Arquivo da categoria: Barcelona

Sem outra negociação avançada, Barcelona é única certeza de Coutinho hoje

Leia o post original por Perrone

Autor de dois gols no massacre de 8 a 2 do Bayern sobre o Barcelona, na última sexta (14), Philippe Coutinho só tem uma certeza em relação a seu futuro: se colocar à disposição do clube catalão ao final da atual temporada.

De acordo com o estafe do brasileiro, neste momento, não há negociação adiantada com nenhuma outra equipe.

A permanência no Bayern, clube com o qual Coutinho assinou por empréstimo de um ano em 2019, é improvável.

De acordo com a imprensa espanhola, o Barcelona também não conta com Coutinho e quer usar o jogador como moeda de troca ou para levantar dinheiro a fim de usá-lo em contratações.

Em tese, nesse cenário, a goleada histórica aplicada pelo Bayern no Barcelona torna o futuro do brasileiro mais indefinido.

A humilhante eliminação nas quartas de final da Liga dos Campeões deve acelerar uma reformulação no clube catalão com direito a troca de treinador. Teoricamente, um novo técnico pode fazer o clube a enxergar o brasileiro com outros olhos.

Por outro lado, Coutinho entrou bem na goleada e, dependendo do que fizer na semifinal e numa eventual final, tem a chance de se valorizar e esquentar o mercado a seu redor. Ele tem contrato com o Barcelona até a metade de 2023.

Barcelona do Messi superou a vergonha da seleção brasileira .

Leia o post original por Nilson Cesar

Bayern de Munique venceu o Barcelona do Messi por 8 x 2 . Superou a vergonha da seleção brasileira na copa do mundo diante da Alemanha , quando perdemos por 7 a 1 . Messi claramente quer ir embora . Muita coisa irá mudar no Barcelona depois dessa tragédia . O Bayern faz tempo que é o meu favorito para a conquista do título . Qualquer outro resultado pra mim será uma grande surpresa .

Fonte

Ex-Corinthians vê ação do Barça como receita para naming rights no Brasil

Leia o post original por Perrone

Usar os naming rights de uma arena até aqui sem nome para fazer ações sociais durante a pandemia de covid-19 é uma alternativa para clubes tentarem “desencalhar” direitos que nunca foram vendidos.

Essa é a opinião de Gustavo Herbetta, executivo da Lmid, empresa especializada em marketing esportivo e ex-superintendente de marketing do Corinthians.

Em entrevista ao blog, Herbetta apontou que a decisão tomada recentemente pelo Barcelona indica uma alternativa para agremiações brasileiras que ainda não negociaram o nome de seus estádios, como é o caso corintiano.

O Barça decidiu, pela primeira vez em sua história, comercializar os naming rights do Camp Nou com contrato válido pela próxima temporada. O dinheiro arrecadado será usado em projetos para combater os efeitos da covid-19.

Durante o período do acordo, o estádio terá o nome do parceiro adicionado à marca Camp Nou. Uma parte da receita será usada em projeto de combate à pandemia escolhido pelo comprador. O restante será direcionado a iniciativas na mesma área apoiadas pelo Barcelona. A Fundação Barça vai administrar a operação.

“O Barcelona foi brilhante. Aproveitou o momento difícil no mundo e falou: ‘vamos fazer o primeiro ano de naming rights Social, com o valor revertido para a causa. Não existe associação de naming rights por um ano, só a longo prazo. Então, ele aproveitou esse momento para pegar uma propriedade, que ele sabe que ele precisa da receita dela pra ficar cada vez mais competitivo, e vai fazer uma associação comercial, com cunho social,  na qual ele vai conseguir aferir (o real potencial comercial). Fica mais fácil para ele ir ao mercado negociar um contrato mais longo depois”, disse Herbetta.

O executivo usa um exemplo que conhece bem para explicar o modelo.

“Seria como se o Corinthians chegasse para a Nike no primeiro ano da arena e falasse: ‘você vai ter por um ano o nome do estádio’. Depois, você chegaria para as empresas e falaria: ‘foi um teste, temos dados, demos tanto de retorno, fizemos essas ativações… Ficaria muito mais fácil do que você fazer uma apresentação para tentar convencer alguém a investir mais de R$ 300 milhões numa coisa que ele não sabe qual é o retorno”, raciocinou Herbetta.

