: O Tchê Tchê tem vaga em qualquer time! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Time do Fluminense derrubou Enderson Moreira?

Leia o post original por Fernando Sampaio

fred_4Jean foi lá e fez 1×0.

Ok.

Fred teve a chance de “matar” o jogo no pênalti do Prass.

“Matar” entre aspas, esse time do Flu não mata ninguém.

Bateu longe.

Esquisito.

Neste exato momento twittei que a tendência seria o Palmeiras crescer. Não deu outra, o Verdão cresceu e empatou. Quando empatou twittei que a tendência seria virar o jogo. Não deu outra, virou.

Até aí, tudo normal.

Resultado e virada previsíveis.

Após tantas derrotas, sem confiança, era evidente que o Fluminense caísse de rendimento após o pênalti desperdiçado. Anormal foi a postura de alguns jogadores. Fred e Antonio Carlos pareciam estar de sacanagem. O zagueiro furou, não voltou, e ficou olhando o Barrios. Tudo muito esquisito.

Enderson Moreira foi demitido.

Até aí normal.

Fica a pergunta: O time queria derrubar Enderson Moreira?

Vamos aguardar os próximos jogos.

 

Foto André Durão

O futebol brasileiro está metendo os pés pelas mãos

Leia o post original por Quartarollo

Frase nova essa que complementa a manchete aí de cima.  “Meter os pés pelas mãos” é uma frase tão antiga quanto o futebol, mas agora capricharam muito. Só no Brasil bola na mão virou pênalti. O problema é que os … Continuar lendo

O silencioso Ganso desconta sua frustração na imprensa

Leia o post original por Quartarollo

Dar entrevista ou não é um direito de qualquer um. Pedir uma entrevista é um direito do repórter. Paulo Henrique Ganso fez um golaço no clássico de ontem, no Pacaembu, empatando o jogo com o Corinthians no primeiro tempo 1 … Continuar lendo

O disfarce

Leia o post original por RicaPerrone

Nas cadeiras do Pacaembu havia um tricolor. Escondido em meio ao mar alvi-negro, mandante do clássico, se comportou como planejado durante o jogo para não ser descoberto.

Quando Antonio Carlos fez 1×0 para o adversário, ainda aos 9 minutos, foi tão convincente que aplaudiu em pé o gol do “seu Curintia”.  Em seguida, quando Ganso fez o que fez de onde fez, apenas baixou a cabeça, como que escondendo o sentimento de raiva, que na verdade era de euforia pura.

Luis Fabiano vira o jogo e o tricolor disfarçado aperta o celular com uma força incomum, mas suficiente para aliviar a vontade quase incontrolável de gritar gol no meio “deles”.  Ao contrário, ainda ironiza em voz alta: “Pipoqueiro! Só faz quando não vale nada!”.

2×1, o jejum vai terminar.  Apreensivo, ele olha mais em volta do que pro campo, esperando que um amigo rival o surpreenda e acabe com sua saúde ali mesmo.

Mas neste intervalo, enquanto se escondia e torcia, Antonio Carlos fez mais um gol contra. E lá estava ele, em pé, aplaudindo o gol alheio.

O tempo passa. Aos 33 minutos do segundo tempo, já nem pensa mais em ser descoberto após ótima atuação nos dois gols rivais, com aplausos e socos no ar.  Até que uma bola é levantada da esquerda, cruza toda a área do Corinthians e encontra Rodrigo Caio, o único zagueiro que sabia pra que lado atacar no time, que empurra pro gol.

E então nosso amigo, que tanto disfarçou, não se entrega comemorando o gol. Se contém.  Mas ao ver Muricy voltando pro banco de reservas grita: “Tira o Antonio Carlos, Muricy! Tira agora, pelo amor de Deus!!!”.

E em linha reta, sem olhar pra trás, caminha na direção dos policiais para que seja protegido.  Dali, passou para o setor da torcida do SPFC sob vaias e ofensas. E lá, enfim, pode comemorar a vontade a vitória tão suada quanto merecida deste clássico.

Passou por torcedor rival, é verdade. Mas a partir de agora, ai daquele que do lado de lá não fizer isso nas próximas duas rodadas.

abs,
RicaPerrone

Antônio Carlos, o zagueiro-artilheiro, bem que tentou atrapalhar, mas, justamente contra seu maior rival, o São Paulo voltou a vencer clássicos!

Leia o post original por Milton Neves

posto

placar blog 2

Que belíssimo clássico Majestoso tivemos hoje no Pacaembu, meus amigos!

Afinal, um duelo entre rivais, que costuma ser muito truncado, com cinco gols, vamos admitir que é algo raro de se ver.

O mais interessante é que os todos os tentos da partida foram marcados por jogadores do… São Paulo.

Isso mesmo! Antônio Carlos, conhecido como zagueiro-artilheiro, deixou a sua marca duas vezes, mas, em ambos os casos, contra o próprio patrimônio.

Ele bem que tentou, mas não conseguiu evitar a vitória são-paulina diante do Timão, a primeira do Tricolor em clássicos em pouco mais de um ano.

Os gols que deram o triunfo ao time do Morumbi foram anotados por Paulo Henrique Ganso (uma pintura), Luis Fabiano e Rodrigo Caio.

O ponto a se lamentar do clássico foi a atitude de alguns torcedores corintianos nas arquibancadas do Pacaembu.

Afinal, do mesmo jeito que repudiamos manifestações racistas, precisamos repudiar também as homofóbicas, não é verdade?

Uma pena que coisas do tipo ainda aconteçam em pleno século XXI…

charge corinthians x spfc

Ainda no Paulistão, Palmeiras e Santos seguem voando.

O Verdão visitou o Paulista com time misto e venceu com facilidade pelo placar de 3 a 1.

Enquanto o Peixe, jogando em casa, aplicou mais uma goleada, desta vez por 4 a 1 sobre o time do Oeste.

Pela lógica, o time do Palestra Itália e o da Vila Belmiro vão mesmo decidir quem fica com a taça desse Paulistão.

Já pelo Carioca, o Flamengo venceu o Botafogo por 2 a 0 e ficou com o título da Taça Guanabara.

Os gols da partida foram anotados por Gabriel e por Léo.

Opine!

O carnaval do futebol: do goleiro ao ponta-esquerda, aqueles que sambaram com várias camisas!

Leia o post original por Milton Neves

Por Ednilson Valia, Kaique Lopreto e Roberto Gozzi

Quem não tem um amor de carnaval para guardar em suas memórias?

E no futebol não é diferente.

Criamos uma lista do goleiro ao ponta-esquerda que fizeram a folia com várias camisas em diversos carnavais.

Lembra de algum amor de carnaval, conte aqui no blog do Terceiro Tempo:

Clique nos nomes coloridos e confira as páginas dos jogadores no Que Fim Levou.

Manga

Manga

Oh, tanto  riso, quanta alegria, o Arlequim está chorando pelo amor da Colombina

No meio da multidão. Acredito que não existi um goleiro com semblante tão triste quanto o de Manga.  O arqueiro, por muitas vezes inexpugnável, passou pelo Botafogo, Inter e Grêmio alguns carnavais.

 

Paulo-Roberto

Paulo Roberto

Recordar é viver, eu ontem sonhei com você. Não é que o Paulo Roberto, o ala que gastou a bola no Grêmio, São Paulo e Cruzeiro e com folias menos alegres no Corinthians e Fluminense.

Junior-Baiano

Júnior Baiano

Eu passo a mão na saca rolha e bebo até me afogar. Ah, Júnior Baiano, feliz no Palmeiras,  no São Paulo e  também no Flamengo, mas sem a mesma alegria no Vasco.

 

Antonio-Carlos

 

Antonio Carlos Zago

Triste madrugada foi aquela, que eu perdi meu violão. O Zago, que dançou nos bailes de São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Santos, se aposentou  e virou dirigente e depois treinador.

Branco

Branco

O dia já vem raiando, meu bem, eu tenho que ir embora. Branco foi ídolo nos tricolores do Sul e do Rio de Janeiro, respectivos Grêmio e Fluminense, chegou cheio de marra no Timão e foi embora sem levantar a taça e com a felicidade em vão…

Rincon

Ríncon

Quero de novo cantar, tristeza, por favor vá embora…. e o Ríncon, ídolo colombiano, feliz no Palmeiras, mito no Corinthians, não conseguiu  o milagre da ubiqüidade no Santos e Cruzeiro.

bobo

Bobô

Chegou a turma do funil, todo mundo bebe, mas ninguém dorme no ponto e o bom baiano Bobô, liderou aquele espetacular Bahia campeão de 1988, mas não fez jus a boa terra no São Paulo, Corinthians, Fluminense, Flamengo e Internacional.

Neto

Neto

Será que ele é bossa nova? Será que ele é Maomé?  Ele é José Ferreira Neto, imortal no Parque São Jorge, feliz no Guarani e São Paulo, mas triste no Palmeiras, Santos e Galo.

Renato-Gaucho

Renato Gaúcho

Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil, cidade maravilhosa, coração do meu Brasil. E se tem um gaúcho grato pelos encantos cariocas é o Renato Portaluppi, que jogou no Grêmio, Flamengo e Fluminense, sambando com grande qualidade. Já, no Fogão, Cruzeiro e Atlético Mineiro não repetiu o gingado.

 luizao

Luizão

A canoa virou, deixa virar, por causa da menina, que não soube remar, mas Luizão remou com seus gols em quase todos os times que jogou. Mas afundou no Botafogo, Grêmio e Santos.

ederaleixo

Éder Aleixo

Ó abre alas, que eu quero passar, ó abre alas, que eu quero passar, as bombas de Éder abriu os caminhos principalmente no Grêmio e no Galo. Já no Palmeiras…

leao

Leão

Se você fosse sincera, Ô ô ô ô Aurora. Veja só que bom que era, Ô ô ô ô Aurora. Leão passou por quase todos os grandes clubes de São Paulo , Minas e Rio Grande do Sul. Preteriu o Rio. Como diria o jornalista Fernando Calazans: azar do Leão.

Palmeiras bate São Paulo e volta a vencer um clássico depois de quase dois anos. Corinthians aumenta crise com mais uma derrota

Leia o post original por Quartarollo

Palmeiras não vencia um clássico desde fevereiro de 2012 quando bateu o Santos, 2 x 1. Depois disso foram 13 jogos e nada de vitória. Hoje no Pacaembu voltou a vencer um jogo desse tipo. Passou pelo São Paulo, 2 … Continuar lendo

Ponte faz do Morumbi a “sua casa”, dá show no São Paulo e passo decisivo para as finais da Sul-Americana

Leia o post original por Quartarollo

Ponte Preta 3 x 1 São Paulo. Antes do jogo era um placar que dificilmente alguém apostaria. Nem eu, nem o presidente da Ponte, nem o técnico, nem os jogadores do time campineiro, mas foi o que se viu no … Continuar lendo