Arquivo da categoria: briga

Quando vamos sair do armário?

Leia o post original por Rica Perrone

Toda vez que vou fazer alguma reflexão sobre a imprensa esportiva uso o “nós” pra não soar arrogante, mas eu não sou parte dela. Por opinião, acho uma bosta o que é feito. Por coerência faço diferente e por consequências trago resultados que sustentam minha opinião.

Nada pessoal, apenas um negócio.

Algumas vezes me irrita muito acima do normal, como hoje.  Corinthians x Palmeiras é um clássico, uma decisão e ninguém pagou ingresso pra ver espetáculo. Pagaram pra viver uma tarde memorável de disputa e óbvia tensão.

Espetaculo você vê contra o Novorizontino. Clássico é outra coisa.  Aí vem alguém e diz que esporte não é isso, e blá, blá, blá.  Mas vende NFL que tem por um dos seus maiores atrativos a pancada.

Vende Hockey no gelo, que é quase um UFC. Vende Nascar, onde os torcedores vão pra ver acidente, não a corrida.

Torcedor gosta de ver cenas épicas e ter história pra contar. Toda vez que um time perdendo um clássico não se destemperar, é fraude.  Vai alegrar o comentarista da tv? Vai. Mas a torcida, que é quem importa, não.

É NATURAL que numa decisão de futebol haja momentos de descontrole emocional. Estão pressionados, decidindo futuro, milhões vendo e cobrando, inclusive nós.  Algumas pessoas são sangue de barata, outras não. E quem jogou meia partida no condominio sabe disso.

Quem não jogou, nem sei porque comenta futebol.

É lamentável, é ruim, “nós odiamos ter que ver e relatar isso”. Aham! Olha as capas dos sites. Olha as perguntas das coletivas. 99% briga, 1% jogo.

Quem é que odeia o combustivel que te leva adiante?

Deixem de ser hipocritas. Todo mundo quer ver o circo pegar fogo. Não queremos morte, facada, briga de torcida. Mas um belíssimo empurra-empurra com leves tapas e cenas lamentáveis para esquentar o jogo de volta é sempre muito bem vindo.

Não?

Então desafio a imprensa que acha lamentável a promover o jogo de volta sem focar 99% na briga e sim no título.  Quer apostar?

abs,
RicaPerrone

É a história

Leia o post original por Rica Perrone

Eu sei que você espera mais um texto cheio de clichês sobre “a humanidade não deu certo”, “cenas lamentáveis”, “até quando…?”, etc. Mas não vai rolar.

Primeiro porque qualquer sujeito por mais estúpido que seja sabe que “lamentamos” a briga. Gostaríamos de um jogo sem a violência, embora ela seja tradicionalmente parte do show. E sim, toda vez que houver uma disputa de muita rivalidade e contato físico, haverá o risco de briga.

Na sua rua, no seu colégio ou na Copa do Mundo. Pessoas são pessoas e não há cargo ou faculdade que faça alguém ter total equilibrio sobre seus sentimentos e instintos.

A cara de “Ohhh que surpresa!” da mídia me irrita um pouco. Não é a primeira, nem a última. E qualquer pessoa que viva futebol sabe que isso acontece de vez em quando. Talvez não com tantos expulsos, mas eu já vi umas 10 brigas bem piores que essas.

Sou a favor do direito do jogador em provocar. E do direito do rival em reagir.

Como ele vai reagir? Não sei. Mas se ele agredir, cartão vermelho. Se só tirar satisfação, amarelo. Existem regras que protegem todos os tipos de reação. Basta arcar tanto com a provocação quanto com a reação.

Eu adorei as embaixadinhas do Edílson. E adorei o pontapé do Paulo Nunes. Simplesmente porque é parte do jogo você tomar uma atitude debochada, e também causar uma reação exagerada.

Não se trata de politicamente correto ou não. Trata-se de cobrar os cartões, condenar quem agrediu, JAMAIS condenar o direito a tirar um sarro na hora do gol, e segue a vida.

É feio. É lamentável. Mas em 10 anos expira o discurso de 100% das pessoas e numa mesa de bar todos dirão com a cerveja nas mãos: “Porra, lembra daquele Ba-vi?!”. E que esquecerá?

abs,
RicaPerrone

A blindagem dos marginas é você

Leia o post original por Rica Perrone

Ontem no Maracanã aconteceram diversos absurdos isolados com violência, vandalismo e etc. Nada muito anormal infelizmente pra quem frequenta estádio sempre, mas é óbvio que cada vez acontece menos e portanto há alguns movimentos para mudar isso.

O meu ponto hoje aqui é você.  Você mesmo, que usa imagens como essas para falar de “torcida do xxx”, que usa “influenciadores” concordando com rojões para insinuar terem incentivado qualquer quebra-quebra ou invasão. Pessoas de má índole, ou burras. Nunca se sabe.