O especialista em marketing diz que, se desde o início ficar claro que o contrato valerá por uma temporada, a iniciativa não espantará eventuais parceiros em associações mais longas sob o argumento de que o nome temporário “pegou”.

“Mas eu acredito que, ao trazer uma causa social por trás dessa parceria, o clube vai convencer a marca a ficar por mais tempo. Seis meses depois, você já tem argumentos: ‘olha o retorno que você está tendo, vai sair por quê?’ O parceiro pode responder: ‘mas  as pessoas não adotaram o nome’. Mais um motivo para você ficar mais tempo”, disse Herbetta.

Para o ex-funcionário do Corinthians, a ação do Barcelona deveria despertar clubes que parecem ter perdido a esperança de vender os nomes de seus estádios.

“O que a gente percebeu aqui no Brasil é que a principal janela para as arenas conseguirem comercializar essa propriedade foi ali na Copa do Mundo de 2014. E não aconteceu com ninguém. Tirando o Allianz Parque, que não estava na Copa e que fez durante a construção, ninguém fez isso. E agora parece que todo mundo desistiu. Então, espera aí: ‘não vai ter mais naming rights no Brasil’. Acho que tem que ter. Mas tem que criar ideias. E essa (ação do Barça) é a inspiração, pra facilitar a entrada. Depois que o parceiro entrou, a chance de ficar é muito maior”, ponderou Herbetta.

Um problema para a retomada de tentativas de venda de naming rights é a crise econômica deflagrada pela pandemia. O “derretimento” do setor aéreo, um dos principais alvos dos donos de arenas brasileiras, é o exemplo mais quente.

No entanto, Herbetta aponta o crescimento de alguns setores durante a crise. Entre outras que poderiam se interessar em naming rights, ele cita empresas varejistas, do ramo alimentício e da área da saúde.

“Quer um exemplo? Eu pego um atacadão e ofereço pra ele (além do nome) um ponto de venda na Arena Corinthians. Eu tenho terreno, eu tenho espaço, sobrando, tenho estacionamento. Dou um setor do estádio para ele fazer um rodízio de nome entre os parceiros dele. É clichê, mas é verdade. Na crise tem muita oportunidade. Esse é o momento de fazer alguma coisa diferente”, argumentou Herbetta.

Ele cita as arenas de Internacional, Grêmio e Athletico, entre outras, como as que poderiam seguir o Barcelona.

Corinthians

Herbetta chegou ao alvinegro depois que a arena corintiana estava construída e trabalhou diretamente na tentativa de negociar o nome do estádio.

Indagado sobre os motivos para a propriedade nunca ter sido negociada, ele respondeu o seguinte:

“Tem um seis fatores para não ter dado certo, apesar de todos os estudos que fizemos quando estive lá. A crise econômica brasileira, a crise de reputação do futebol mundial. Aí a gente tinha uma crise de reputação local, de lava jato, de Odebrecht, de Arena Corinthians quase sempre sendo veiculada com algum tipo de problema. Teve a perda da janela comercial mais apropriada para a venda, que é entre a construção e a inauguração. Passar essas barreiras, é praticamente impossível”.

Neymar vai recorrer contra decisão favorável ao Barcelona

Leia o post original por Perrone

Neymar vai recorrer da decisão da Justiça espanhola que o obriga a devolver 7,6 milhões de euros (cerca de R$ 40 milhões) ao Barcelona.

De acordo com  Altamiro Bezerra, diretor do Instituto Projeto Neymar Jr. e que coordena o grupo de advogados responsável pelo caso, o recurso será apresentado ao Tribunal Superior do Trabalho da Catalunha.

O Barcelona anunciou nesta sexta (19) a decisão favorável a ele em primeira instância. A ação havia sido proposta por Neymar, que cobra 43.650.000 de euros de bônus por assinatura (luvas) que o Barcelona não pagou por sua renovação contratual em 2016. Com juros, o valor chega a 46,3 milhões de euros.

