Todos os posts de Michelle Giannella

Tite erra ao convocar Willian

Leia o post original por Michelle Giannella

Todos conhecemos o jeitão do Tite. E a contusão de Neymar, que poderia representar algo novo e surpreendente na seleção com a convocação de seu substituto, manteve mais do mesmo.

Tudo bem que é importante haver continuidade e já conhecer os atletas com quem se trabalha na seleção, mas Willian teve uma temporada apenas ok na Inglaterra. Ele cumpre o esquema tático e é agressivo quando necessário, mas Tite perdeu a oportunidade de trazer algo novo e supreendente tanto para ele, quanto para a torcida e os adversários.

Vinícius Junior era o nome do momento. O treinador precisa parar de seguir tanto a cartilha e voltar a apostar no que a torcida quer ver no futebol: ousadia e alegria!

Falta amor à camisa no São Paulo

Leia o post original por Michelle Giannella

Eu sou da época de um São Paulo imbatível. Época de Zetti, de Raí e Rogério Ceni. Sou da época em que os jogadores vibravam e davam tudo de si sob o comando de Muricy.

Quem te viu, quem te vê.

São Paulo que troca de treinador como troca de roupa.

São Paulo que tem no comando uma diretoria que desmancha times e não cria elencos competitivos. Aliás, quando eles parecem estar se formando é quando acabam com tudo vendendo um a um.

São Paulo que tem treinador no comando sem estar no comando…

São Paulo que tem medo de ousar e de arriscar. Falta identidade e ligação entre jogador e clube. Me parece que falta amor para estar ali e defender o manto soberano tricolor.

Meu primo são paulino sofre. Meu cunhado fica de cabeça baixa… e por mais que eu ache que isso tudo faz parte do futebol, me assusta pensar que estão fazendo um time tricampeão mundial se apequenar.

Que elenco é esse que se acovarda quando entra na Arena de Itaquera? Pior ainda, que não consegue jogar bem dentro da própria casa?

Alguma coisa precisa mudar. O São Paulo é muito maior do que qualquer jogador, diretor ou treinador, mas todos esses estão destruindo a linda e vitoriosa história tricolor.

Refém de Neymar?

Leia o post original por Michelle Giannella

Hoje fizemos uma enquete no programa Gazeta Esportiva para saber se o torcedor aprovava a convocação do Neymar pelo Tite para a Copa América e, assustadoramente, deu que não por parte de 78% dos votantes.

Entendo que por um lado Neymar é o maior jogador brasileiro da atualidade, mas entendo também que as atitudes, o comportamento e o futebol apresentado por ele na seleção não agradam. Sendo assim, Tite perdeu a chance de tentar montar um time sem Neymar. Acabar com essa “neymar-dependência” … Mas por quê? Será o atleta tão indispensável assim?

Pensando bem, Neymar é o único atleta que acabará sendo um escudo para o próprio Tite. O treinador poderá se esconder atrás das críticas ao jogador, dividindo com ele a responsablidade em caso de derrota ou as alegrias em caso de vitória.

É o grande jogo do mundo da bola…

O que você acha? Tite é refém de Neymar?

 

Derrota frustrante e vitória incontestável

Leia o post original por Michelle Giannella

Foi uma final frustrante para o São Paulo. Perder o título aos 44 do segundo tempo é de amargar para qualquer um. No segundo tempo, o São Paulo foi covarde, não atacou, não passou do meio campo. Apenas duas pessoas na delegação falaram além de Cuca após o jogo: o diretor de futebol Raí, visivelmente chateado, e Hernanes, abalado. Mas a verdade é que o time não criou chances. Evoluiu, sim, na reta final do Campeonato, mas nada surpreendente. Tudo bem que o Corinthians não apresentou um futebol vistoso, mas talvez tenha tido um pouco mais de vontade de ganhar. E teve a força da Fiel, o 12º jogador que faz o time crescer quando precisa.

Vágner Love, parecia predestinado a viver esse momento.

O Campeonato Paulista representou uma série de números importantes pro Timão: único time do Estado de São Paulo a ser campeão 4 vezes, tabu mantido em Itaquera (em Majestosos são 8 vitórias do Corinthians e 3 empates) fora que esse tricampeonato não acontecia há 80 anos…

Parabéns, Corinthians, a vitória foi merecida. Incontestável.