Não vi NENHUMA pessoa sugerir que por hostilizar o Independiente os flamenguistas invadissem estádio ou se matassem com a polícia. Logo, achar alguma interferência de terceiros para justificar é blindar os marginais.

Se você não sabe, e aposto que não tem idéia porque não frequenta, a torcida argentina estava blindada bem longe das confusões. Portanto, mais uma vez, não há qualquer ligação entre a polêmica de hostilizar ou não os rivais com o que houve no Maracanã.

Mas, burro, ou meramente afastado de arquibancadas acostumado a tv, a pessoa coloca tudo no mesmo saco e pede uma punição exemplar:  E exemplar pra esse gênio é agrupar indivíduos e não punir ninguém.  Não porque é melhor, mas porque dá mídia.

É muito mais notícia “torcida do Flamengo não entra mais no estádio” do que “Tadeu do Santos é preso por roubar cervejas no Maracanã”.

Quem blinda esses caras são vocês, que acham que trata-se da “torcida do Flamengo”. Que acha que alguém que considera válido revidar rojão em hotel uma sugestão de invasão e agressão.

“Mas você sabe que o torcedor é burro, não pode sugerir nada que ele não entenda bem”.  Pois é mas aí o burro é você. Pois ele entendeu. Nem 0,1% da torcida do Flamengo presente ao estádio foi agredir ou fazer qualquer coisa contra argentinos.

Mas você, que blinda, que torna o individuo parte de um grupo, que procura culpa no GTA pra violência entre adolescentes, é o verdadeiro motivo pelos quais eles são relativizados e não presos.

Diria o Capitão Nascimento: “o Che Guevara ta entrando e sem colete”.  Mas tu nem entra, né Che? Então cala a boca.

Os principais bandidos de torcida de SP por exemplo são dirigentes e desfilam no Anhembi sob aplausos todo ano. E você acha que eles tão ali porque? Porque você fez deles “a torcida do….”.   Você tirou o cpf deles.

Eles tão soltos porque vocês não conseguem enxergar pessoas e sim “a torcida do…”ali.  Por manchete, clubismo ou burrice. Tanto faz.  A blindagem deles são vocês.

abs,
RicaPerrone

Santos na briga

Leia o post original por Flavio Prado

O Santos venceu o Atlético-MG e continua na briga pelo título brasileiro.

Na maior parte o campeonato, o Santos não jogou bem, mas conseguiu resultados e com a queda do Corinthians, o time chega vivo nas rodadas finais.

No primeiro tempo, o time agora comandado por Elano foi mais agressivo do que em jogos anteriores. O time concentrou suas tentativas pelo lado direito com Bruno Henrique e Victor Ferraz e fez em jogada iniciada por ali.

O Galo empatou no início do segundo tempo com Fred, mas na sequência David Braz colocou o Santos na frente mais uma vez. Neste momento o time recuou demais com as entradas de Daniel Guedes e Yuri e tomou duas bolas na trava, mas outra vez Bruno Henrique foi decisivo, linda jogada, agora já pelo lado esquerdo e gol de Ricardo Oliveira.

O Santos tem potencial para jogar mais do que jogou até aqui na competição. Vanderlei, Victor Ferraz, Renato, Lucas Lima, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira são jogadores acima da média no futebol brasileiro. A pontuação melhor do que o desempenho manteve o time na briga e na reta final pode ameaçar.

Falhas na segurança e na acusação são apontadas por defesa de corintianos

Leia o post original por Perrone

Falha na segurança durante o jogo e erro na acusação são apontados pela defesa da maioria dos corintianos presos no Rio após a briga com a Polícia Militar na partida com o Flamengo no Maracanã.

O entendimento é de que a Justiça errou ao acusar os torcedores de associação criminosa, pois não teria provas de que eles combinaram de ir para o Rio de Janeiro para praticar crimes, como agredir policiais.

A tese é de que a viagem foi com o intuito apenas de assistir ao jogo e que por alguns fatores houve a briga. O caso seria diferente do processo enfrentado por membros da Gaviões da Fiel pela morte de dois palmeirenses num confronto na Avenida Inajar de Souza, em 2012. Em relação ao conflito de quatro anos atrás a Justiça juntou provas de que os torcedores planejaram a briga com a intenção de matar rivais, pois chegaram até a passar a noite anterior à batalha reunidos e armados. Foram ao local exclusivamente para brigar.

Já no Maracanã os torcedores esperavam o início da partida quando começou uma troca de xingamentos com flamenguistas. Torcedores dos dois lados tentaram invadir a área da outra torcida se aproveitando do pequeno policiamento naquele setor. Quando os policiais militares, em número muito menor do que os corintianos, tentaram controlar a situação, foram agredidos. Assim, uma suposta falha na segurança teria criado a oportunidade para os brigões entrarem em ação de maneira espontânea e que não justifica a associação para o crime na opinião de sua defesa.

