Arquivo da categoria: Cassio

Repetir o mesmo erro é BURRICE!

Leia o post original por Craque Neto

Sempre fui um dos maiores defensores do Rogério Ceni enquanto defendeu a meta do São Paulo. Ele foi um baita goleiro que fez a diferença tecnicamente e de fato merecia o status de intocável que tinha. Mas o maior erro da diretoria do clube nessas duas últimas décadas foi querer colocar como reservas goleiros ruins ou tão experientes quanto o titular. Essa atitude lá de trás vem desencadeando agora uma tremenda dificuldade de encontrar alguém de alto nível na função. Reparem, depois que Ceni parou surgiu um goleiro pior que o outro na meta são-paulina. O que deveriam ter feito […]

O post Repetir o mesmo erro é BURRICE! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: Gustavo destoa de corintianos. E Cássio sofre com sua zaga no PR

Leia o post original por Perrone

Aos 11 minutos do segundo tempo em Londrina, Gustavo comemorava seu segundo gol, pouco depois de o Ferroviário-CE abrir 2 a 1 no placar. Do outro lado do campo, Cássio gesticulava e dava instruções de maneira apreensiva para sua zaga. A imagem é um fiel retrato do que foi o empate em 2 a 2 com classificação dos paulistas para a próxima fase da Copa do Brasil.

Gustavo carregou o time alvinegro nas costas. Já Henrique e Manoel cansaram de dar espaços para os rivais e enlouqueceram o goleiro corintiano. Marcando duas vezes, Edson Cariús foi quem mais aproveitou as falhas da defesa adversária.

A apresentação corintiana foi um filme de horror repetido à exaustão para sua torcida no início da atual temporada. Além dos erros da zaga, Jadson pouco criou. Ramiro também deixou a desejar. Novamente, o time paulista deu mole nos cruzamentos. Mantendo a rotina, Gustavo destoou de seus companheiros e foi o melhor da equipe. De novidade, a luta de Vágner Love, enquanto o veterano teve fôlego até ser substituído, assim como Gustagol.

O final foi constrangedor para um time com a história do Corinthians. Só deu Ferroviário diante de um adversário encolhido na defesa. Mais uma vez, ficou claro que Fábio Carille terá muito trabalho para arrumar a casa. O problema é que até agora ele não mostrou ter evoluído na missão. Azar de Cássio, que vai envelhecer uns bons anos nos próximos meses se o treinador pelo menos não organizar a defesa.

Opinião: cinco fatores dificultam missão de Carille no Corinthians

Leia o post original por Perrone

A maior parte da torcida do Corinthians comemorou o anúncio da volta de Fábio Carille como um gigantesco reforço. Por seu currículo vencedor no alvinegro, o treinador tem praticamente o status de salvador da pátria. Porém, na opinião deste blogueiro, uma série de fatores torna a missão do técnico mais difícil em relação a seus feitos anteriores. Leia a seguir.

1 – Qualidade do elenco

Em seu retorno, Carille encontra um elenco de qualidade inferior ao que teve durante o maior tempo de sua passagem anterior pelo clube.

Do time que venceu o Palmeiras na final do Paulista de 2018, Balbuena, Sidicley, Rodriguinho e Maycon saíram e não foram substituídos no mesmo nível.

Claro que a diretoria pode trazer reforços de bom nível para a próxima temporada. O problema é a falta de dinheiro para isso.

2- Novidades

Um dos trunfos de Carille para conquistar dois estaduais e um Brasileirão foi conhecer a fundo o grupo de jogadores do clube. O domínio, inclusive das categorias de base, facilitou a remontagem da equipe para o início de 2018, por exemplo.

Neste momento, o elenco já tem nove jogadores novos em relação à última vez em que o treinador comandou o time. Hoje, esse número corresponde a mais de 25% do time.

