Arquivo da categoria: bayern

Opinião: Coutinho dá aula para Neymar

Leia o post original por Perrone

Ao acertar sua ida por empréstimo ao Bayern, Philippe Coutinho gerenciou melhor seu futuro de que Neymar, na opinião deste blogueiro.

O jogador do PSG e seu estafe deveriam aprender com a forma como Coutinho encontrou seu destino na atual temporada.

Assim como Neymar, Coutinho entendia precisar de novos ares. Porém, diferentemente do ex-santista, ele não entrou em rota de colisão com diretoria e torcida de seu clube. Foi discreto. Não tocou fogo no circo. E não deixou a novela se arrastar.

O resultado é que Coutinho já sabe onde vai atuar nesta temporada e começa a tocar seus projetos. Conseguiu um time forte e que acena para ele com a chance de desenvolver papel importante.

O empréstimo é por um ano, mas há opção de compra por 120 milhões de euros. Caso se destaque num time do tamanho do Bayern, o brasileiro terminará o período muito valorizado.

Porém, se ele não for bem, deixou as portas abertas no Barcelona. Saiu pela frente e por lá retornaria.

Enquanto isso, em Paris, Neymar agoniza. Atrasa seu reinício de temporada e vê ao seu redor um ambiente hostil, do qual ele mesmo foi o principal arquiteto.

E se voltar ao Barcelona, vai encarar parte da torcida de cara amarrada por causa da forma como saiu da Catalunha.

Não estou aqui pra dar lição de moral, mas Neymar e seu pai poderiam prestar atenção na aula dada por Coutinho e sua  equipe.

Nem toda transferência precisa bater recordes financeiros. É possível recuar um passo para avançar muitos em seguida. Forçar a barra e gerar inimizades não são as únicas formas de se conseguir uma mudança.

Com preço fixado em R$ 531,3 mi, Coutinho espera ser peça-chave no Bayern

Leia o post original por Perrone

Bayern, Barcelona e Philippe Coutinho acertaram verbalmente, nesta sexta (16), acordo que deve ser oficializado em breve para o brasileiro ser emprestado ao time alemão por uma temporada. A negociação deixa no ar a pergunta: por que o meia preferiu um empréstimo a ficar no Barcelona?

De acordo com pessoa próxima ao atleta, os alemães apresentaram um projeto no qual ele aparece como peça-chave no esquema do técnico Nico Kovac. Caso isso se concretize, ele viverá uma situação diferente da enfrentada no Barça, pois vinha perdendo espaço no time catalão.

Há ainda a possibilidade de Coutinho ser comprado pelo Bayern, caso se destaque na próxima temporada. Conforme apurou o blog, sendo oficializado o empréstimo, a agremiação de Munique poderá fazer a aquisição definitiva se pagar 120 milhões de euros (R$ 531,3 milhões).

O encaminhamento do acordo contraria a previsão inicial do estafe do brasileiro que avaliava ser muito difícil um empréstimo. Conforme mostrou o blog, desde a última quinta (15), os responsáveis pela carreira de Coutinho tratavam como improvável o envolvimento dele como moeda de troca numa operação que colocaria Neymar de volta ao Barcelona. O motivo seria falta de dinheiro na mão dos espanhóis para completar as exigências dos parisienses.

Estafe de Coutinho vê troca por Neymar difícil por falta de grana do Barça

Leia o post original por Perrone

Com João Henrique Marques, do UOL, em Paris

O estafe de Philippe Coutinho já vê como difícil o envolvimento dele numa troca por Neymar. A avaliação é de que o Barcelona não tem dinheiro na mão para satisfazer ao PSG. Segundo o jornal francês “L’Équipe”, os parisienses querem pelo menos 100 milhões de euros (cerca de R$ 450 milhões) em cash, além de jogadores, para fechar o negócio.

Por sua vez os catalães planejam colocar a menor quantia possível na transação, fazendo a maior parte do pagamento com a cessão de atletas. Coutinho é uma das principais opções.

A dificuldade do Barcelona se deve ao fato de o clube já ter feito altos investimentos nesta temporada. Só com Griezmann foram gastos cerca de 120 milhões de euros (R$ 535,3 milhões). Para ter De Jong, o investimento foi de aproximadamente 75 milhões de euros (R$ 334,6 milhões).

Além, de considerar difícil a troca, o estafe de Coutinho também acredita ser improvável que o PSG faça uma proposta independente pelo jogador, sem envolvimento na operação envolvendo Neymar.

