Arquivo da categoria: cartões

Largada Fair Play

Leia o post original por Gaciba

Quatro rodadas, quarenta jogos; já podemos fazer um balanço deste “preocupante” início de Brasileirão.

Você sabia que já foram marcadas 1384 faltas no Brasileirão 2014?

A média de 34,6 faltas por partida pode ser considerada normal?

Fizemos um levantamento para que possamos comparar nosso campeonato com os principais do mundo.

Vejam na tabela abaixo que somos, disparados, o campeonato com maior média de paralizações:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com os cartões, a coisa é um pouco diferente. São 178 amarelos que nos dá uma média de quase quatro cartões e meio por jogo e 11 vermelhos com uma média de quase 3 atletas expulsos por rodada.

Mas, além dos 11 atletas expulsos; na próxima rodada, a quinta da competição; 5 atletas já cumprirão suspensão por acumular três amarelos nas quatro primeiras partidas de suas equipes. Rafael Lima (Chapecoense), Edinho (Grêmio), Aranguiz (Internacional), Valdivia (Palmeiras) e Alvaro Pereira (São Paulo) desfalcarão suas equipes no fim de semana. Isso, sem contar com Paulo Roberto (Figueirense) que obteve um indesejável 100% de amarelos nas três primeiras rodadas e já não jogou contra o Santos nesta rodada.

Pouco? Ainda temos mais 25 jogadores estão “pendurados” com 2 advertências entre as equipes da série “A”.

Quem nos acompanha sabe que contabilizamos a três temporadas faltas, cartões e expulsões numa corrida “fair play” que determina qual é a equipe que joga “mais limpo” na temporada. Ano passado a CBF tornou o prêmio oficial e o capitão do VITÓRIA, o goleiro Wilson, recebeu com orgulho o troféu no programa “Bem Amigos”.

Nestas primeiras rodadas a liderança apertada pertence ao FLUMINENSE.

Vejam o quadro geral (ao término do post, critérios para obtenção da média PP (média de pontos perdidos):

 

Até o momento,  28 árbitros foram sorteados com 2 estreias Braulio da Silva Machado (MS) e Renan Roberto de Souza(PB). Confiram seus números:

 

Critérios para o TROFÉU FAIR PLAY:

CARTÕES PELO MUNDO AFORA

Leia o post original por Gaciba

Ontem escrevemos sobre as médias de faltas cometidas e uma curiosidade me veio na cabeça. Os árbitros brasileiros são rigorosos com condutas inadequadas no campo de jogo? Como são as médias de cartões apresentados comparadas ao resto do mundo?

Bom, para isso fomos buscar as médias de cartões amarelos e vermelhos das principais competições mundiais e dos principais campeonatos nacionais Europeus. Não necessariamente podemos relacionar o número de cartões com o número de faltas cometidas já que em muitas situações estes cartões são aplicados com a bola fora de jogo (reclamações, retardamento, conduta inconveniente etc.)

Mas as médias de advertências e expulsões podem nos dar uma noção de quantos cartões são necessários para que tenhamos o controle disciplinar numa partida de futebol. Todos os dados referem-se a partidas disputadas até o dia 4.10.2012.

Começamos pela maior competição do “planeta futebol”: A fase final da Copa do Mundo. Levantamos os dados de 2010 e chegamos as médias de cartões distribuídos durante a copa da África do Sul. Lá, em 64 jogos disputados, foram apresentados 251 cartões amarelos ( MÉDIA: 3,92) e 17 cartões vermelhos (MÉDIA: 0,26). Outro parâmetro quando reunimos culturas é o torneio olímpico. Em Londres 2012 os árbitros apresentaram 118 amarelos em 32 jogos (MÉDIA: 3,68) e 9 cartões vermelhos (MÉDIA: 0,28). Números bem semelhantes que mostram o que acontece quando juntamos todos continentes em uma disputa única.