Quase todas as caras novas são de atletas que não foram escolhidos por ele, pois o técnico já havia deixado o Corinthians quando essa leva foi contratada. Danilo Avelar é exceção. O lateral tinha sido indicado por Carille.

As primeiras contratações para 2019 (Gustavo Mosquito, Michel Macedo e André Luis) foram feitas antes de o retorno do treinador se concretizar.

3 – Base

Arana e Maycon são exemplos de como os jogadores vindos das categorias de base foram importantes na passagem anterior de Carille pelo clube.

No retorno, porém, ele deve ter dificuldades para garimpar jovens cem casa. As principais promessas dos últimos anos do popular “terrão” corintiano já foram negociadas ou estão no time principal (Pedrinho e Léo Santos).

No Parque São Jorge, quem conhece bem as categorias de base diz que a próxima safra não é animadora.

4 – Vendas

Carille corre o risco de perder jogadores antes mesmo de a próxima temporada começar. Com pouco dinheiro para contratar, o clube não deve recusar ofertas interessantes por seus atletas.

Pedrinho interessa ao Borussia Dortumund, da Alemanha. Há outros caras valorizados no grupo, principalmente Fágner e Cássio, que estiveram com a seleção brasileira na Copa da Rússia.

5 – Salário acima do teto

Indiscutivelmente, Carille é querido pela maior parte dos atletas que trabalharam com ele no clube. Porém, em tese, o fator financeiro, pode complicar a relação com alguns.

O treinador deve ganhar R$ 500 mil mensais, sem contar eventuais luvas. A quantia supera o teto salarial estipulado pela diretoria de R$ 400 mil. Jadson, por exemplo, aceitou reduzir seus ganhos para se enquadrar nessa política. A dúvida é como ele e outros profissionais que não puderam ganhar mais vão reagir ao salário superior do chefe.

Mais favorito do que antes

Leia o post original por Rica Perrone

Se o empate fora parece um bom resultado, os 90 minutos de Flamengo e Corinthians contrariam essa avaliação.  Como cada vez mais comum no futebol moderno em virtude de sua força física, intensidade e espaços reduzidos, o time que abre mão do jogo consegue anular o que tenta jogar. Na Copa foi assim, hoje também….

Diretoria do Corinthians cita demissões em rivais para seduzir elenco

Leia o post original por Perrone

As trocas de treinadores nos rivais Palmeiras e Santos viraram argumento da diretoria do Corinthians para seduzir seus jogadores.

Em Brasília, antes da vitória sobre o Vasco, a direção do clube conversaou com líderes da equipe. A diretoria disse que teria sido mais fácil para os cartolas demitir Osmar Loss, que amargou sequência negativa, assim como Santos e Palmeiras fizeram com Jair Ventura e Roger Machado.

O argumento usado foi de que as demissões servem para transferir a responsabilidade. A culpa pelos maus resultado fica na conta de quem sai e a pressão pela melhora na de quem entra, segundo essa tese.

No entanto, os cartolas alvinegros argumentaram que preferiram assumir a responsabilidade e encarar o risco de eventuais críticas pela manutenção do treinador.

O discurso soa como uma tentativa de fortalecer os laços entre grupo, comissão técnica e diretoria.

A explicação foi ouvida por líderes do time  como Cássio, Fágner e Sheik. Pela diretoria, participaram o presidente Andrés Sanchez, principal responsável por conduzir a argumentação, Duílio Monteiro Alves, diretor de futebol, e Jorge Kalil, diretor adjunto.

Choro e silêncio: ‘Não consegui consolar ninguém’ diz Ederson sobre Copa

Leia o post original por Perrone

A tristeza no vestiário da seleção brasileira após a queda do Brasil nas quartas-de-final da Copa da Rússia diante da bélgica marcou Ederson, goleiro do Manchester City e reserva de Tite no Mundial. Depois de uma pelada com amigos no local em que o Audax treina, em Osasco, ele falou com o blog também sobre o colega Gabriel Jesus e o retorno triunfal de Cássio após a Copa do Mundo.