O total do bônus era de 64,4 milhões de euros. O Barcelona pagou a primeira parcela, mas não fez o pagamento dos  43.650.000 de euros restantes em 31 de julho de 2017 alegando que só precisaria pagar se o atleta cumprisse o contrato até o final, em 2021. Porém, Neymar decidiu ir para o PSG.

Em primeira instância, o juiz considerou o bônus como salário, por isso descontou o período em que Neymar trabalhou e o mandou devolver o restante referente aos 20 milhões de euros. Consequentemente, o magistrado entende que os outros 40 milhões de euros não devem ser pagos.

Os advogados de Neymar alegam que não havia cláusula que condicionava o pagamento das luvas ao cumprimento do contrato até o fim.

“Neymar tinha contrato com o Barcelona de 2013 a 2018. Em 2016, eles nos procuraram para ofrecer a renovação até 2021. Em janeiro de 2018, Neymar ficaria na condição de ‘free agent’ (quando o jogador pode assinar com outro clube sem pagar multa). Então, para compensar que ele deixaria de ter essa condição, o Barcelona ofereceu o bônus. Não tem nada a ver com o cumprimento do contrato até o fim”, disse Altamiro.

Os advogados de Neymar sustentam que o pagamento da multa de 222 milhões de euros pelo PSG para Neymar jogar pelo time parisiense é a indenização pelo fato de o contrato ter sido rescindido.

“Vamos explicar no Tribunal Superior do Trabalho da Catalunha que, se o Barcelona não pagar os cerca de 40 milhões de euros, o clube terá recebido cerca de 262 milhões de euros de multa rescisória, não os 222 milhões de euros combinados”, declarou o executivo.

A decisão em primeira instância foi monocrática. A segunda será tomada por três juízes.

Perto de deixar Chelsea, Willian tem sondagens de Itália e Espanha

Leia o post original por Perrone

Sem acordo com a diretoria do Chelsea para renovar seu contrato, Willian tem sondagens de times da Itália e da Espanha. Porém, os nomes dos interessados não são confirmados oficialmente pelo estafe do brasileiro.

A negociação com a equipe londrina emperrou porque o clube ofereceu em sua última proposta dois anos de contrato, mas sem reajuste salarial. O atleta quer um compromisso por três anos e aumento.

De certa forma, a situação do ex-corintiano é confortável porque seu contrato termina no final de junho, e os interessados não precisarão pagar ao Chelsea para levá-lo. A expectativa de gente próxima ao jogador é de que as propostas oficiais cheguem após o final do vínculo.

No ano passado, a imprensa inglesa noticiou que a italiana Juventus tinha interesse em Willian. No entorno do jogador, a análise é de que o futuro de Neymar pode interferir em seu destino. Isso, se Neymar trocar o PSG pelo Barcelona, como deseja o clube catalão. Acontece que o time parisiense já flertou com Willian em outra oportunidade. Até mesmo o clube barcelonista é visto como uma possibilidade, caso o retorno de Neymar não aconteça.

 

Após covid-19, agente ligado ao Barça doa 10 toneladas de alimentos em live

Leia o post original por Perrone

Recuperado após ser infectado pelo novo coronavírus, André Cury, empresário de jogadores e representante do Barcelona no Brasil, fez uma doação de 10 toneladas de alimentos durante a live do cantor Bell Marques no último sábado (25).

Em cinco horas de apresentação, o músico baiano arrecadou para ajudar no enfrentamento  dos efeitos da covid-19 220 toneladas de alimentos, além de máscaras, álcool em gel, óculos de proteção e R$ 740 mil. O dinheiro arrecadado foi destinado diretamente ao hospital Aristides Maltez, em Salvador.

“Estamos em momento muito delicado no mundo e principalmente nos países mais pobres como é o nosso caso: só sairemos mais fortes dessa se realmente ajudarmos uns aos outros. Não tem cabimento nenhum brasileiro passar fome no ano 2020”, disse Cury ao blog.

Ele e sua esposa se recuperaram em casa após testarem positivo para o novo coronavírus.

Entre outras operações, o agente participou da transferência de Neymar para o Barcelona.