Este é o contexto global, agora, hora de choque de culturas e critérios! Comecemos pelas competições continentais que envolvem seleções da CONMEBOL e UEFA. Você pode conferir a média dos últimos torneiros realizados pelos respectivos continentes e verificar o quão diferente agem os árbitros europeus e americanos. Enquanto aqui o “saque” da “tarjeta” é mais rápido, lá a cultura da conversa é mais usada. Quando se fala em expulsar então as diferenças tornam-se muito mais visíveis. Enquanto na copa América um jogador foi expulso a cada duas partidas, na Eurocopa esta média é de um atleta expulso para cada dez jogos.

CONMEBOL (COPA AMÉRICA 2011) – Jogos: 26, Amarelos 122 (4,69), Vermelhos 14 (0,53)

UEFA (EUROCOPA 2012) – Jogos: 31, Amarelos 120 (3,87), Vermelhos 3 (0,09)

Quando trazemos os números dos torneios envolvendo clubes, conseguimos perceber que a média de amarelos fica praticamente igual aos respectivos torneios de seleções. Já o vermelho é presença menos constante na Libertadores do que na copa América. Eurocopa e Copa dos campeões assemelham-se novamente. Comparem os dados da última Libertadores ( edição 2012 ) e da atual Copa dos campeões ( edição 12/13  fase de grupos ).

CONMEBOL (LIBERTADORES) – Jogos: 138, Amarelos 636 (4,60), 41 Vermelhos (0,29)

UEFA (COPA DOS CAMPEÕES) – Jogos: 32, Amarelos 125 (3,90), 5 Vermelhos (0,13)

Agora os campeonatos Nacionais. Comparamos o brasileirão com 6 dos principais campeonatos Europeus. As médias de nossos árbitros (5,03 amarelos por jogo e 0,29 expulsões por partida) não são extremos nestas comparações. O rigor extremo fica com os Espanhóis e do outro lado da moeda (sem surpresas) ficam os Ingleses. Ainda, ninguém expulsa mais, em média, do que os Portugueses. Confira as médias por País:

 

Completando as informações, confira o quadro disciplinar dos 48 árbitros que já dirigiram jogos na série A este ano:

Suspensões válidas!

Leia o post original por Gaciba

Alguns visitantes postaram comentários perguntando sobre o valor da suspensão do zagueiro Marcos Gonzalez do Flamengo.

Gonzalez claramente “forçou” o recebimento do cartão amarelo no jogo contra o Náutico pois está convocado para a servir ao Chile que fará amistoso contra o Equador neste meio de semana. Como o zagueiro do Flamengo já tinha dois amarelos, este foi o terceiro da série lhe retirando do jogo contra o Palmeiras.

O problema é que a assessoria do clube através de seus advogados pensa que, pelo fato de estar servindo a seleção, esta partida “não valeria” como suspensão automática e estariam receosos de escalar o defensor contra o Vasco no fim de semana.

Veja o cartão “forçado” abaixo aos 42 minutos do segundo tempo (foi duro, mas ele conseguiu!):

Outro atleta que claramente recebeu o cartão para cumprir a suspensão durante o período em que se apresenta a seleção é o volante Paulinho do Corinthians. Após o gol de Romarinho, aos 45 minutos do segundo tempo contra o Coritiba no último fim de semana, Paulinho demorou mais que o atacante que fez o gol para voltar para o seu campo retardando deliberadamente o reinício do jogo. Diga-se de passagem, mais do que seu próprio gol (o primeiro da virada ). Resultado: Recebeu o cartão amarelo, terceiro de sua série e cumpre a suspensão contra o Internacional nesta quinta-feira quando estará na Suécia jogando com a seleção. Por consequência, Paulinho estará “zerado” de amarelos e poderá jogar contra o Santos no fim de semana em jogo válido pela 18ª rodada.

Esta é uma “malandragem” lícita que é feita pelos atletas há muito tempo. Outro caso que ocorreu neste fim de semana foi o de Wesley, do Atlético GO que, aos 36 minutos do segundo tempo, reclamou muito até receber a advertência que era a sua terceira e lhe deixa fora do jogo contra o Galo neste meio de semana. Detalhe: O passe de Wesley pertence ao Atlético MG e por força de contrato ele não poderia jogar contra o líder do campeonato. Uniu o útil ao agradável e volta com sua série de cartões zerada no fim de semana quando o Dragão enfrenta o Palmeiras em Goiânia.

