Arquivo da categoria: Atlético de Madrid

Com ‘segunda chance’ para Griezmann, Braça faz torcedor pensar em Neymar

Leia o post original por Perrone

“A vida tem segundas oportunidades”. O tema do vídeo produzido pelo Barcelona para anunciar a contratação de Griezmann faz uma referência ao fato de no ano passado o francês ter recusado uma oferta catalã. Porém, para alguns torcedores do Barça, a frase soou como uma mensagem para Neymar, que também mereceria uma nova chance após trocar o ex-clube pelo PSG.

Mais do que essa associação de ideias, o slogan criado para o ex-jogador do Atlético de Madri gerou nos contas oficiais do clube no Twitter muitos pedidos e manifestações de apoio à eventual volta de Neymar. Mas também houve rejeição. Entre 306 comentários sobre o vídeo com Griezmann lidos por este blogueiro, 40 falavam do brasileiro. Destes, 30 pediam ou de alguma forma apoiavam seu retorno e 10 continham manifestações contrárias à sua contratação. A pesquisa foi feita nos perfis em espanhol e em inglês do Barça no Tiwtter.

“Neymar está tendo uma segunda chance?”, indagou um torcedor na conta em inglês. E uma torcedora emendou: “boa pergunta. Talvez o clube apenas tenha introduzido essa coisa de ‘segunda chance’ para nos preparar para Neymar”. Outro seguidor já havia escrito: “eles basicamente estão dizendo que vão dar uma segunda chance a Neymar agora”.

Nos comentários no perfil em inglês, entre 109 postagens verificadas pelo blog, 17 apoiavam o retorno do brasileiro e apenas três eram contrárias. As outras não citavam Neymar. Na versão em espanhol, o brasileiro, em atrito com o PSG, também levou vantagem. De 197 comentários abaixo do vídeo sobre chegada Griezmann checados pelo blog, 13 exibiam depoimentos a favor da contratação do brasileiro. Sete traziam posições contrárias.

“Deem a ele uma segunda segunda chance”, dizia uma das postagens acompanhada de um vídeo com belo drible de Neymar nos tempos de Barça. “Neymar também merece uma segunda chance”, “vem, Neymar”, e “anunciem Neymar” foram outras das mensagens de apoio à eventual volta do brasileiro.

Entre os que aproveitaram o tema para protestar contra a possibilidade de retorno do jogador da seleção de Tite, um torcedor postou montagem de Neymar com uma garrafa e dinheiro. Outros escreveram frases como “legal, mas mantenham Neymar longe” e “enquanto essa segunda oportunidade não chegar a Neymar, tudo bem”.

O creme de avelã raiz

Leia o post original por Rica Perrone

Veja você que loucura. O Cristiano sacaneou o Atlético, Simeone fez um gesto “obsceno” e o melhor do mundo o repetiu em campo após atuação de gala. Lá, foi “rivalidade”. Aqui, seria 2 horas num mesa redonda qualquer de debate sobre o limite do entusiasmo após um gol. O futebol é tão lindo quando tratado…

Incomparável!

Leia o post original por Craque Neto

Quando ouço gente defendendo o Neymar dizendo que ele tem todas as condições de ser um dia o melhor jogador do mundo, fico pensando que talvez ele tenha nascido na época errada. Aos 27 anos ele sofre há algum tempo a concorrência direta de dois grandes monstros que já tem um lugar reservado na história dos grandes craques do planeta bola. O que o argentino Messi e o português Cristiano Ronaldo têm feito na última década é algo inacreditável. Se revezam ano a ano na premiação da Fifa. Com exceção da última temporada, onde injustamente o CR7 não ganhou (ficou […]

O post Incomparável! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Em fim de janela, Léo Santos atrai interesse do Atlético de Madri

Leia o post original por Perrone

O zagueiro Léo Santos, do Corinthians, chega ao último dia da atual janela de transferências na Europa, nesta quinta (31), despertando o interesse do Atlético de Madri. Apesar de o tempo ser escasso, no entorno do jogador há quem acredite que os espanhóis ainda façam uma oferta tentadora ao alvinegro para levar o beque.

No final da tarde desta quarta-feira (30), o discurso da diretoria corintiana era de que o clube não tinha sido procurado pela equipe espanhola para tratar do assunto.

Léo Santos começou a temporada pressionado por uma acirrada disputa de vaga na zaga corintiana. Além dele, Henrique, Manoel, Marllon e Pedro Henrique brigam pela titularidade.

