Todos os posts de Perrone

Opinião: Coutinho dá aula para Neymar

Leia o post original por Perrone

Ao acertar sua ida por empréstimo ao Bayern, Philippe Coutinho gerenciou melhor seu futuro de que Neymar, na opinião deste blogueiro.

O jogador do PSG e seu estafe deveriam aprender com a forma como Coutinho encontrou seu destino na atual temporada.

Assim como Neymar, Coutinho entendia precisar de novos ares. Porém, diferentemente do ex-santista, ele não entrou em rota de colisão com diretoria e torcida de seu clube. Foi discreto. Não tocou fogo no circo. E não deixou a novela se arrastar.

O resultado é que Coutinho já sabe onde vai atuar nesta temporada e começa a tocar seus projetos. Conseguiu um time forte e que acena para ele com a chance de desenvolver papel importante.

O empréstimo é por um ano, mas há opção de compra por 120 milhões de euros. Caso se destaque num time do tamanho do Bayern, o brasileiro terminará o período muito valorizado.

Porém, se ele não for bem, deixou as portas abertas no Barcelona. Saiu pela frente e por lá retornaria.

Enquanto isso, em Paris, Neymar agoniza. Atrasa seu reinício de temporada e vê ao seu redor um ambiente hostil, do qual ele mesmo foi o principal arquiteto.

E se voltar ao Barcelona, vai encarar parte da torcida de cara amarrada por causa da forma como saiu da Catalunha.

Não estou aqui pra dar lição de moral, mas Neymar e seu pai poderiam prestar atenção na aula dada por Coutinho e sua  equipe.

Nem toda transferência precisa bater recordes financeiros. É possível recuar um passo para avançar muitos em seguida. Forçar a barra e gerar inimizades não são as únicas formas de se conseguir uma mudança.

Com preço fixado em R$ 531,3 mi, Coutinho espera ser peça-chave no Bayern

Leia o post original por Perrone

Bayern, Barcelona e Philippe Coutinho acertaram verbalmente, nesta sexta (16), acordo que deve ser oficializado em breve para o brasileiro ser emprestado ao time alemão por uma temporada. A negociação deixa no ar a pergunta: por que o meia preferiu um empréstimo a ficar no Barcelona?

De acordo com pessoa próxima ao atleta, os alemães apresentaram um projeto no qual ele aparece como peça-chave no esquema do técnico Nico Kovac. Caso isso se concretize, ele viverá uma situação diferente da enfrentada no Barça, pois vinha perdendo espaço no time catalão.

Há ainda a possibilidade de Coutinho ser comprado pelo Bayern, caso se destaque na próxima temporada. Conforme apurou o blog, sendo oficializado o empréstimo, a agremiação de Munique poderá fazer a aquisição definitiva se pagar 120 milhões de euros (R$ 531,3 milhões).

O encaminhamento do acordo contraria a previsão inicial do estafe do brasileiro que avaliava ser muito difícil um empréstimo. Conforme mostrou o blog, desde a última quinta (15), os responsáveis pela carreira de Coutinho tratavam como improvável o envolvimento dele como moeda de troca numa operação que colocaria Neymar de volta ao Barcelona. O motivo seria falta de dinheiro na mão dos espanhóis para completar as exigências dos parisienses.

Estafe de Coutinho vê troca por Neymar difícil por falta de grana do Barça

Leia o post original por Perrone

Com João Henrique Marques, do UOL, em Paris

O estafe de Philippe Coutinho já vê como difícil o envolvimento dele numa troca por Neymar. A avaliação é de que o Barcelona não tem dinheiro na mão para satisfazer ao PSG. Segundo o jornal francês “L’Équipe”, os parisienses querem pelo menos 100 milhões de euros (cerca de R$ 450 milhões) em cash, além de jogadores, para fechar o negócio.

Por sua vez os catalães planejam colocar a menor quantia possível na transação, fazendo a maior parte do pagamento com a cessão de atletas. Coutinho é uma das principais opções.

A dificuldade do Barcelona se deve ao fato de o clube já ter feito altos investimentos nesta temporada. Só com Griezmann foram gastos cerca de 120 milhões de euros (R$ 535,3 milhões). Para ter De Jong, o investimento foi de aproximadamente 75 milhões de euros (R$ 334,6 milhões).

Além, de considerar difícil a troca, o estafe de Coutinho também acredita ser improvável que o PSG faça uma proposta independente pelo jogador, sem envolvimento na operação envolvendo Neymar.

Outra possibilidade vista como remota é a de um empréstimo para o Bayern. A primeira sondagem dos alemães em relação a Coutinho foi nesse sentido, mas não vingou. Nesse cenário, o brasileiro segue com seu futuro indefinido.