Fizemos contato com o diretoria de competições da CBF que confirmou que NÃO HÁ MUDANÇAS NOS CRITÉRIOS DE PUNIÇÕES. Portanto, segue valendo as punições acima citadas para os próximos jogos das equipes. Os atletas estão suspensos (nos três casos) na rodada do meio de semana e retornam as suas equipes nos compromissos do fim de semana.

Para cúpula do São Paulo, Luis Fabiano leva cartões por se irritar com próprios erros

Leia o post original por Perrone

A cúpula do São Paulo é criticada internamente por não tirar a braçadeira de capitão de Luis Fabiano por causa dos seguidos cartões recebidos pelo atacante. Um dos argumentos dos dirigentes é o de que decidir o dono da faixa não é atribuição dos cartolas. Justificativa que destoa de uma diretoria que tirou o beque Paulo Miranda da concentração para impedir sua escalação.

A direção são-paulina está convencida de que o descontrole de Luis Fabiano nada tem a ver com a faixa de capitão. A avaliação é de que o atleta se irrita quando é bem marcado e começa a errar. Quando as coisas ficam complicadas ele explode, normalmente em cima do juiz. Isso apesar de o atacante já ter levado cartão em jogo que fez gol.

Interlocutor de Luis Fabiano disse ao blog que o atleta acredita que tem que se impor diante dos árbitros. Caso contrário será considerado um capitão frouxo. E os cartões são ossos do ofício de capitanear a equipe.

Em meio à celeuma, o presidente Juvenal Juvêncio não diz o motivo, mas afirma estar seguro de que o jogador vai ser mais disciplinado a partir de agora.

OS CANÁRIOS ESTÃO VOANDO!

Leia o post original por leonardo.gaciba

Antigamente, os árbitros se reportavam aos cartões amarelos como “canários” e aos vermelhos como “cardeais” (uma lógica alusão as cores dos pássaros)!

A rodada do meio de semana do Campeonato Brasileiro foi quente! O maior número de cartões amarelos em uma só rodada desta competição foi apresentado nos dez jogos que aconteceram: 66.

Uma média de 6,6 por partida e três expulsões nos 10 jogos da 22ª rodada, superou os 61 cartões da então recordista 15ª rodada nos dias 6 e 7 de Agosto.

O jogo com o maior número de cartões desta rodada foi dirigido por Marcelo de Lima Henrique. Na partida entre Atlético PR e Palmeiras ele apresentou 10 amarelos e um vermelho! A partida “mais calma” foi disputada entre Cruzeiro e Fluminense, onde Guilherme Cereta apresentou somente 2 amarelos.

Rigor dos árbitros? Paridade na competição? Nervosismo dos atletas? Talvez um pouco de tudo!

A competição que iniciou com média de 3,6 cartões amarelos por jogo, já alcança sua maior média: 5,11 por partida. Ainda, 61 atletas foram expulsos durante os 218 jogos realizados até agora.

Como curiosidade, até o momento, o jogo com o maior número de cartões aconteceu dia 17 de Agosto na Vila Belmiro, onde o árbitro Antonio Schneider apresentou incríveis 14 amarelos e dois vermelhos. Do outro lado da moeda, no dia 31 de Agosto, em São Januário, na partida entre Vasco e Ceará, o árbitro Emerson Ferreira surpreendeu quando no seu primeiro jogo na série”A” não apresentou nenhum cartão durante o encontro (única partida sem cartões do campeonato).

Até o início da 23ª rodada, o Ceará lidera o “ranking Fair Play” sendo o time mais disciplinado da competição, inclusive sendo o clube que menos recebeu cartões amarelos (36). As equipes do Internacional e do Avaí contrastam com o Vovô Cearense e já receberam 68 amarelos no campeonato.

O “recordista” em expulsões é o Atlético MG. O Galo de Minas já perdeu 6 jogadores por cartões vermelhos. Os que menos sofreram neste ítem foram Palmeiras e Atlético GO com 1 expulsão apenas.

Confira a tabela dos cartões válidos de todos os clubes da série “A”: