Todos os posts de Perrone

Carille paga conta por fraco desempenho de Boselli

Leia o post original por Perrone

Fábio Carille começa a pagar a conta pelas fracas atuações de Boselli no Corinthians. No clube, incluindo gente da comissão técnica, há quem cobre o treinador por ter indicado o argentino.

O técnico já disse em entrevista que observava o atacante desde os tempos em que era auxiliar e que se impressionava com sua habilidade para abrir espaços na área adversária.

O jogador, porém, não aproveitou a ausência de Gustavo, após lesão do titular, para se firmar na equipe. Na derrota por 1 a 0 para o Flamengo, na última quarta (15), pela Copa do Brasil, Boselli foi um dos mais criticados pela torcida.

As más atuações reforçaram no clube a lembrança de que o treinador pediu a contratação para a diretoria. A cada jogo, a desconfiança em relação ao argentino em Itaquera aumenta.

Depois da do jogo com o Flamengo, Carille apontou serem duas as dificuldades de Boselli: o time entender a forma dele de jogar e o atacante se adaptar à intensidade de jogo proposta pela equipe.

O técnico afirmou ainda que acompanha constantemente o futebol mexicano, onde Boselli atuava pelo León, e que lá a intensidade de jogo é diferente. Por isso, segundo o treinador, o atacante está tendo problemas. Ou seja, o comandante sabia da diferença de estilos quando indicou o reforço.

 

 

Blindar seleção de poder ‘tóxico’ de Neymar está mais difícil para Tite

Leia o post original por Perrone

Este blogueiro avalia que Tite acertou ao convocar Neymar para  a Copa América. Não faria sentido deixar a maior reserva técnica do país fora da competição por conta de uma indisciplina (agressão a torcedor) praticada com a camisa do PSG.

Porém, é preciso ter consciência de que Neymar pode contaminar a seleção com essa ou outras polêmicas. Indicador disso é o fato de o assunto ter invadido a entrevista coletiva do treinador sobre a convocação nesta sexta (17).

Não é novidade que Neymar tem  potencial “tóxico”  para  suas equipes. É um efeito colateral para quem conta com seu imenso talento.

Tudo que acontece com ele e seu estafe faz mais barulho. Natural que seja assim. Acontece com os grandes, mas claro que existem alguns exageros por  parte de torcedores e jornalistas.

O fato novo é que Tite não tem mais o mesmo poder para blindar a seleção de eventuais problemas envolvendo seu principal jogador.

Antes da Copa da Rússia ele era quase unanimidade entre torcida e imprensa. Depois da eliminação nas oitavas de final do Mundial, diante da Bélgica, seus atos passaram a ser mais questionados.

A situação do técnico é como a de alguém que manipula um material valioso e indispensável,p tóxico. E sua máscara de proteção está frouxa.

Qualquer defesa do treinador a Neymar numa situação difícil do astro do PSG durante o torneio resultará em pancada no técnico e poderá invadir a intimidade da seleção.

Isso num mento de pressão. Se perder a Copa América em casa Tite deverá ver gente pedindo sua cabeça. Assim, ele convive ao mesmo tempo com um Neymar que pode ajudá-lo a conquistar o título ou a complicar sua permanência na seleção.

O que Janaina Paschoal tem a ver com retorno de cervejas a estádios de SP

Leia o post original por Perrone

O que Janaina Paschoal (PSL-SP), uma das autoras do pedido de impeachment de Dilma Rousseff e deputada estadual mais votada da história de São Paulo, tem a ver com o desejo de quem quer voltar a tomar cerveja nos estádios paulistas? Ela é uma adversária de peso para o retorno das bebidas alcoólicas nas arenas e ganhou importância no processo.

A deputada foi nomeada relatora na Comissão de Constituição Justiça e Redação (CCJR) para a análise de emenda que obriga a realização de blitz com bafômetro nos arredores dos estádios em dias de partida, caso o projeto seja aprovado.

Janaina, autora de projeto de lei que veta festas com “open bar” nas universidades paulistas, votou contra a emenda. A comissão acompanhou seu voto na última quarta (15).