Há também uma tese inusitada defendida pelo menos por parte da defesa de que o pequeno número de policiais na divisa entre as duas torcidas foi proposital para que houvesse a briga. A ação faria parte de um grande complô para criar a oportunidade de incriminar as torcidas organizadas e conseguir acabar com elas, abrindo espaço para a presença de mais torcedores com maior poder aquisitivo nos estádios. Essa teoria, no entanto, não deve ser levada à Justiça.

A defesa dos corintianos também entende que a maioria dos presos não participou do conflito. Só quatro dos 31 detidos teriam brigado.

 

O crime organizado, uniformizado e escoltado

Leia o post original por Rica Perrone

Todo mundo sabe quem são, o que querem e os reais interesses. Ninguém fala, porque todo mundo tem medo.  Torcidas organizadas deixaram de ser um grupo de apaixonados por um clube há muitos anos. Tirando essas novas, que fatalmente a médio prazo também serão tomadas por pessoas com o ego maior que a paixão, as …

Neymar é moleque

Leia o post original por Rica Perrone

A comparação com outros atletas olímpicos e suas reações ao vencer beira a burrice. Mas respeitemos, pois ela é interminável e como um câncer vem em quem as vezes não pode se defender. Nenhum atleta olímpico toma porrada o ano inteiro, todos os dias, e é cobrado individualmente por um coletivo. Nenhum deles tem a …

Rodada de Palmeiras e Santos

Leia o post original por Flavio Prado

A primeira rodada do returno do Campeonato Brasileiro era aguardada. Eram três confrontos diretos entre equipes que lutam pelas primeiras posições. Nos duelos, Grêmio, Santos e Palmeiras venceram Corinthians, Atlético-MG e Atlético-PR. Destaque para o Palmeiras que conseguiu ganhar fora de casa. O Flamengo, outro que luta na parte de cima, foi derrotado pelo Sport em Pernambuco.

Considero Palmeiras e Atlético-MG os mais fortes candidatos ao título pelas opções que tem no elenco, mas não tem como descartar e desprezar os belos trabalhos de Dorival Júnior e Róger Machado em Santos e Grêmio.

Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SantosFC
Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SantosFC

São duas equipes com elencos reduzidos e desfalcados pela seleção olímpica. O Santos está sem Zeca, Thiago Maia e Gabriel e o Grêmio não pode contar com Walace e Luan. Entre os times que brigam pela ponta, Dorival e Róger são os técnicos com mais tempo no comando, isso sem dúvida faz diferença, além da manutenção das bases.

O Corinthians caiu de rendimento nas últimas rodadas. Cristóvão Borges tem sido muito criticado, mas não vejo como um bom negócio a troca de treinador. Cristóvão está na média da maioria dos técnicos brasileiros, não vejo opções interessantes no mercado, o melhor é dar tranquilidade para o treinador trabalhar. Além disso, é sempre bom lembrar que o Corinthians teve seu elenco radicalmente modificado em relação ao ano passado.

O São Paulo vive situação preocupante. Mais uma vez perdeu pontos no Morumbi. No atual campeonato, o time já foi derrotado em casa por Internacional, Atlético-PR e Botafogo e empatou com Sport e Chapecoense. Ricardo Gomes assume nesta semana e espero que tenha tranquilidade para trabalhar e projetar 2017, se a exigência for por resultados imediatos, o São Paulo corre risco de chegar com um treinador desgastado em janeiro.

Julgamento precoce

Leia o post original por Rica Perrone

Eu não sei o que houve exatamente entre Fred e Levir.  Está claro que algo chateou o jogador, que tentou resolver internamente com sua diretoria, como é normal que faça qualquer profissional dentro de uma hierarquia. Me deixaria puto se Fred fosse aos microfones condenar o treinador ao invés de passar pro clube o problema. …

Aberto caminho para investigação que pode expulsar Aidar e Ataíde por briga

Leia o post original por Perrone

Um grupo de conselheiros do São Paulo protocolou nesta terça requerimento no Conselho Deliberativo do clube pedindo esclarecimentos sobre a briga entre Ataíde Gil Guerreiro e Carlos Miguel Aidar num hotel da capital.

Eles pedem que a Comissão de Ética e Disciplina instaure um processo de investigação sobre o episódio que pode culminar com advertência, punição e até expulsão da dupla do clube.

O pedido afirma que, pelas noticiais divulgadas na imprensa, o entrevero foi incompatível com “o decoro, a temperança e boa imagem do clube inscritos” no artigo 2 do estatuto são-paulino.

Os dois são suspeitos de ferir o artigo 30, que estabelece punições para quem tiver atitude inconveniente com as tradições do São Paulo.

Como indício de que a regra foi ferida, o documento cita trecho de entrevista de Aidar concedida ao UOL Esporte no qual ele é indagado sobre o barraco com seu vice de futebol. “O que houve foi uma discussão bem acalorada, que foge dos padrões de dois diretores”, afirmou na ocasião o agora ex-presidente.

Caso a investigação seja feita, Aidar e Ataíde terão direito a defesa. O Conselho Deliberativo é o órgão responsável por decidir se eles devem ser punidos.