Arquivo da categoria: Breno

A culpa de Lucão

Leia o post original por Quartarollo

Coitado do Lucão. É de dar dó e quando se tem esse sentimento por um ser humano é a pior coisa que existe, chega a ser cruel.

Mas Lucão falhou feio, foi bisonho, foi imperdoável, foi grotesco, coisa de jogador juvenil que dizem que ele ainda é, mas que não deveria ser mais.

Já está bem rodadinho para tomar decisões melhores numa jogada como aquela.

De quem a culpa? Primeiramente do próprio Lucão, é claro, mas quem o apresentou como craque também tem a sua culpa.

Estou ouvindo desde ontem muitas críticas ao zagueiro. Eu também critiquei, o seu erro é inaceitável para um jogador profissional.

É só pensar, o São Paulo estava pressionado por aqueles 6 x 1 do ano passado, chegou ao Itaquerão para tentar não perder e se perdesse pelo menos de pouco, se fechou e marcou a saída de bola do Corinthians.

Se postou bem no jogo e se não tinha nenhuma grande chance, o Corinthians também tinha problemas para sair lá de trás por conta da boa marcação alta dos sãopaulinos.

Aí aparece Lucão e dá um gol de bandeja para o inimigo e tem gente que acha cruel criticar o menino.

Ele jogou tudo por água abaixo, o time sentiu demais o impacto, a pancada do “inimigo” na trincheira, contra isso não tem defesa.

Foi protegido pelos companheiros quando deixou o campo, não falou e nem se explicou com ninguém, mas devia ser mais protegido dentro do campo onde seu futebol embora decantado jamais apareceu.

Ah, mas ele foi jogador de todas as categorias de base do Brasil e tem futuro. Tomara que tenha, mas tem um cem número de jogadores que foram ótimos na base, e definharam no profissional.

Ouço todos os dias que ele só tem 18 anos. Não é verdade, já vai fazer 20 no dia 23 de março, portanto já está na estrada há mais tempo que outros que estão por aí.

A culpa é também do São Paulo que montou de forma errada o seu elenco no setor defensivo.

Foi buscar um veterano que não joga nunca e quando jogar não será nunca um primor.

Suas apostas foram erradas. Era preciso um zagueiro de verdade para compor o elenco.

A aposta, mais filantrópica do que esportiva em Breno, parece não sair do lugar. Ele tem vários problemas de contusões por causa do tempo que ficou preso, na Alemanha.

Culpa também nossa, da imprensa. Nós pregamos todos os dias que o zagueiro tem que sair jogando.

Queremos que todos os times do país tenha a posse e o toque de bola do Barcelona e Barcelona só existe um no mundo.

Mas nem zagueiro do Barcelona tentaria sair jogando naquele lance. Com certeza daria um chutão para tirar da área ou tentaria lançar para alguém na beirada do campo já que o time catalão sempre bem distribuído no gramado.

Sair jogando bonito é ótimo de se ver, mas só vale para quem sabe e mesmo assim às vezes é arriscado demais.

Que Lucão aprenda a lição. Ontem ele foi péssimo e não vou aliviar porque é um garoto.

Ele já é bem grandinho para saber que errou feio. Vai lamber as feridas por um tempo e será muito difícil reconquistar a confiança de todos. Agora o problema é dele.

São Paulo surpreende e quebra invencibilidade do Grêmio

Leia o post original por Fernando Sampaio

spxgreOsório mandou bem.

O treinador surpreendeu na escalação.

Lucão, Carlinhos e Breno estavam lesionados, voltaram todos juntos como titulares.

Matheus Reis foi surpresa, havia opções com Carlinhos, Michel ou mesmo Reinaldo.

Deu certo.

O Grêmio dominou o primeiro tempo, chegou com perigo na área do São Paulo. A dupla Rodrigo Caio e Lucão deu show, apesar de sobrecarregada. Breno, sem ritmo, não estava dando conta da marcação na cabeça de área. Ganso e Michel Bastos não ajudavam.Thiago Mendes sozinho pegava meio e laterais. Bruno com amarelo. Matheus tremendo.

Aos 35′ o São Paulo armou o contra-ataque e marcou um golaço com Pato.

O time marcou quando o adversário estava dominando, faz parte do jogo.

No segundo tempo Osório foi bem nas alterações, mudou bem os posicionamentos, manteve o time bem armado na defesa e pronto para matar o jogo no contra-ataque. Os jogadores desperdiçaram várias oportunidades. Ganso foi mal, displicente, armou os principais ataques do Grêmio. Aos 45′ finalmente Rogério fez 2×0. Depois do segundo gol o time relaxou, levou um gol, terminou o jogo pressionado mas no final levou os três pontos importantíssimos fora de casa.

Sandro Meira Ricci foi bem, não sentiu a pressão no caldeirão.

As reclamações de pênalti foram ridículas, só com muita cara de pau.

O São Paulo que continua brigando pelo G-4.

O Grêmio estava invicto na Arena pelo Brasileirão. Em 12 jogos ganhou nove, empatou três.