O veto seria uma demonstração de que a deputada entende que não é necessário reforçar a fiscalização contra motoristas embriagados caso a lei passe? Não é o que ela afirma em sua justificativa para o veto.

Janaina classifica o projeto para a volta das bebidas alcoólicas nos estádios, de autoria do deputado Itamar Borges (MDB),  como inconstitucional. Assim, entende ser impossível aprovar a emenda do bafômetro.

“Não há nenhum interesse público que possa justificar seguir adiante com um projeto de lei natimorto, como é o ora analisado. Natimorto por ser inconstitucional, natimorto por ser ilegal e natimorto por ter um veto anunciado e decisões judiciais contrárias!”, afirma Janaina em seu parecer.

No documento, ela cita casos em que a volta de bebida alcoólica foi aprovada em outros Estados, mas derrubada pela Justiça.

Curiosamente, a deputada aparecia como uma das signatárias da emenda que pedia a fiscalização com bafômetro. Antes de elaborar o parecer, no entanto, ela pediu a retirada de seu nome do documento, alegando que ele ali estava por um erro. Sustentou que apoiar a emenda significaria concordância com a proposta de liberação de bebidas alcoólicas nas arenas.

O projeto agora segue seu trâmite passando por outras comissões. Nesse momento está na comissão de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários.

Depois de passar por todas as comissões, ele volta para ser votado em plenário. Se aprovado, pode ainda ser vetado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB).

Opinião: por que mesmo com escalação ousada, Corinthians teve ataque fraco?

Leia o post original por Perrone

Mesmo iniciando o jogo com uma escalação teoricamente ofensiva, com Ralf como único volante de origem, e Boselli e Love jogando juntos, o Corinthians não foi forte no ataque na derrota por 1 a 0 para o Flamengo, nesta quarta (15), pela Copa do Brasil. Isso ocorreu por uma série de motivos. Confira a seguir.

Posicionamento

Os meio-campistas corintianos se preocuparam muito em manter seus postos na faixa central do gramado para não dar espaços ao rival. Isso funcionou defensivamente, gerando dificuldades para a criação do Flamengo.

Mas, ofensivamente não deu certo. Na maioria das vezes, o alvinegro chegava ao ataque em desvantagem numérica em relação à defesa flamenguista.

Distância

Esse posicionamento quase fixo dos meio-campistas alvinegros fazia com que quem estivesse com a bola no campo de ataque contasse com poucas opções para fazer o passe na maior parte do tempo.

O principal exemplo foi o sofrimento de Clayson, que em diversas oportunidades foi marcado por dois ou até três rivais sem receber ajuda dos companheiros.

Lentidão

De novo, o time de Fábio Carille sentiu a falta de jogadores capazes de fazer a transição para o ataque em velocidade, sem abusar dos passes laterais e para trás. A bola “engasgada” no meio-campo dava tempo para a defesa do Flamengo se reorganizar.

Passes errados

Os erros nas trocas de bola também impediram que o alvinegro contra-atacasse com rapidez. O índice de acerto de passe da equipe de Carille foi de 86%, pior que o do Flamengo, que também não foi brilhante nesse quesito, registrando precisão de 88,41%.

Falta de pontaria

Quando teve a chance de finalizar, o Corinthians errou na maioria das vezes. Acertou apenas dois arremates e errou cinco. Já o Flamengo, finalizou com eficácia quatro vezes e falhou em seis.

Desafetos tentam excluir filha de Peres do Santos. Ela fala em ir à Justiça

Leia o post original por Perrone

Mensagens atribuídas a mulher e filha de Peres criticam oposição e o vice Orlando Rollo (à esq. na imagem). As duas negam a autenticidade do áudio. Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Na última terça (14), um grupo de conselheiros do Santos protocolou no Conselho Deliberativo pedido de expulsão de Daniela Rocco Peres do quadro associativo do clube. Filha do presidente José Carlos Peres, ela é acusada de ter ofendido adversários políticos de seu pai em sua conta no Facebook.

Daniela nega ter feito as ofensas, afirmando que as mensagens atribuídas a ela são falsas. Ao blog, a filha do cartola também falou em eventualmente se defender na Justiça.

