Todos os posts de Rica Perrone

Um chute os separa

Leia o post original por Rica Perrone

Fosse o Grêmio a optar pela estratégia palmeirense, venceria. Fosse o Palmeiras a optar pela estratégia do Grêmio, não sei. Fato é que os dois times tem tantas diferenças conceituais que era o tipo de jogo onde uma bola resolveria a partida. E resolveu. Os dois times se defendem muito bem. Um escolheu se defender,…

Não há “zebra” grande

Leia o post original por Rica Perrone

Não é difícil, basta observar o futebol. Em janeiro Diniz chegou a um Fluminense que só pensava em não cair. Implementou um estilo de jogo, tornou o time uma atração nacional mesmo sem resultados expressivos. Pois bem. Passou o tempo, o clube mudou a diretoria, passou a pensar diferente. Foi buscar Nenê, surgiu JP, mantiveram…

O SPFC não cabe numa Arena

Leia o post original por Rica Perrone

As vezes eu acho que passa. Tem dia que eu até penso nem me importar mais, tamanho o desgaste que isso dá no dia-a-dia. Mas quando um  clube não precisa nem de uniforme e nem de uma bola pra parar o futebol e se fazer protagonista, algo está muito vivo ali dentro. O Morumbi que…

O que falta ao Daniel?

Leia o post original por Rica Perrone

Lhes digo sem medo de errar: uma camisa em seu país pra carregar pro resto da vida. Ídolo do Barça, passagens por outros europeus grandes, altos e baixos na seleção, e títulos pra todo lado. Daniel fez aquilo que todo jogador sonha. Foi do Brasil a um grande europeu, ganhou, seleção, capitão, título e… falta…

Você ainda tem uma chance

Leia o post original por Rica Perrone

“Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?”.  Todos nós, só que alguns ainda podem continuar sonhando. O projeto “Ultima Chance” é simples, muito interessante e que pode render grandes surpresas. Porque? Você sabia que enorme parte dos garotos que crescem tentando ser jogador em algum momento tem que abandonar o sonho em virtude…

O óbvio improvável

Leia o post original por Rica Perrone

O Flamengo é o único caso no planeta onde todo mundo sabe que é óbvio um comportamento desde que ele não não seja o mais provável. Explico. Ao viajar pro Equador era certo o favoritismo. O bom rubro-negro sabia: “vai dar merda”. Ao perder por 2×0 lá, perder Diego e não ter Arrascaeta e Everton…