O São Paulo ganhou confiança!

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

A presença de Cuca, definitivamente, deu novo ânimo ao time. Para os céticos que não acreditavam na equipe do Morumbi, aí está a prova de que no futebol o imponderável e a força de vontade também reinam.

O Palmeiras começou pressionando, parecia que daria um olé no São Paulo, mas o time deixou de ter o mesmo rendimento depois dos primeiros 30 minutos. O São Paulo segurou as pontas e quando o ritmo do Palmeiras baixou, o São Paulo conseguiu se manter e levar a partida para os pênaltis.

Podem falar o que for, mas hoje o São Paulo jogou de igual para igual contra o Palmeiras, as jogadas fluíram, Igor Gomes foi muito bem (lembrando que essa jóia era o quinto reserva da base Tricolor) e a garotada conseguiu uma grande classificação!

Dudu e Bruno Henrique não estiveram bem. Quanto ao VAR… acho muito chato anular um gol, é um banho de água fria, mas é importante para acabarmos com corrupção no futebol.

Muito chato o chororô do Palmeiras. Quando se tem um elenco 10 vezes melhor do que o adversário, não se pode entrar em campo pensando em ir para os pênaltis (Felipão tirou o goleiro titular Weverton para colocar Prass), ainda mais jogando em casa. Também acho um absurdo Dudu e Felipe Melo não terem cobrado os pênaltis.

Na semana passada no meu último post eu já dizia que seria muito complicado para o Palmeiras passar por essa garotada. O São Paulo ganhou confiança com uma moçada cheia de vontade. Agora vamos ver como será esse duelo contra o Corinthians. O jogo promete!

O Palmeiras é imprevisível

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: ALEJANDRO PAGNI/AFP

Pode chamar de Paulistinha, reclamar da arbitragem, fazer biquinho e falar o que quiser do VAR, mas a cabeça do Palmeiras está no jogo do próximo domingo contra o São Paulo. E isso ficou claro hoje na partida da Libertadores. Esqueceram de virar a chavinha.

Hoje, contra o time argentino San Lorenzo, uma vitória era o mínimo esperado, mas o Palmeiras entrou em campo de salto alto e deu no que deu. Derrota por 1 a zero e um Felipão abalado com a atuação da equipe traduziu exatamente o que eu achei do jogo:

“Faltou definir, chutar a bola no gol. Ninguém arriscava. Não adianta nada, temos que ter vontade de fazer o gol. Não tivemos hoje. Não fizemos um jogo normal, que é o jogo do Palmeiras, e pagamos caro. Faltou profundidade, trabalhar a bola bem do meio para a frente. Tivemos uma ou outra chance, mas não foi o Palmeiras que eu gosto não”, completou o comandante.

Sinceramente, sábado não vai ser fácil contra o São Paulo. O Palmeiras é muito imprevisível.

Vitória verde pra dar moral

Leia o post original por Michelle Giannella

O Palmeiras chegará às semifinais do Paulistão com moral elevado. Desde o jogo contra o Melgar, pela Libertadores, o time não tinha um desempenho tão consistente em campo.

Pra quem reclama do retranqueiro Felipão, uma vitória por 5 a 0 fora o show faz o time chegar forte contra qualquer adversário. Tudo bem que estamos falando do modesto Novorizontino, mas seria impossível o time de Dona Leila não meter uma goleada na equipe do interior.

Foi uma luta de David contra Golias. Só que neste caso, contrariando a história, o Palmeiras era o Golias, o gigante, que venceu o menor.

Sobre o jogo, vale dizer que o Palmeiras esteve muito bem no ataque, diversificou, ousou, Gustavo Scarpa brilhou e Borja foi preterido por Felipão que preferiu colocar Arthur Cabral no lugar de Deyverson no final. Parece que o colombiano perdeu espaço.

A final do Paulistão promete. Algum palpite, caro leitor?

 

Deixa que digam, que pensem e que falem!

Leia o post original por Michelle Giannella

Manja aquela música do Jair Rodrigues?

“Deixa que digam, que pensem, que falem, deixa isso pra lá, vem pra cá o que é que tem? Eu não tô fazendo nada, você também… ”

Pois é… Combina com o Neymar.

Ele faz e depois diz que pegam no pé. Deixa que digam.