Nesta quarta, na derrota por 2 a 0 para o Red Bull,o jovem beque foi improvisado na lateral esquerda por Fábio Carille numa tentativa do técnico de resolver os problemas do time no setor. Os dois gols do adversário saíram de jogadas pela esquerda da defesa, porém, o zagueiro tinha sido substituído por Danilo Avelar no intervalo. Enquanto esteve em campo, Léo não comprometeu a equipe.

A lateral esquerda segue sendo o ponto crítico corintiano depois de o Sevilla rejeitar proposta para vender Guilherme Arana, revelado na base alvinegra, assim como Léo Santos.

Parece até videogame! Tá de brincadeira!?

Leia o post original por Craque Neto

Alguém aí acompanhou o jogo das quartas de final entre Real Madrid e Atlético de Madrid? Pelo amor de Deus! Um baita clássico que fiz pela Band e o Cristiano Ronaldo mais uma vez arrebentou com a partida. Ele marcou três gols e praticamente decretou a classificação do time merengue para a grande final da Liga dos Campeões da Europa. Esse rapaz fez nada mais, nada menos do que 8 gols em 5 jogos de mata-mata. Dá pra acreditar? Trata-se de um atacante incrível. Desses que aparecem de décadas em décadas. Isso se não for de século em século, viu! […]

O post Parece até videogame! Tá de brincadeira!? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Atlético de Madrid sonda Lucas do PSG

Leia o post original por Perrone

O Atlético de Madrid sondou Lucas, do PSG. Um intermediário procurou o estafe do brasileiro para saber se ele teria interesse em defender o clube espanhol. A resposta foi de que no momento ele está feliz no time francês.

Lucas estava infeliz em Paris enquanto era dirigido por Laurent Blanc, demitido no final de junho. Até então, a melhor opção para ele era se transferir em busca de mais espaço numa nova equipe. Porém, com a chegada de Unai Emery para ser o novo treinador, o cenário mudou.

 O brasileiro agora entende que será mais valorizado. Sua resposta fez com que não fosse aberta negociação, mas o blog apurou que os espanhóis não descartam fazer uma proposta.

Se um técnico brasileiro agisse como Zidane seria muito criticado

Leia o post original por Quartarollo

Se um técnico brasileiro agisse como Zidane seria muito criticado

Faltando pouco mais de 15 minutos para acabar o tempo normal, em Milão, e o Real Madrid vencia o Atlético de Madrid, 1 x 0, gol em impedimento de Sérgio Ramos, que mais tarde merecia vermelho por lance violento matando contra-ataque adversário. Vermelho que se diga não apareceu.

A arbitragem foi ruim. Deu um gol em impedimento, um pênalti que não e que o Atlético desperciçou e outro que foi para o Atlético e que não foi dado. Deixou a desejar, não esteve à altura da final.

Com tudo isso acontecendo, Zinedine Zidane, que foi um craque genial na época de jogador, resolveu ser apenas um técnico pragmático e garantir o resultado.

Não tirou Cristiano Ronaldo que se arrastava em campo por motivo de contusão que quase o tirou do jogo porque seria vaiado impiedosamente e com razão, mas sacou Kroos, o motorzinho do meio-campo e o atacante Benzema, tão francês quanto ele.

Minutos depois Carrasco empatou para o Atlético e o título ficou pendurado. Foi para a prorrogação, Simeone tinha mais duas modificações para fazer e Zidane mais nenhuma.

Resultado: os times se arrastaram na prorrogação e nos pênaltis deu Real Madrid, 5 x 3, com a última batida para consagrar Cristiano Ronaldo.

O mesmo CR7 que apareceu sorrindo na conversa com o treinador antes da cobrança.

Se Zidane fosse brasileiro seria criticado veementemente por fechar o time muito cedo e ceder campo para o adversário.

Seria criticado por tirar dois jogadores importantes do nível de Kroos e Benzema e colocar em seus lugares substitutos discutíveis.

A condição física do time seria criticada por quase não suportar mais trinta minutos de prorrogação e o técnico seria criticado porque estava contando piada (sorrindo) com Cristiano Ronaldo antes da decisão dos pênaltis.

Diriam os puristas de plantão: “No momento em que devia estar concentrado (focado seria a palavra mais usada) na decisão não podia fazer isso. Não era hora para sorrir. Onde já se viu isso?”

Se viu na final da Liga dos Campeões num jogo de médio para bom e bem longe das expectativas de todos.

Para muita gente a culpa foi do Atlético de Madrid que tem elenco pior que Real, Barcelona e Bayern, mas que eliminou os dois últimos e chegou à decisão.

Mas se o jogo não foi melhor a culpa foi do Real. O Atlético teve posse de bola e soube o que quis o tempo todo.

Mais um grande trabalho de Simeone, um técnico mais rodado e mais experiente que Zidane, que tem a sorte de ser ídolo do Real e não trabalhar no Brasil.