O Tricolor gaúcho não disputa mais título e precisa ficar esperto na briga pelo G-4.

 

 

A culpa de Breno

Leia o post original por Quartarollo

Breno passou a ser a solução do São Paulo e principalmente do técnico Juan Carlos Osório para acertar o passe na cabeça de área tricolor.

Tentou com Lucão, que é bom zagueiro, mas deficiente quando joga um pouco mais avançado, e Rodrigo Caio gosta mais de jogar de zagueiro e sua saída de bola ainda é defeituosa.

Com Breno, Osório ganha uma qualidade maior e uma versatilidade maior também.

Entrou contra o Corinthians depois de 4 anos sem jogar futebol e deu mostras de que pode voltar a ser o grande jogador que apareceu no São Paulo com 17 anos de idade e se perdeu na Alemanha.

Breno era um monstro de zagueiro. Era para ter jogado as duas últimas Copas do Mundo até como titular.

Talvez evitasse de vermos alguns falsos zagueiros chorando com a camisa brasileira.

Essa é uma “culpa” que Breno com certeza tem. Nos deixou mais órfãos na zaga.

Foi elevado a titular por Muricy Ramalho que corrigiu muito dos seus defeitos.

Quando foi para o Bayern era par ter deslanchado. Se perdeu totalmente. Culpa do Breno, essa sem aspas.

Foi emprestado ao pequeno Nuremberg e também foi mal. Definhou totalmente. Culpa do Breno, também sem aspas.

Ficou perdido emocionalmente e acabou tocando fogo na sua bela casa em Munique.

Ele diz que foi sem querer, esqueceu alguma coisa acesa e quando viu não dava para salvar mais nada.

A polícia alemã o prendeu por entender que era culpa do Breno.

A justiça alemã, claramente mais célere que a nossa, o condenou a três anos de prisão por entender que a culpa era mesmo do Breno.

Voltou às manchetes ainda preso quando já não se pensava mais nele como jogador de futebol.

Culpa do São Paulo e do ex-presidente Juvenal Juvêncio, que lhe ofereceu um contrato.

Culpa também de Muricy que acreditava piamente na sua recuperação. Dizia que ele merecia ser reerguido e apoiou a decisão.

Quando retornou foi feito um programa de readaptação aos treinamentos e Muricy lhe pediu muita paciência. Não iria jogar de uma hora para outra.

Ainda tinha mais uma etapa para cumprir. Tinha que esperar a sua vez e mostrar desejo de voltar.

E assim foi feito. O São Paulo lhe deu guarida, lhe deu conforto e lhe deu esperança e aos poucos ele foi voltando.

Ganhou uma nova chance. Tem apenas 25 anos de idade e ainda pode recuperar a carreira.

Desculpando o trocadilho com o problema que teve na Alemanha, ele que não queime etapas. Que faça tudo certinho.

Aproveite a oportunidade que está lhe caindo aos pés e saiba agradecer aqueles que lhe deram a mão em momento tão difícil.

Agora é esperança de novo. Culpa do Breno e de Juan Carlos Osório que parece acredita muito no seu potencial.

Agora é com você, Breno.

 

SP x Corinthians, empate em bom jogo

Leia o post original por Antero Greco

A defesa do Corinthians é sólida, o São Paulo é time instável. A previsão, portanto, era a de um clássico paulista morno, para a tarde deste domingo, no Morumbi. E não foi assim. A partida não foi um portento técnico, mas ficou longe da monotonia. Só o empate de 1 a 1 não serviu grande coisa para nenhum dos lados.

A atitude tricolor esteve de acordo com quem precisava ganhar para fazer sombra aos líderes. Juan Carlos Osorio botou a equipe pra cima do Corinthians. Com o tempo, se viu filme repetido: a resistência e a eficiência alvinegras em ação. Num dos poucos lances de vacilo são-paulino, Luciano fez o gol. Com isso, também, deu razão a Tite, que o escolheu para o lugar de Vagner Love. Se bem que, depois, não teve participação brilhante.

O São Paulo teve o mérito de não perder a cabeça nem se afobar, como se viu em outras ocasiões. Manteve a toada, empatou com Luís Fabiano, chegou perto do gol de Cássio várias vezes e no finalzinho reclamou de pênalti em chute de Wesley que Uendel desviou (pelos critérios atuais da arbitragem, daria pênalti…).

O treinador colombiano continua com a inquietação na montagem do time. E desta vez foi atrevido no segundo tempo, com as mudanças – Auro, Wesley e até Breno entraram em bom ritmo. Destaque, porém, ficou para Luís Fabiano, com o gol, bolas na trave, movimentação intensa, chutes e, o mais importante, sem tomar cartão.

O valor do Corinthians, como sempre, foi o autocontrole na hora do aperto. Até quando ficou com um a menos pela expulsão de Felipe. Isso explica, em parte, por que Tite raramente muda a forma de a equipe jogar.