Outra possibilidade vista como remota é a de um empréstimo para o Bayern. A primeira sondagem dos alemães em relação a Coutinho foi nesse sentido, mas não vingou. Nesse cenário, o brasileiro segue com seu futuro indefinido.

Estafe de Philippe Coutinho vê empréstimo para Bayern como difícil

Leia o post original por Perrone

Na avaliação do estafe de Philippe Coutinho, neste momento, é difícil ser concretizada a transferência do jogador para o Bayern por empréstimo. Essa possibilidade foi a primeira aventada pelos alemães para viabilizar a negociação. Só que as alternativas apresentadas não seduziram inicialmente o Barça. A expectativa no entorno do brasileiro é de que as conversas continuem, já que os catalães não fecharam as portas para o clube de Munique.

Existe ainda a chance de o Bayern fazer uma proposta de compra pelo meia, mas nesse caso a negociação também não seria simples por conta dos altos valores que seriam envolvidos. A tentativa de empréstimo deixa clara a intenção do time alemão de economizar na negociação.

No Barcelona, Coutinho é visto como um dos jogadores que podem entrar numa eventual transação com o PSG por Neymar. Assim, os catalães devem ser cautelosos ao analisar as ofertas para o brasileiro. Por exemplo, ceder o jogador da seleção brasileira por empréstimo representaria o fim da chance de usá-lo como pagamento por Neymar e sem receber uma quantia substancial para investir na operação com os parisienses.

Criticado por torcedores do Barça na última temporada, Coutinho vive um cenário de indefinição, já que nenhuma possibilidade (empréstimo, venda, troca ou permanência na Espanha) está descartada por enquanto.

 

Mais uma final do Real Madrid

Leia o post original por Flavio Prado

O Real Madrid de Zidane vai entrar para a história como um time vencedor, mas não como um time brilhante. São poucos os jogos em que esse Real Madrid atropela o adversário, mas é eficiente e frio na hora de decidir.

Outra coisa indiscutível é a qualidade técnica desta equipe. Não tem como não reconhecer a força de um elenco que conta com jogadores como Sérgio Ramos, Marcelo, Modric, Kroos, Cristiano Ronaldo e outros. Coletivamente é bom, mas nada brilhante e até parece em alguns momentos que rende menos do que pode.

O Bayern teve chance de vencer nos dois jogos e não aproveitou. O Real Madrid é cirúrgico, errar contra o time espanhol é fatal e o Bayern errou nas duas partidas.

O Real Madrid vai para sua terceira final consecutiva em busca do tri e não tem como não acreditar que podem conseguir. A temporada no geral foi a pior das últimas três, no campeonato espanhol não chegou nem perto da luta pelo título, mas a Liga dos Campeões tem outro formato, outras circunstâncias e o Real Madrid se dá muito bem nestas condições.

Semifinais Champions

Leia o post original por Flavio Prado

Real Madrid x Bayern– Os dois mais poderosos dos semifinalistas se enfrentam. Nos últimos dois confrontos recentes o time espanhol levou a melhor. O Real Madrid cresceu na parte final da competição e joga com grande confiança. Cristiano Ronaldo tem sido decisivo mais uma vez.

O time alemão teve desempenho melhor que o espanhol ao longo da temporada, mas sofreu bastante contra o Sevilla. Os times da Espanha são dominantes nos últimos anos na Europa e o Bayern teve problemas com Barcelona e Atletico também nas últimas edições.

Liverpool x Roma– Os italianos foram a grande surpresa das quartas ao derrubarem o Barcelona, merecem respeito, mas vejo o time inglês melhor.

O trio Salah, Mane e Firmino é sensacional, se encaixam perfeitamente. Um problema do time de Klopp pode ser ter que trabalhar com a posse de bola principalmente no primeiro jogo em casa. O Liverpool prefere roubar a bola do adversário do que rodar em busca de espaço.

 

PSG pode provar que sucesso não depende 100% de união de grupo

Leia o post original por Craque Neto

Alguém aí acompanhou a vitória espetacular do PSG diante do Bayern de Munique no Parque dos Príncipes? Pelo amor de Deus! A dupla de ‘amigos’ Cavani e Neymar deitou e rolou no bom e tático time alemão. O resultado de 3 a 0 contra o poderoso adversário deu mostras de que essa equipe francesa pode sim dar trabalho na disputa pelo título da Liga dos Campeões. Deve ser líder de sua chave com folga e no mata-mata tem tudo para bater o recorde do clube que jamais passou das semifinais da principal competição do planeta. Aliás a ÚNICA vez que […]