Aqui seria crucificado até mesmo com o título. Perguntem para Tite, Dorival Júnior, Muricy, Bauza e outros como as coisas funcionam em nosso país.

Tite? Guardiola? Feliz é Fernando Diniz que não tem ninguém para encher o saco

Leia o post original por Quartarollo

Tite? Guardiola? Feliz é Fernando Diniz que não tem ninguém para encher o saco

Dois dos melhores técnicos da atualidade, na minha opinião, vivem semana similar. Cada um num canto do mundo.

Guardiola mais uma vez foi eliminado da Liga dos Campeões. De nada adiantou a posse de bola contra o hermeticamente fechado Atlético de Madrid.

Mesmo em dois jogos não conseguiu se classificar. Foi vaiado no fim de semana porque podia ter sido campeão antecipado na Alemanha, e não seria a primeira vez, e quando saiu do estádio, em Munique, também havia pressão pela eliminação na Liga.

Os gritos de “Fora, Guardiola” são uma afronta ao futebol. Mas ele tem contra si a sombra do técnico anterior      (Jupp Heynckes) que ganhou não só a Bundesliga, mas também Supercopa e Copa da Alemanha e a Liga dos Campeões.

A verdade é que não é preciso ser Guardiola para ganhar jogos e títulos, mas o time dele joga bem futebol e isso é agradável aos olhos, mas nem sempre para quem perde.

Enalteço o trabalho de Simeone no Atético de Madrid. Um técnico tem que saber da limitações da sua equipe e não se expor mesmo. Nada contra, só estou analisando a beleza do jogo e o trabalho em campo.

Como Guardiola fez um trabalho futurista e grandioso no Barcelona, embora sempre diga que o que o seu time jogava  é o que o Brasil jogava em 1982, é sempre cobrado por títulos e espetáculo.

Mas agora só o espetáculo não basta. O futebol é profissional, precisa de dinheiro e para consegui-lo é preciso ganhar também no campo.

Ainda com um crédito incomensurável, Guardiola não fica sem emprego. Vai para o Manchester City, que teve no chileno Manuel Pellegrini um grande treinador.

E Tite? O que tem com isso?

Tite vive uma outra realidade, mas também é um treinador extraordinário e foi eliminado na Libertadores, uma espécie de Liga dos Campeões do lado de cá do mundo.

Viveu, guardadas as devidas proporções, uma semana parecida com a de Guardiola.

Tinha sido eliminado do Paulista há poucos dias e o time no primeiro jogo, em Montevidéu, jogou bulhufas. Foi muito mal, não deu um chute ao gol adversário.

Acabou empatando em casa em 2 x 2 com o Nacional uruguaio e está fora da competição.

Tite começa a ser questionado novamente. É a sina do treinador no mundo todo pelo jeito.

Já ouvi que ele não ganha mata-mata. Mentira, ganhou uma Libertadores invicto e o Mundial no mata-mata. Ganhou Copa do Brasil com o Grêmio contra o próprio Corinthians também no mata-mata.

Na saída do estádio ontem cheguei a ouvir: “Ele não pode escalar Rodriguinho, é muito fraco, podia ter colocado o Guilherme”.

Guilherme? Aquele que todos criticavam e que ainda não se adaptou ao time? Ah, bom, aquele que a mesma torcida queria fora da equipe?

Sempre o de fora é o melhor quando o time perde. “Ah, tem que treinar pênaltis”. Sinceramente você acha que ninguém treina pênaltis no Corinthians? Claro que treina, mas é verdade, não tem dado certo.

Ao contrário de Guardiola, Tite conta com o que tem. Chegou em janeiro para comandar o time que tinha acabado de ser campeão brasileiro (é isso mesmo, se vocês esqueceram o time foi campeão brasileiro há poucos meses) e encontrou o elenco desfalcado por negociações para o exterior.

Teve que repor essas peças com os jogos em andamento. É consertar avião no ar e de vez em quando uma peça ficava pelo caminho.

Quase perdeu Elias e Cássio para o exterior. Daí seriam 9 baixas em relação ao time campeão do Brasil.

Queria ver Guardiola retornando de uma temporada vitoriosa e encontrando o Bayern sem Douglas Costa, Lahm, Neuer, Thiago Alcântara, Robben, Lewandowski e outros mais. Iria embora na mesma hora e ainda chamaria aquilo de imensa falta de profissionalismo.

Agora que ele está indo para o City já enviou a lista de reforços e ela começa só com Neymar e tem outros que não podem passar por equipes brasileiras nem em sonho. Os preços são impraticáveis para nós.

Terá milhões para gastar na montagem do elenco e vai dispensar muita gente boa também. E todos aplaudem.