 

Pandemia coloca em risco novo plano do Barcelona para tentar Neymar

Leia o post original por Perrone

A suspensão de jogos na Europa como parte das medidas de isolamento social contra o novo coronavírus ameaça o plano do Barcelona de voltar a tentar contratar Neymar.

O clube catalão estudava uma nova oferta ao PSG na próxima janela europeia de transferências, no meio do ano, antes da paralisação dos campeonatos.

Devido ao cenário de indefinição para o restante da temporada e a iminente perda de receitas, os cartolas do Barça tiraram o pé do acelerador em relação ao projeto Neymar.

A ideia agora é esperar por um panorama mais claro para o segundo semestre.

Porém, a análise atual no clube é pessimista. Há no Barcelona quem projete que a agremiação deixará de arrecadar 100 milhões de euros por conta dos efeitos da pandemia.

Na previsão mais pessimista, será muito difícil vender jogadores e conseguir um montante atraente para oferecer ao PSG pelo brasileiro.

Antes da suspensão das competições, o plano era voltar a tentar uma negociação envolvendo dinheiro e jogadores que interessem ao time parisiense.

Em agosto do ano passado, como mostrou o blog, o PSG recusou oferta de 150 milhões de euros mais dois jogadores em definitivo e um por empréstimo feita pelo Barcelona. Neymar colocaria 20 milhões de euros de seu bolso para tentar concluir a negociação.

Covid-19: agente que levou Neymar ao Barça se recupera após ser infectado

Leia o post original por Perrone

O Barcelona estava preparando uma nova proposta no meio da janela para o Neymar mas agora o clima é de incerteza por quê não haverá venda de jogadores para fazer caixa a estimativa do Barcelona é deixar de arrecadar 100 milhões de receitas durante a pandemia.

Representante do Barcelona no Brasil, o empresário André Cury se recuperou após testar positivo para o novo coronavírus no mês passado.

O agente, responsável por tratar da ida de Neymar ao Barcelona, entre outras negociações, fez um novo teste na última terça-feira, e o resultado foi negativo. Sua mulher também está recuperada da Covid-19.

“Foram só uns três dias de dor de cabeça, no começo. Tomei um analgésico, só. Hoje estou com a saúde completamente normal”, disse o empresário em rápida conversa com o blog.

Barça vê Liziero com perfil do clube e debate sobre possível oferta ao meia

Leia o post original por Perrone

A diretoria do Barcelona avaliou o desempenho de Liziero e concluiu que o jogador do São Paulo tem o perfil do clube espanhol. Mesmo assim, ainda não decidiu se fará uma proposta por ele na próxima janela europeia de transferências. Existe o debate: tudo dependerá das condições do mercado e das necessidades da equipe.

Um facilitador visto pelos espanhóis é o fato de o meio-campista ter passaporte europeu por ser descendente de italianos. Isso faz com que o Barça não precise usar uma vaga de estrangeiro se quiser contratá-lo.

Dentro de campo, Liziero apresenta boa saída de bola, ajuda na armação de jogadas e ao ataque, características que se encaixam no estilo de toque de bola do Barcelona. Os catalães continuarão acompanhando o são-paulino mesmo se uma oferta não for feita entre o final deste ano e o começo do próximo.

Éric Abidal, ex-jogador e atualmente diretor do Barça, esteve no CT do São Paulo no final de outubro. Na ocasião, o discurso foi de que se tratou de uma visita a Daniel Alves, de quem é amigo e que o dirigente aproveitou para conversar com outros jogadores e membros da comissão técnica.

 

Tite, Seleção e Neymar. Todos decepcionantes. Com esse time não ganha a Copa nem a pau, Juvenal!

Leia o post original por Nilson Cesar

Neymar pediu privilégios. Só se esquece de jogar futebol. Tite não apresenta nada de novo no comando da Seleção Brasileira. Eu se fosse dirigente da CBF mudaria comissão técnica e exigiria um grupo novo de jogadores. Essa ” panelinha” da Seleção não está funcionando. A maior decepção de todas é Neymar. Quer ser comparado ao Messi no Barcelona. Neymar é um jogador só mediano comparado…

Fonte