Empresa que geria Fiel Torcedor recebe R$ 14 mi em rescisão com Corinthians

Leia o post original por Perrone

Para rescindir seu contrato com o Corinthians, a Omni, responsável por implementar e gerir o programa de sócio-torcedor do clube, assegurou uma indenização de R$ 14 milhões divididos em 60 prestações mensais com correção pelo IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado). Quando o distrato foi acertado faltavam 14 meses para o compromisso acabar. O anúncio da troca da antiga parceira pela IBM na operação do Fiel Torcedor foi feito em dezembro do ano passado.

Procurada pelo blog por meio de sua assessoria de imprensa, a diretoria alvinegra afirmou que não comentaria o assunto. Marta Alves de Souza Cruz, sócia da Omni, não respondeu até a publicação deste post a questionamentos feitos por este blogueiro sobre o tema por meio de mensagem pelo WhatsApp.

Duas fontes ligadas ao presidente corintiano, Andrés Sanchez, confirmaram ao blog o valor e a forma de pagamento da indenização. Também afirmaram que foi construída uma engenharia financeira no contrato com a IBM que evita que o clube tenha prejuízo com a quantia paga à antiga parceira. A explicação é de que a mensalidade repassada para a Omni é descontada do montante a ser pago mensalmente para a IBM.

O contrato com a Omni era um dos mais criticados por conselheiros do clube, que consideravam altas as taxas cobradas pela empresa. Diferentes diretorias foram pressionadas para tirar a Omni de todas as operações no Corinthians. A empresa também deixou de administrar o estacionamento da arena corintiana, mas mantém outras atividades no clube. A Omni chegou ao alvinegro com Andrés na presidência e Luis Paulo Rosenberg no marketing, na passagem anterior da dupla pela direção, e teve dois contratos rescindidos com os mesmos cartolas no comando. Rosenberg, porém, não faz mais parte da diretoria na atual gestão.

Contra ‘juros altos’, Andrés fala em recuperação judicial de fundo da arena

Leia o post original por Perrone

Em reunião do Conselho Deliberativo do Corinthians na última segunda (12), Andrés Sanchez cogitou o pedido de recuperação judicial do fundo que controla o estádio do clube caso não haja um acordo com a Caixa Econômica Federal para a redução dos juros cobrados no financiamento feito junto ao BNDES para permitir a construção da casa alvinegra.

De acordo com três conselheiros ouvidos pelo blog, Andrés disse que sua próxima meta é negociar com o banco a redução dos juros. Em seguida, afirmou que uma possibilidade, caso a diminuição da taxa não aconteça, é o fundo pedir a recuperação judicial. O presidente corintiano não fala com este blogueiro, por isso foi impossível ouvi-lo sobre o tema.

Porém, aliado do dirigente afirmou que Sanchez apenas quis mostrar um dos argumentos que têm para tentar convencer a Caixa a fazer um pacto, mas que não existe a mínima intenção de fazer o pedido. Seria apenas uma maneira de dizer ao banco que o fundo não teria condições de continuar honrando seus compromissos sem o acerto por juros menores.

Vale lembrar que a decisão não poderia ser tomada só pelo Corinthians, já que a Odebrecht também é cotista do Arena Fundo de Investimento, assim como a empresa Arena Itaquera, criada especificamente para a operação envolvendo a arena. O pedido de recuperação judicial acontece quando uma empresa não consegue pagar suas dívidas e recorre à Justiça para buscar sua reorganização com o objetivo de evitar a decretação de falência.

Para viabilizar a construção do estádio, Corinthians e Odebrecht buscaram a Caixa como intermediária para levantar um financiamento de R$ 400 milhões no BNDES, parte interessada num eventual acordo. Apesar de se queixar das taxas de juros, a diretoria corintiana alega que está em dia com suas obrigações.

Na mesma reunião em que ventilou o pedido de recuperação judicial, Andrés afirmou que fechou com a Odebrecht um acordo para reduzir a dívida do Corinthians com ela e que o trato será oficializado em breve. Procurada pelo blog a construtora afirmou que “reforça que continua mantendo conversas construtivas com o clube em busca de uma solução que atenda à expectativa de ambas as partes’.

Estafe de Philippe Coutinho vê empréstimo para Bayern como difícil

Leia o post original por Perrone

Na avaliação do estafe de Philippe Coutinho, neste momento, é difícil ser concretizada a transferência do jogador para o Bayern por empréstimo. Essa possibilidade foi a primeira aventada pelos alemães para viabilizar a negociação. Só que as alternativas apresentadas não seduziram inicialmente o Barça. A expectativa no entorno do brasileiro é de que as conversas continuem, já que os catalães não fecharam as portas para o clube de Munique.

