Arquivo da categoria: Caminho

Brasil deve seguir um caminho

Leia o post original por Flavio Prado

O Brasil sofreu nos últimos anos no futebol e deve continuar sofrendo pelo menos por mais algum tempo. A eliminatória para a Copa de 2018 promete ser equilibrada e difícil até o final. Existe sim a chance real do Brasil não estar na Rússia.

A chegada de Tite é positiva. A seleção será dirigida pelo melhor técnico brasileiro. Em quase todas as derrotas o maior questionamento é sobre a postura dos jogadores, a análise fica superficial, quase sempre tudo fica resumido a raça e vontade.

O jogo em si é pouco discutido. Quase não falamos de modelo de jogo, consideramos normal uma interrupção da linha de trabalho e a troca por um estilo completamente diferente, ainda não entendemos as mudanças dos últimos anos e a força cada vez maior do jogo coletivo.

A seleção olímpica de Rogério Micale não foi brilhante, começou mal, ajustou, reagiu e cresceu. Fez bons jogos, uma ótima semifinal contra Honduras, independente da qualidade do adversário e uma final abaixo do adversário no jogo coletivo.

Mas um fator foi muito positivo, o Brasil tinha uma proposta e isso ficou claro. Uma das ideias de Micale era tentar uma formação utilizando os quatro atacantes, Gabriel, Neymar, Gabriel Jesus e Luan. Treinou essa alternativa em Teresópolis, tentou fazer no amistoso contra o Japão, desistiu em 17 minutos, contra a África do Sul funcionou um pouco melhor, contra a Iraque foram apenas 9 minutos, a ideia na prática não estava funcionando. Mas Micale não desistiu e iniciou com os 4 contra a Dinamarca, jogo em que corria risco de eliminação. Gabriel e Gabriel Jesus pelos lados, Neymar e Luan por dentro, deu certo, o time fez boa partida e cresceu na competição.

Ajustes foram feitas, Walace entrou no time, Renato Augusto recuou e qualificou a saída de bola, Neymar e Luan conseguiam entender o momento de acelerar e cadenciar e Gabriel e Gabriel Jesus eram perigosos entrando na diagonal e fechavam os lados sem a bola.

O objetivo sempre foi propor o jogo e isso não deixou o time exposto. Com a linha adiantada, Marquinhos e Rodrigo Caio encaixaram bem pela velocidade e técnica e o time todo apertava o jogador que tinha a bola, dificilmente o adversário ultrapassava as linhas com tranquilidade.

Focamos muito nos resultados, claro que são importantes, mas para chegar em grandes resultados um caminho precisa ser percorrido. O Brasil deve buscar esse caminho, normalmente é feito o caminho inverso, mudanças radicais a cada derrota e normalmente o novo caminho escolhido é o oposto do anterior. O Brasil precisa buscar uma identidade, um modelo de jogo e seguir, derrotas e tropeços vão acontecer no meio do caminho, mas se não seguir em frente, o time não sai do lugar.

Quem deu mais “sorte”?

Leia o post original por RicaPerrone

Dizem que o Brasileirão de pontos corridos é justo. Eu acho mais injusto do que um apito amigo aos 44 no mata-mata. Mas, enfim, é tese pra 4 horas de discussão. Na medida em que chega o final do campeonato esperamos pra ver quem vai pegar mais times de férias e assim definir o título, a vaga, o rebaixamento.

Antes que isso aconteça, vou divulgar um levantamento interessante que mostra contra quem seu time jogou no campeonato.

Você logo pensa: Contra os mesmos de todos, ué?

Sim. Mas em que circunstancia?  O Gremio terceiro ou o Grêmio décimo tu enfrentou? O Flamengo lanterna ou o nono colocado?

Rodada a rodada, uma estatística de contra qual posição do campeonato seu time jogou. E assim, por mais que seja obviamente apertada a margem, temos o caminho mais fácil e o mais complicado.

E após 33 rodadas, o time que teve um caminho mais simples foi justamente o líder Cruzeiro.  Não que seja regra, afinal, o de tabela mais complicada não é o lanterna, mas um dos que mais sofrem pra entrar e ficar no G4: o Fluminense.

Na tabela ao lado você confere a posição média que cada time enfrentou até aqui. Ou seja, o Cruzeiro enfrentou em média o décimo primeiro colocado. O Fluminense, o nono.

Essa forma de ver a tabela também pode ser reavaliada com simples diferencial de adversários no G4 ou no Z4. E para esta tabela, pouca coisa muda em relação a primeira.

librebTemos aqui uma clara “vantagem” a Palmeiras, Inter e Cruzeiro, que enfrentaram mais times na zona de rebaixamento.

Mas também não da pra considerar tão absurdo o Cruzeiro ter só 4 adversários no G4 sendo que pra ele é G3, já que é parte dele o tempo todo quase.

Nota-se o mérito do São Paulo, que teve um caminho complicado. Talvez o mais complicado entre os que lutam por título.

Enquanto o Corinthians faz companhia ao Cruzeiro na tabela com menos “problemas” contra times do G4.

Avalie os números e entenda que, conforme for daqui pra frente, com entregas, times de férias e outros motivados, o campeonato de pontos corridos pode e tende a ser definida por resultados fabricados e não naturais.

Mas enquanto o Brasil enxergar o futebol como uma busca por justiça e não entretenimento, seguirá devendo e não entendendo porque dá prejuizo.

abs,
RicaPerrone

Desejos e resoluções para 2014!

Leia o post original por Milton Neves

600Da redação do Portal Terceiro Tempo

Não vamos desejar que a Seleção Brasileira conquiste ou não o hexacampeonato de futebol.

Afinal, no esporte estamos fadados a vitórias e derrotas. Parece claro, mas para muitos não tem sido assim.

Temos que refletir a origem da palavra esporte.

Ela vem do inglês – “Sport” – derivou para o francês antigo – “desport”, “passatempo, recreação, prazer”, do verbo desporter, “divertir-se, distrair-se e jogar” – portanto levar embora, retirar” – no sentido de transferir os pensamentos e designios do cotidiano.

Há competição, profissionalismo, dinheiro, empregos e  muitas vidas envolvidas.

Mas existe o limite. A ética e a responsabilidade também com quem mais importa: você, o torcedor, que se transforma em muitos nomes –  consumidor, leitor, telespectador, fã,  ouvinte, esportista, internauta, admirador, comprador, apreciador e muitos outros que não cabem aqui.

São apenas desejos de uma redação, formada por jornalistas jovens, mas capitaneada pelo experiente  MN.

Já  sobre as resoluções, dependerá que cada um,  transforme suas ideias e principios em realidade.

Abaixo uma pequena lista e esperamos que você possa acrescentar a sua “lista” nos comentários.

Feliz 2014!

1) Que a Copa do Mundo seja repleta de alegria, que as manifestações, um direito do povo, tenha a compreensão e a paz necessária;

2) Doping,  apenas de alegria, reconhecimento, entendimento e felicidade.

3) Ouvir mais, falar menos.

4) As discussões no futebol sejam maiores e terminem em sorrisos, risadas e abraços como deveria ter sido sempre.

5) Esporte não é para ser decidido em tribunal e o  “Tapetão” ganhe um fim merecido. 

6) O respeito ao pluralismo apareça mais e ganhe a força de todos.

7) A paz,  contamine a todos.

E qual será a sua resolução de ano novo?