Sr. Olhão avalia reforços do SPFC

Leia o post original por Rica Perrone

Chegamos a ele esperado por muitos tido como um dos melhores elencos do país veremos como se reforçou o São Paulo FC para 2015. Vou começar pelos 1os. nomes, anunciados ainda em 2014. Bruno – lateral direito – Possui boa técnica, sabe passar e tabelar, tem alguma habilidade e cruza com precisão. Não é uma […]

Tempo de recomeçar

Leia o post original por Neto

Breno está de volta ao São Paulo, onde foi campeão e eleito melhor zagueiro do Brasileirão de 2007

Breno está de volta ao São Paulo, onde foi campeão e eleito melhor zagueiro do Brasileirão de 2007

A maioria das pessoas pensa que jogador de futebol de time grande não tem depressão. Afinal ganha uma baita de uma grana e vive no centro das atenções da mídia especializada. Querem saber? Tudo isso é bobagem! A boleirada é gente comum, normalmente que veio de origem humilde e conquista muita coisa rapidamente. A velha história de dormir pobre e acordar rico. Portanto essa turma deveria ter mais apoio psicológico.

O zagueiro Breno é um caso que exemplifica muito isso tudo. Se destacou rápido no São Paulo e aos 17 anos foi negociado por uma baita grana com o poderoso Bayern de Munique. Morava em um condomínio de luxo na Alemanha, salário top e surtou por causa das frequentes lesões. A polícia o acusou de por fogo na própria casa e acabou preso. Passados alguns anos, mais maduro e consciente de seus atos, Breno está de volta ao Brasil. O Tricolor foi grande e lhe dará oportunidade de um recomeço.

Vou torcer muito para que ele se recupere. Afinal é um jogador de alto nível técnico. Basta por a cabeça no lugar e ter um foco na carreira. Passado é passado. A partir de agora é bola pra frente.

Breno está livre para retomar sua vida. Parabéns ao Bayern e ao São Paulo, pela solidariedade ao atleta

Leia o post original por Milton Neves

BrenoFoto: UOL

O zagueiro Breno está livre para tocar sua vida.

Errou feio ao incendiar sua casa, cumpriu a pena imposta e terá uma nova chance no futebol.

Parabéns ao Bayern de Munique, que lhe prestou toda assistência, incluindo trabalho quando ficou sob regime semiaberto.

O processo correu rápido na Alemanha, onde ficou em uma prisão quatro estrelas.

Tolhido de sua liberdade, teve tempo para pensar na vida. Por bom comportamento sua pena foi abreviada.

Do outro lado do Atlântico, o São Paulo lhe recebe para a pré-temporada em janeiro.

Parabéns também ao Tricolor, que tem um histórico de paciência com seus jogadores.

Sorte e juízo ao Breno, que deverá andar na linha 24 horas por dia, 365 dias por ano, do contrário dificilmente terá nova oportunidade.

Ainda sobre o São Paulo: que em 2015 volte a reunir seus ex-jogadores como sempre faz o Palmeiras com sua festa de veteranos, certo Carlos Miguel Aidar?

Gratidão é tudo na vida, OK?

Opine!

Recuperando o homem acima do jogador

Leia o post original por Neto

Breno deve voltar ao São Paulo

Todo mundo pensa que é a coisa mais fácil do mundo ser jogador de futebol. Afinal o cara é famoso, ganha uma baita grana e pega as mulheres mais lindas do mundo. Certo? Nada disso! Primeiro que isso compõe a vida de 1% da boleirada (se muito!) aqui no Brasil. Depois junto com essas coisas vem problemas familiares, vida boêmia e, em muitos casos, síndrome do pânico e até depressão. Vou falar pra vocês que essa tal de depressão é algo muito sério, viu? Jogador viaja muito e vive sozinho. Algo difícil da cabeça assimilar. Ainda mais de um garoto pobre e de baixa escolaridade.

Nem sei se essa é exatamente a condição do zagueiro Breno. Mas a verdade é que esse menino fez sucesso muito rápido. Com apenas 17 anos ele foi titular do São Paulo na melhor defesa do time campeão brasileiro. De quebra foi eleito o melhor defensor do País, convocado para a Seleção Brasileira e contratado pelo poderoso Bayern de Munique por alguns milhões de dólares. Tudo em pouco tempo. A cabeça não suportou.

Não cabe a mim julgar o que o Breno fez na Alemanha. Aquela história de colocar fogo na casa e tal. Isso definitivamente não é comigo. Mas a distância dos amigos, dos familiares e até a instabilidade técnica e a consequente condição de reserva pode ter afetado o emocional do rapaz. Claro que nada disso justifica determinadas atitudes. Mas só quem viveu algo assim compreende.

Por isso fiquei muito contente com a atitude do São Paulo em trazê-lo de volta. Isso mostra a grandeza de seus dirigentes, que antes do zagueiro de qualidade para reforçar o time, estão preocupados em recuperar o homem Breno. E sinceramente espero que dê certo esse retorno. Com a ajuda do governo brasileiro ou não. Vou torcer por sua volta por cima. De coração.