Ele está em recuperação e vai pular o Carnaval. Deixa que digam.

Ele causa mais alvoroço do que todas as escolas de samba juntas, dá rolé com a Anitta. Deixa que falem.

Dois dias depois corre pro camarote do PSG e reclama ao ver o time ser derrotado. Deixa que pensem…

Neymar, ao contrário de Messi e Cristiano Ronaldo, é mais celebridade do que jogador. E acho que ele gosta disso. Não parece ter o comprometimento necessário para um dia ser o melhor do mundo. Não é mais menino, mas tem a alegria de um jovem que tem o mundo aos seus pés.

Vai Neymar… não ligue para os críticos. Não dá para ter tudo, então curta mesmo a sua vida do jeito que você acha, aproveite e aumente o som. Esse clássico cai bem pra você. Melhor do que os funks da Anitta. Olha a letra aí:

Deixa Isso Pra Lá
Jair Rodrigues

Deixa que digam
Que pensem
Que falem

Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que que tem?
Eu não estou fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Deixa que digam
Que pensem
Que falem

Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que que tem?
Eu não estou fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Vai, vai por mim
Balanço de amor é assim
Mãozinha com mãozinha pra lá
Beijinhos e beijinhos pra cá

Deixa que digam
Que pensem
Que falem

Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que que tem?
Eu não estou fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Deixa que digam
Que pensem
Que falem

Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que que tem?
Eu não estou fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Vem balançar
Amor é balanceio, meu bem
Só vai no meu balanço quem tem
Carinho pra dar

Cássio, o gigante da Fiel!

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Javier Gonzalez Toledo/AFP

Que noite! E como sempre teve que ser no estilo Corinthians: com sofrimento, desespero e uma pitada de angústia. O gol de Cristaldo fez com que Carille realizasse algumas mudanças fundamentais na equipe para o segundo tempo. E finalmente pudemos ver em campo um Corinthians um pouco mais agressivo. Mas vale ressaltar a importância de se ter Vagner Love no elenco. (Eu não tinha tanta certeza se seria uma boa contratação a dele, mas ontem minhas dúvidas acabaram).

Love foi chamado para fazer uma coisa: gols. E fez. Foi o nome do jogo junto com Cássio. O golaço de voleio com a perna esquerda (sendo que nem canhoto ele é) mostra que ter um matador é fundamental para uma equipe grande. Parabéns, Love! Aliás, você cobrou o pênalti como se não tivesse goleiro debaixo das traves, com frieza e precisão.

Carille fez a lição de casa direitinho. Adivinhou como o adversário iria jogar, segurou o time no começo, mas fez o que tinha que fazer : treinou pênaltis. E aí entra o Gigante.

O que dizer de um goleiro como Cássio? O cara pode até tomar um gol besta de vez em quando, mas na hora da decisão, na hora que interessa, na hora que precisa crescer e decidir, ele cresce, dá o nome, vira um gigante debaixo das traves, não treme, só resolve. Cássio, certamente é um dos maiores nomes da história do Timão. E que continue assim por muitos anos, porque lenha, esse monstro ainda tem muita pra queimar.

 

 

 

 

 

 

Deu a lógica! Deu Corinthians!

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press

A crise do São Paulo não é de agora… ela começou lá atrás com Juvenal Juvêncio. O time paga pela incompetência de sucessivas gestões que estão sacrificando o bom futebol do time.

Acontece que o problema do São Paulo parece ser ainda maior. Como um time que quer vencer faz apenas 9 finalizações, sendo apenas uma delas no gol? Isso não é culpa do treinador e da diretoria, ou será que os atletas não sabem qual o objetivo do jogo?

Mancini acabou de dizer na entrevista coletiva pós jogo que a equipe são paulina está com a autoestima baixa. E aí? Como resolver um problema desses?

O Corinthians está num processo de evolução, errou bastante, não finalizou muito, Carille ainda está tentando acertar a zaga da equipe, faz seus ajustes, mas a equipe tem confiança e garra, exatamente o que falta ao rival tricolor. Acredito que o Corinthians vai crescer bastante no ano e que Cuca tem tudo para melhorar o Sâo Paulo, o problema é que ele ainda demora a assumir o comando da equipe. Mais uma atitude da diretoria que não consigo entender.