Existe ainda a chance de o Bayern fazer uma proposta de compra pelo meia, mas nesse caso a negociação também não seria simples por conta dos altos valores que seriam envolvidos. A tentativa de empréstimo deixa clara a intenção do time alemão de economizar na negociação.

No Barcelona, Coutinho é visto como um dos jogadores que podem entrar numa eventual transação com o PSG por Neymar. Assim, os catalães devem ser cautelosos ao analisar as ofertas para o brasileiro. Por exemplo, ceder o jogador da seleção brasileira por empréstimo representaria o fim da chance de usá-lo como pagamento por Neymar e sem receber uma quantia substancial para investir na operação com os parisienses.

Criticado por torcedores do Barça na última temporada, Coutinho vive um cenário de indefinição, já que nenhuma possibilidade (empréstimo, venda, troca ou permanência na Espanha) está descartada por enquanto.

 

Com ataque criticado, Corinthians é time que mais apanha no Brasileiro

Leia o post original por Perrone

Alvo de críticas de torcedores e comentaristas por conta de seu desempenho ofensivo, o Corinthians é o time que mais sofre faltas no Brasileirão. Em tese, a interrupção de jogadas com infrações prejudica o rendimento no ataque.

De acordo com o site Footstats, o alvinegro paulista recebe em média 16,1 faltas por partida. Segundo colocado no ranking, o Botafogo apanha 15,6 vezes por partida, em média. O corintiano mais atingido pelos rivais, entre os que jogam constantemente, é um dos responsáveis pelo setor de criação da equipe, Mateus Vital. Em média, ele é parado com infrações 2,1 vezes por jogo.

O palmeirense Dudu e Léo Sena, do Goiás, são os que mais apanham no campeonato. Em média, eles sofrem 3,8 faltas por jogo.

Apesar de ser prejudicado pelas infrações cometidas por seus adversários para parar as jogadas, o Corinthians exibe outra estatística que explica melhor as dificuldades de seu ataque. O atual campeão paulista tem uma das piores médias de finalizações certas do Brasileirão por jogo: 3,8. Só Avaí (3,5), Botafogo (3,5) e CSA (2,7) ostentam números piores.

A média corintiana de gols por apresentação é de 1,1. Em termos comparativos, o Flamengo tem a melhor marca. Em média, são dois gols por jogo.

Santos usa “haters” para explicar contrato polêmico com criminalistas

Leia o post original por Perrone

Num dos trechos polêmicos de seu relatório sobre as contas do Santos no primeiro trimestre deste ano, o Conselho Fiscal do clube questiona contrato de um ano feito com escritório de advocacia da área criminalista para atuar de forma preventiva. De acordo com o documento, a diretoria justificou a contratação alegando haver crescimento no número de “haters” agindo contra cartolas e funcionários nas redes sociais.

O órgão argumenta que por não considerar comum uma entidade esportiva contratar um escritório criminalista por um ano para atuar preventivamente, com pagamentos mensais, questionou o departamento jurídico do clube.

“A informação recebida foi a de que houve um crescente aumento de ofensas, sobretudo via redes sociais, a membros do CG (Comitê de Gestão) e a funcionários do clube, demandando muitas ações, optando-se por contratar um escritório fixo para barateamento dos custos”, diz o documento.

O Conselho Fiscal entende que o padrão é o clube contratar defensores na esfera criminal pontualmente, conforme houver a necessidade de ações na Justiça.

O órgão também afirma que está aguardando relatório do departamento jurídico com detalhes sobre os casos defendidos pelo escritório, que também atua nas ações que já existiam.

Não há no parecer o valor pago mensalmente ao escritório Malavasi Sociedade de Advogados, contratado em janeiro para prestar “serviços jurídicos na esfera criminal, de consultoria preventiva, extrajudicial, administrativa na defesa do contratante (Santos), e de seus prepostos e funcionários”.

O blog tentou ouvir a diretoria do Santos sobre o tema, mas não obteve resposta.

Conforme mostrou o blog, o relatório do Conselho Fiscal também detalha aluguéis de carros para jogadores e o presidente do Santos, José Carlos Peres, além de comissões pagas em contratações.

 

Saiba quanto o Santos topou pagar de comissão em cada contratação até março

Leia o post original por Perrone

Relatório do Conselho Fiscal do Santos  sobre as contas do primeiro trimestre de 2019 atesta que o clube gastou R$ 4.707.400 em pagamentos  de comissões por intermediações de oito contratações até o final de março.