O post PSG pode provar que sucesso não depende 100% de união de grupo apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Liga dos Campeões

Leia o post original por Flavio Prado

Definidos os confrontos de oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa. Vamos para uma rápida análise dos jogos:

Barcelona X PSG: Barça não vive seu melhor momento, mas é bem melhor que o time francês que nesta temporada não domina seu campeonato nacional como nos anos anteriores. Os franceses ainda se adaptam ao novo técnico e apesar da ótima temporada de Cavani como centroavante, Ibrahimovic faz falta. Palpite: Barcelona

Arsenal x Bayern: Mais uma vez o sorteio foi ruim para os ingleses. Bayern não joga tão bem na atual temporada, mas tem uma grande equipe e deve crescer. Palpite:Bayern

Monaco x Manchester City: Guardiola ainda se adapta ao novo time, a mudança no estilo de jogo é brusca, a chegada de Gabriel Jesus deve ajudar muito, no atual elenco só Aguero faz gol com frequência. Monaco é um time jovem e bem armado, vai dar trabalho. Palpite: Manchester City

Juventus x Porto: Juventus é o único italiano competitivo hoje na Europa, conjunto forte. Porto tem trabalho até mesmo em Portugal. Palpite: Juventus

Borussia Dortmund x Benfica: o time alemão faz grandes jogos, mas ainda oscila muito, tem tropeçado em pequenos na Bundesliga. Benfica tem bom conjunto, mas falta maior qualidade. Palpite: Dortmund

Napoli x Real Madrid: mais um ótimo sorteio para o Real Madrid. O atual campeão deve passar bem. Palpite: Real Madrid

Atlético Madrid x Bayer Leverkusen: o time de Simeone sofre contra times médios, pelo seu estilo reativo. Mas deve passar no sufoco e vai dar trabalho mais uma vez. Palpite: Atlético

Leicester x Sevilla: duelo de estilos opostos. Leicester prefere ficar sem a bola e aposta no contra-ataque. Sevilla de Sampaoli procura propor o jogo e pressionar, gosto mais do estilo espanhol. Palpite: Sevilla

Bayern e City não são mais 100%, Barcelona vira o jogo

Leia o post original por Flavio Prado

(Foto: JAVIER SORIANO/AFP)
(Foto: JAVIER SORIANO/AFP)

Na rodada desta quarta-feira na Liga dos Campeões da Europa, o Bayern e o Manchester City que até então tinham vencido todos os jogos oficiais na temporada, tropeçaram.

O Bayern perdeu em Madrid para o Atlético. Resultado normal, mas um passo importante para o time de Simeone conquistar o primeiro lugar do grupo. Os alemães além de vencer o jogo de volta, precisam ganhar do PSV na Holanda, coisa que o Atlético já conseguiu.

O Manchester City de Guardiola empatou na Escócia com o Celtic, 3×3. Apesar de ter uma postura ofensiva, é difícil um time de Guardiola tomar 3 gols, principalmente contra um time inferior tecnicamente. De Bruyne fará muita falta no período em que ficará afastado.

Na Alemanha, o Barcelona sofreu, mas virou o jogo contra o Borussia Monchengladbach. O time alemão tem ótimo aproveitamento como mandante, abriu o placar e foi perigoso nos contra-ataques. No segundo tempo, o Barcelona cresceu com a entrada de Arda Turan. Na ausência de Messi, o turco é a melhor opção. Neymar fez mais uma boa partida.

Tite? Guardiola? Feliz é Fernando Diniz que não tem ninguém para encher o saco

Leia o post original por Quartarollo

Tite? Guardiola? Feliz é Fernando Diniz que não tem ninguém para encher o saco

Dois dos melhores técnicos da atualidade, na minha opinião, vivem semana similar. Cada um num canto do mundo.

Guardiola mais uma vez foi eliminado da Liga dos Campeões. De nada adiantou a posse de bola contra o hermeticamente fechado Atlético de Madrid.

Mesmo em dois jogos não conseguiu se classificar. Foi vaiado no fim de semana porque podia ter sido campeão antecipado na Alemanha, e não seria a primeira vez, e quando saiu do estádio, em Munique, também havia pressão pela eliminação na Liga.

Os gritos de “Fora, Guardiola” são uma afronta ao futebol. Mas ele tem contra si a sombra do técnico anterior      (Jupp Heynckes) que ganhou não só a Bundesliga, mas também Supercopa e Copa da Alemanha e a Liga dos Campeões.