Acho que Tite gostaria de viver uma situação como essa. Garantia total de emprego por três anos, um salário altíssimo e um dinheirão à disposição para contratar gente boa.

Garanto que não jogaria com Alan Mineiro, Romero, Guilherme e outros. Pensaria mais alto, com certeza.

Por isso que eu digo, feliz mesmo é Fernando Diniz, técnico do audacioso Audax, que já é no mínimo vice-campeão paulista.

Se perder está bom, se empatar está bom e se vencer está ótimo. Não será pressionado, não será cobrado por torcida que o time não tem, não verá seu nome pichado no muro em meio a palavrões, não será obrigado a ouvir insultos e pressões nos vestiários.

Vai continuar a vida e ainda será chamado por nós da imprensa como impetuoso e moderno. Responsabilidade zero.

Mas também não terá os salários de Tite e muito menos os de Guardiola. São os ônus que carregam o bônus. Você ganha mais, também será mais cobrado e precisa vencer mais também.

É o paradoxo do futebol atual e do chamando mundo capitalista. Não há mais romantismo na quentura dos estádios. Só em Osasco para o feliz Diniz.

Bayern x Atlético e vitória do futebol

Leia o post original por Antero Greco

Bayern e Atlético de Madrid fizeram uma semifinal de dar gosto, de satisfazer quem admira o futebol. Os alemães perderam a primeira parte por 1 a 0, precisavam no mínimo repetir o placar para levar para prorrogação e pênaltis. Deram azar, pois venceram por 2 a 1, na Allianz Arena de Munique, e ficaram fora da decisão pela terceira vez consecutiva. Os espanhóis esperam agora o vencedor de Real x Manchester City.

Monotonia não teve espaço no estádio alemão. Do começo ao fim, a disputa manteve-se aberta, com surpresas e possibilidade de reviravolta. E, mais importante, com jogo limpo, sem catimba em excesso, sem violência, sem ignorância. Um lado e outro se preocupou em jogar bola, tarefa simples e bem executada.

O Bayern desempenhou o papel que se esperava dele – o de pressionar, apertar, ir à frente. A responsabilidade da vitória era para a turma de Pep Guardiola. E o treinador espanhol não fez por menos: botou a rapaziada pra o abafa, com Vidal e Alonso na saída de bola, Douglas Costa, Ribery e Muller abrindo espaços e Lewandowski enfiado na área.

A insistência do Bayern poderia ter-lhe rendido vantagem de 2 a 0 antes do intervalo. Mas ficou apenas no gol de Xabi Alonso aos 30, pois Muller chutou pênalti que o goleiro Oblak pegou. O futebol da turma da casa era melhor.

No segundo, o Atlético adiantou-se, empatou com Griezzaman aos 12, levou o segundo (Lewandowski aos 28) e também perdeu chance em pênalti (mal marcado pelo árbitro): Torres chutou e Neuer defendeu. O Bayern insistiu mais até o apito final, sem criar grandes ocasiões para o terceiro gol, aquele que valeria a classificação.

O duelo mostrou que o Bayern continua com belo esquema, tem jogadores talentosos, mas de novo lhe faltou a centelha de campeão na hora H. O Atlético de Diego Simeone é um grupo guerreiro, aplicado, também composto por atletas de bom nível. Tem um pingo a mais, digamos assim, de sangue, na hora do aperto.

 

Simeone, o número 1 do mundo! E Torres, o pior 9 do mundo! Atlético de Madrid na final da Liga dos Campeões!

Leia o post original por Milton Neves

simeone

Bayern de Munique 2 x 1 Atlético de Madrid

Mata-mata é outra história, não é mesmo?

Que jogo emocionante fizeram Bayern de Munique, de Guardiola, e Atlético de Madrid, de Simeone, na tarde desta terça-feira, em duelo válido pela semifinal da Liga dos Campeões.

No final das contas, a equipe espanhola, comandada pelo hoje melhor técnico do mundo, acabou levando a melhor.

Sim, Diego Simeone é atualmente o melhor técnico do mundo.

Afinal, mesmo com o time meia-boca que tem em mãos, o argentino tem conseguido com que o Atlético jogue no mesmo nível dos endinheirados Real, Barça e Bayern.

Algo incrível!

Mas, cá entre nós, enquanto Simeone é o número 1 do mundo, Fernando Torres é o pior 9 do mundo, não é mesmo?

E o que esperar de Guardiola agora no Manchester City?

O badalado técnico, mesmo com tantas estrelas em seu elenco, não conseguiu vencer a Liga dos Campeões com o Bayern nas três temporadas que esteve na Alemanha.

Será que ele está em decadência?

Opine!