O maior gasto foi na contratação de Soteldo. O documento mostra despesa de R$ 1,5 milhão em comissões só nessa operação. São R$ 360 mil em nome de Daniel Manucheri e R$ 1.140.000 para assessoria Twentytwo.

O segundo comissionamento mais caro foi gerado pela negociação com o técnico Jorge Sampaoli. Ficou acertado o pagamento de R$ 1.358.400 para a empresa Sport and Legal Services LLC.

Por intermediar a ida de Felipe Jonatan para a Vila Belmiro, a REC Sports Assessoria Esportiva assegurou comissão de R$ 336 mil. A mesma empresa faz jus a R$ 650 mil por intermediar o acerto entre Santos e o goleiro Everson.

Na contratação do lateral Jorge ficou acertado pagamento de R$ 280 mil a título de comissão para a Brasil Soccer Sports.

Para acertar com Jean Lucas, emprestado pelo Flamengo, o alvinegro se comprometeu a pagar comissão de R$ 280 mil para a Brasil Soccer Sports.

Já a contratação de Felipe Aguilar tem prevista comissão de R$ 400 mil divididos igualitariamente entre BB Soccer Publicidade e Marketing e MJF Publicidade e Promoções.

Já a chegada de Alan Cardoso gerou pagamento de comissão de R$ 63 mil para a GMR Sports.

O blog não conseguiu ouvir a diretoria do Santos sobre o relatório do Conselho Fiscal por meio de sua assessoria de imprensa.

 

 

Jeep e BMW para Peres e folha salarial de R$ 13,6 mi. As contas do Santos

Leia o post original por Perrone

Relatório do Conselho Fiscal do Santos relativo às contas do primeiro trimestre de 2019 aponta que o presidente José Carlos Peres passou a ter à sua disposição um Jeep alugado pelo clube e um BMW cedido em regime de comodato. Há ainda menção a veículos alugados para jogadores e funcionários.

O documento também aponta que o alvinegro registrou déficit no período contrariando previsão de superavit. Também existe registro de aumento das despesas com a folha salarial do elenco.

De acordo com o relatório, os veículos foram providenciados em fevereiro deste ano. O aluguel de um Jeep Compass para uso de Peres tem custo mensal de R$ 5.666,98 mensais.

Automóveis do mesmo modelo e custo foram alugados para Derliz Gonzales e Bryan Ruiz. Carro igual, segundo o documento, foi alugado para Jorge Sampaoli, mas devolvido em abril. No mesmo mês foi devolvida uma Mercedes GLA, alugada por R$ 2.186,02 mensais. Não há especificação de quem usava o automóvel. Outra devolução foi a de um Jeep Renegade apontado no relatório como sendo usado até então pelo funcionário Rodrigo Monteiro.

São citados ainda dois modelos do Jeep Renegade alugados para os funcionários Fernando Volpato e Monteiro e Marcelo Frazão.

O gasto mensal indicado pelo Conselho Fiscal com veículos até 17 de abril com veículos alugados foi de R$ 31.412. Com a devolução de três carros, a despesa por mês caiu para R$ 21.372,98.

O relatório afirma que o contrato de comodato com a BMW prevê também um veículo para Sampaoli. Porém, o órgão não obteve informações sobre se o acordo prevê custos para o Santos.

Deficit

Em trecho reservado para as finanças o documento registra que o clube teve deficit de R$ 18.203.348 no primeiro trimestre. Segundo o Conselho Fiscal a previsão orçamentária projetava superavit de R$ 13.408.840,59.

Segundo o relatório, a dívida a curto prazo do Santos passou de aproximadamente R$ 355,5 milhões em dezembro do ano passado para cerca de R$ 393,4 milhões no final de março deste ano.

Já o débito a longo prazo subiu de R$ 209,8 milhões em dezembro do ano passado para aproximadamente R$ 224,8 milhões em março de 2019.

Empréstimos

No primeiro trimestre o Santos fez, de acordo com o relatório, empréstimo junto ao BMG no valor de cerca de R$ 25,6 milhões. O gasto previsto com juros é de aproximadamente R$ 2,02 milhões.

Folha de pagamento

O Conselho Fiscal demonstra preocupação com as despesas do departamento de futebol. A conta é que em março o gasto com salários, direitos de imagem e encargos referentes ao time profissional foi de R$ 13.628.460.

O órgão sustenta que no primeiro trimestre de 2018 essa despesa foi de R$ 9.518.000.

Sem resposta

O blog tentou ouvir Peres e sua diretoria sobre o relatório por meio da assessoria de imprensa do Santos, mas não obteve resposta até a publicação deste post.