A verdade é que não é preciso ser Guardiola para ganhar jogos e títulos, mas o time dele joga bem futebol e isso é agradável aos olhos, mas nem sempre para quem perde.

Enalteço o trabalho de Simeone no Atético de Madrid. Um técnico tem que saber da limitações da sua equipe e não se expor mesmo. Nada contra, só estou analisando a beleza do jogo e o trabalho em campo.

Como Guardiola fez um trabalho futurista e grandioso no Barcelona, embora sempre diga que o que o seu time jogava  é o que o Brasil jogava em 1982, é sempre cobrado por títulos e espetáculo.

Mas agora só o espetáculo não basta. O futebol é profissional, precisa de dinheiro e para consegui-lo é preciso ganhar também no campo.

Ainda com um crédito incomensurável, Guardiola não fica sem emprego. Vai para o Manchester City, que teve no chileno Manuel Pellegrini um grande treinador.

E Tite? O que tem com isso?

Tite vive uma outra realidade, mas também é um treinador extraordinário e foi eliminado na Libertadores, uma espécie de Liga dos Campeões do lado de cá do mundo.

Viveu, guardadas as devidas proporções, uma semana parecida com a de Guardiola.

Tinha sido eliminado do Paulista há poucos dias e o time no primeiro jogo, em Montevidéu, jogou bulhufas. Foi muito mal, não deu um chute ao gol adversário.

Acabou empatando em casa em 2 x 2 com o Nacional uruguaio e está fora da competição.

Tite começa a ser questionado novamente. É a sina do treinador no mundo todo pelo jeito.

Já ouvi que ele não ganha mata-mata. Mentira, ganhou uma Libertadores invicto e o Mundial no mata-mata. Ganhou Copa do Brasil com o Grêmio contra o próprio Corinthians também no mata-mata.

Na saída do estádio ontem cheguei a ouvir: “Ele não pode escalar Rodriguinho, é muito fraco, podia ter colocado o Guilherme”.

Guilherme? Aquele que todos criticavam e que ainda não se adaptou ao time? Ah, bom, aquele que a mesma torcida queria fora da equipe?

Sempre o de fora é o melhor quando o time perde. “Ah, tem que treinar pênaltis”. Sinceramente você acha que ninguém treina pênaltis no Corinthians? Claro que treina, mas é verdade, não tem dado certo.

Ao contrário de Guardiola, Tite conta com o que tem. Chegou em janeiro para comandar o time que tinha acabado de ser campeão brasileiro (é isso mesmo, se vocês esqueceram o time foi campeão brasileiro há poucos meses) e encontrou o elenco desfalcado por negociações para o exterior.

Teve que repor essas peças com os jogos em andamento. É consertar avião no ar e de vez em quando uma peça ficava pelo caminho.

Quase perdeu Elias e Cássio para o exterior. Daí seriam 9 baixas em relação ao time campeão do Brasil.

Queria ver Guardiola retornando de uma temporada vitoriosa e encontrando o Bayern sem Douglas Costa, Lahm, Neuer, Thiago Alcântara, Robben, Lewandowski e outros mais. Iria embora na mesma hora e ainda chamaria aquilo de imensa falta de profissionalismo.

Agora que ele está indo para o City já enviou a lista de reforços e ela começa só com Neymar e tem outros que não podem passar por equipes brasileiras nem em sonho. Os preços são impraticáveis para nós.

Terá milhões para gastar na montagem do elenco e vai dispensar muita gente boa também. E todos aplaudem.

Acho que Tite gostaria de viver uma situação como essa. Garantia total de emprego por três anos, um salário altíssimo e um dinheirão à disposição para contratar gente boa.

Garanto que não jogaria com Alan Mineiro, Romero, Guilherme e outros. Pensaria mais alto, com certeza.

Por isso que eu digo, feliz mesmo é Fernando Diniz, técnico do audacioso Audax, que já é no mínimo vice-campeão paulista.

Se perder está bom, se empatar está bom e se vencer está ótimo. Não será pressionado, não será cobrado por torcida que o time não tem, não verá seu nome pichado no muro em meio a palavrões, não será obrigado a ouvir insultos e pressões nos vestiários.

Vai continuar a vida e ainda será chamado por nós da imprensa como impetuoso e moderno. Responsabilidade zero.

Mas também não terá os salários de Tite e muito menos os de Guardiola. São os ônus que carregam o bônus. Você ganha mais, também será mais cobrado e precisa vencer mais também.

É o paradoxo do futebol atual e do chamando mundo capitalista. Não há mais romantismo na quentura dos estádios. Só em Osasco para o feliz Diniz.