“Não fui notificada sobre esse requerimento, só ouvi dizer. Então, não tenho nada a declarar. Vou esperar chegar algo pra mim e vou me defender. Se precisar, vou até à Justiça fazer a minha defesa. É um pedido totalmente político”, declarou ela.

O imbróglio começou no mês passado, depois de as contas de Peres serem reprovadas pela primeira vez (nesta terça o conselho ratificou a reprovação). Naquela ocasião circularam em grupos de WhatsApp mensagens que teriam sido postadas pela mulher de Peres, Maria de Lourdes Rocco.

“Esses conselheiros são amigos do Marcelo Teixeira e do (Modesto) Roma (ex-presidentes), que quase fechou as portas do Santos. São abutres querendo trazer o tal (Orlando) Rollo (vice-presidente licenciado) de volta. Nós, torcedores do Santos, temos que abrir o olho, senão os ladrões vão voltar”, dizia uma das mensagens. À Daniela, foi atribuído o seguinte comentário, supostamente em resposta à mãe: “li. Essa corja não vale nada”.

Em meio à polêmica, Maria de Lourdes escreveu texto afirmando que as afirmações eram falsas. A mulher do presidente não é sócia do Santos, por isso o requerimento não pede medidas contra ela.

O documento, encabeçado pelo conselheiro Antônio Alfredo Glashan diz ser inadmissível parentes do presidente do clube irem às redes sociais criticar conselheiros eleitos para fiscalizar a gestão.

A solicitação de expulsão se baseia em artigo que prevê a possibilidade dessa punição para quem “atingir por ato público ou manifestação escrita ou verbal a reputação, a integridade, o prestígio ou o conceito moral e o bom nome do Santos, de seus órgãos ou dos membros desses órgãos.”

O estatuto santista diz que cabe ao Comitê de Gestão (CG) decidir sobre eventuais punições aos associados. Porém, o requerimento afirma que, como Peres preside também o CG, ele participaria do julgamento da própria filha. Assim, o documento pede para o caso seja decidido pelo Conselho Deliberativo (CD).

O blog procurou Marcelo Teixeira, presidente do CD para saber sua decisão sobre o caso. “Não vimos ainda o requerimento. Pode ter sido protocolado depois da reunião. A mesa (do CD) se reunirá e avaliará o pedido. Se necessário, vai encaminhar à comissão do estatuto para um parecer”, afirmou o dirigente.

Durante a reunião, Teixeira negou solicitação de conselheiros para que o órgão aprovasse uma manifestação de repúdio contra supostas manifestações de mulher e filha do presidente. “Houve o esclarecimento, não pertencia à página (da mulher de Peres) e não foi autora do texto. Foi retirado e postado texto dirimindo quaisquer dúvidas”, afirmou o presidente do conselho justificando a negativa.

Com Eder Traskini, do UOL, em Santos

Corinthians e Flamengo começam duelo sem trio que custou quase R$ 100 mi

Leia o post original por Perrone

Corinthians e Flamengo devem iniciar a partida desta quarta (15) pelas oitavas de final da Copa do Brasil, em Itaquera, sem três jogadores que juntos custaram quase R$ 100 milhões. Os flamenguistas Vitinho e Piris da Motta e o corintiano Angelo Araos representaram para seus clubes gasto de R$ 97.939.000. Os números referentes às contratações estão nos balanços dos dois times relativos a 2018.

Vitinho e Piris são reservas que entram na equipe. Ambos participaram da vitória do Flamengo, que poupou titulares, sobre a Chapecoense, no último domingo, por 2 a 1, e foram bem. Por sua vez, Araos não atua há três meses e pode ser emprestado.

Para tirar Vitinho do CSKA, o Flamengo investiu R$ 53.932.000, de acordo com o balanço do clube.

O documento mostra também que o gasto para buscar Piris da Motta no San Lorenzo foi de R$ 23.404.000. Nos dois casos, os montantes são registrados como “valor reconhecido incluindo gastos necessários”.

Nessas despesas necessárias não estão comissões pagas a empresários, já que existe outra tabela com tais gastos. Nela, está registrado o pagamento de R$ 2.469.000 com comissões na compra de Piris da Motta. O dinheiro foi repassado para IG Teams e Players S.A. Não há registro de gasto de intermediação na compra dos direitos de Vitinho.

No balanço corintiano, é divulgado o valor de R$ 20.603.000 como custo da contratação de Araos junto à Universidad de Chile. Ele é o jogador mais caro de uma lista de 35 contratações feitas pelo alvinegro nos últimos anos. A relação foi divulgada no documento sobre as finanças no ano passado.

Promotor adepto de torcida única se afasta do futebol: “caminhada terminou”

Leia o post original por Perrone

Paulo Castilho, famoso por sua atuação como promotor em  casos de violência envolvendo torcedores em São Paulo, foi promovido a procurador de Justiça Criminal do Estado. Em rápida mensagem de áudio ao blog, o ferrenho defensor dos clássicos paulistas com torcida única, disse que sua jornada no futebol acabou.

“Desde 2 de maio fui promovido a procurador de Justiça e não é mais minha atribuição essa parte de violência no futebol, tá? Minha caminhada terminou no final de abril”, disse Castilho.

O despacho com a promoção foi publicado no dia 30 do mês passado e afirma que ele foi promovido por merecimento ao cargo de 99º procurador de Justiça Criminal. A promoção é assinada pelo procurador-geral de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Poggio Smanio.

Castilho ocupava a posição de 1º promotor do Juizado Especial Criminal, que lida com casos de violência nos estádios e fora deles.

Basicamente, a diferença é que ele deixa de atuar em primeira instância para exercer suas funções em segunda. Assim, não poderá mais abrir inquérito ou instaurar processos contra torcedores violentos, por exemplo. Porém, ainda terá a possibilidade de sugerir a abertura desses procedimentos. Em tese, ele pode trabalhar em um caso que envolva violência entre torcedores, se houver recurso.

Recentemente, o agora procurador acompanhava o racha na Mancha Alviverde. As autoridades suspeitam que uma divisão na torcida gerou crimes como o ataque ao ônibus com a delegação do Palmeiras antes da vitória sobre o Junior de Barranquilla, por 3 a 0, no mês passado pela Libertadores.

Até seu último dia como promotor, Castilho defendeu a manutenção do esquema de torcida única nos clássicos entre os grandes de São Paulo. Segundo ele, dados da Secretaria de Segurança Pública mostravam a redução da violência nos dias desses jogos desde a implantação da medida.

São Paulo pagou cerca de 28% de comissão em 2018 por venda de Militão

Leia o post original por Perrone

Foto: Rafael Marchante/Reuters

O balanço do São Paulo referente a 2018 mostra que o clube se comprometeu a pagar pouco mais de 28% de intermediação na venda de Éder Militão ao Porto. A fatia é praticamente três vezes superior à norma estabelecida pela agremiação de gastar entre 7% e 10% com comissões para empresários em cada transação.

A demonstração financeira relativa a dezembro do ano passado registra R$ 31.500.000 pela venda de Militão e despesa de R$ 8.875 mil com intermediação.

O blog apurou que a porcentagem acima da média ocorreu porque o clube atendeu à exigência dos empresários do jogador com receio de a negociação não ser feita e de o atleta sair de graça em janeiro de 2019, quando terminaria seu contrato.

Na ocasião, em julho de 2018, a direção do São Paulo trabalhou com a informação de que o estafe de Militão não toparia a venda se recebesse menos do que esperava ganhar do Porto caso o atleta saísse do Morumbi sem custos para os portugueses.

Os dirigentes tricolores preferiram ceder e ainda amarrar a venda assegurando 10% numa futura negociação, que acabou ocorrendo. O Real Madrid já anunciou Militão como reforço para a próxima temporada.

Nesse contexto, dirigentes do São Paulo afirmam internamente que diante das circunstâncias topar pagar comissão superior à de costume foi a melhor opção.

Sem contar a venda de Militão, o São Paulo arrecadou R$ 117.609.000 com a negociação de nove atletas em 2018. Nessas operações gastou 8.197.000 em intermediações. A média de despesa com comissões nessas negociações foi de aproximadamente 7%.

A venda mais cara registrada no documento é a de Lucas Pratto para o River Plate por R$ 49.542.000. Foram pagos R$ 3.561.00 em comissões.

 

Opinião: os favoritos nos jogos dos brasileiros na Libertadores

Leia o post original por Perrone

A opinião do blog para os confrontos envolvendo brasileiro nas oitavas de final da Libertadores:

Cruzeiro x River Plate (Argentina) – Sem favorito. É o jogo mais duro das oitavas.

Palmeiras x Godoy Cruz (Argentina) – O time alviverde é o maior favorito desta fase. Com uma defesa sólida e meias e atacantes de alto nível, a eliminação palmeirense seria uma zebra histórica.

Flamengo x Emelec (Equador) – Apesar de ainda ser irregular, Flamengo é favorito.

Boca Juniors x Athlético – Apesar do peso do Boca na Libertadores, o Furacão é um time forte e pode passar. Confronto sem favorito.

Internacional x Nacional (Uruguai) – Ligeiro favoritismo para o Internacional, tem um time com mais qualidade. Mas os uruguaios quando estão em desvantagem técnica costumam equilibrar na vontade.

Libertad (Paraguai) x Grêmio – Apesar da irregularidade gremista, a equipe brasileira é favorita.

 

 

Opinião: ‘caso Sidão’ é prova de fogo para Luxa dentro e fora de campo

Leia o post original por Perrone

Vanderlei Luxemburgo chega ao Vasco cercado de desconfiança por parte de torcedores e jornalistas, apesar de sua história vencedora. O histórico recente e o fato de não dirigir um time desde outubro de 2017, quando deixou o Sport, pelo qual conquistou o Pernambucano daquele ano, geram os questionamentos.

O experiente treinador assume efetivamente a equipe justamente após a humilhação enfrentada por Sidão, eleito por internautas como craque da derrota por 3 a 0 para o Santos em votação feita pela Globo.

Dentro e fora de campo, o episódio representa uma prova de fogo para Luxa. Nas quatro linhas, seu trabalho é preparar melhor todo o time do Vasco para sair tocando a bola da defesa em momentos de marcação sob pressão feita pelos adversários.

O lance que originou o primeiro gol santista e a posterior bizarra premiação dada pela Globo ao goleiro mostrou despreparo de Sidão para enfrentar a famosa marcação alta.

Acuado, ele tomou a decisão mais arriscada. Preferiu sair jogando pelo meio de dois adversários. Tinha um companheiro livre à sua esquerda, na lateral. Por ali, apesar de a bola ainda poder ser interceptada no meio do caminho, a chance de sucesso era maior na opinião deste blogueiro. A alternativa mais segura era recorrer a um chutão para o alto.

São várias situações a serem analisadas em curtíssimo intervalo de tempo. Cabe ao treinador preparar os atletas para fazer a escolha certa. Olhar o mapa do campo no momento e tomar a melhor decisão requer muito treino. Não só por parte do goleiro, mas dos demais jogadores que devem se movimentar para oferecer a ele caminhos mais seguros.

Isso é só parte do trabalho. É preciso também a repetição à exaustão das trocas de passe com marcação dura. Se conseguir harmonizar tudo isso, Luxemburgo ganhará muitos pontos.

Fora do campo, treinador terá que mostrar o quanto ainda tem poder para fortalecer mentalmente seus comandados. Suas estratégias são as mesmas do passado e estão defasadas? São idênticas mas ainda dão resultados? Ou ele aprendeu novas e poderosas técnicas?

A resposta será dada com Sidão, jogador que Luxa encontra sob imensa pressão. Se o goleiro tiver equilíbrio emocional acima da média, pode até se livrar dessa sem a participação decisiva do técnico. Mas o apoio do treinador, feito de forma eficiente, certamente fará com que a recuperação do goleiro seja mais rápida e menos dolorosa.

Nesse cenário, a sacanagem cometida por torcedores na internet com Sidão, e a decisão infeliz da Globo de entregar o troféu a ele, nos fazem olhar ainda com mais atenção para o trabalho de Luxa em São Januário.