Blog do Perrone- Você consegue descrever como foi o vestiário da seleção depois da eliminação diante da Bélgica? Teve mais silêncio ou choro?

Ederson – Silêncio, choro. É difícil ser eliminado de uma Copa do Mundo. Então, todos nós sentimos, foi momento de silêncio total. É difícil você procurar consolo ou consolar um amigo nessa hora.

Blog – Conseguiu consolar alguém?

Ederson – Não consegui. Não tem palavra que conforte alguém numa eliminação de Copa do Mundo, um campeonato que acontece a cada quatro anos.

Blog – O que mais te marcou naquele vestiário?

Ederson – A tristeza dos meus companheiros, mas temos que procurar levantar a cabeça.

Blog – Os três goleiros da seleção na Rússia cobravam pênaltis nos treinos, e você continua cobrando nos treinamentos que tem feito durante as férias. Vai virar cobrador?

Ederson – A gente estava se preprapando para se tivesse cobrança de penaltis na Copa, era para todos estarem preparados para bater. Acho que foi importante. Mas não é coisa que projeto pra mim. Continuo treinando, mas como brincadeira. Deixo as cobranças para meus companheiros.

Blog –  Viu as defesas do Cássio no jogo do Corinthians contra o Botafogo? Ficou surpreso como ele voltou em alto nível depois de ficar todo esse tempo na seleção sem jogar?

Ederson – Vi as defesas, ele foi muito bem, mas não surpreendeu. Goleiro de alto nível fica um mês sem jogar e não sente muito. Ele chegou muito bem no Corinthians e ajudou o time dele a vencer com defesas espetaculares.

Blog – Como são seus treinos nas férias antes de voltar para o Manchester City?

Ederson – Estou treinando pra manter o ritmo. Não vou fazer a pré-temporada com eles, vou chegar quase no início da temporada. Estou treinando entre uma hora e meia e duas horas por dia, bem cedo, lá pelas 7h30, quando o sol tá pensando em acordar ainda pra aproveitar a família e os amigos.

Blog – Conversou com Gabriel Jesus, seu companheiro de time na Inglaterra, sobre as críticas que ele sofreu por causa da atuação na Copa?

Ederson – Conversei, mas não sobre Copa. Acho que tá no momento dele de descansar, tentar esquecer um pouco isso. Ele é um garoto novo, mas tem experiência de seleção. Começou na seleção muito bem, se não me falha a memória é o artilheiro na era Tite. Ele foi infeliz, só faltou fazer o gol, se olhar o trabalho todo dele foi muito bom, o posicionamento dele. Mas como não fez o gol todo mundo critica. Acho que se o Brasil fosse campeão, ninguém criticaria o Gabriel.

Cássio prova que é MUITO melhor que Alisson!

Leia o post original por Milton Neves

Foto: BRUNO ULIVIERI/ESTADÃO CONTEÚDO (via UOL)

Corinthians 2 x 0 Botafogo

Ainda de ressaca após a Copa do Mundo, o Brasileirão voltou nesta quarta-feira com excelentes jogos.

No Itaquerão, deu Corinthians contra o Botafogo, mas o placar de 2 a 0 foi para lá de enganoso.

Isso porque o Fogão, que levou um gol-relâmpago de Rodriguinho aos três minutos de jogo, passou o restante do duelo “martelando”, tentando de todo jeito o tento de empate.

E só não conseguiu porque no gol corintiano estava o iluminado Cássio.

O arqueiro alvinegro só faltou fazer chover nesta noite em Itaquera.

Inclusive, ele provou nesta partida que é MUITO melhor que Alisson “Leite Moça”: bateu, tomou!

Alô, Tite, que você tenha visto essa espetacular apresentação de Cássio e o coloque como titular já no próximo compromisso da seleção!

Bom, e, no fim das contas, o Timão ainda conseguiu achar mais um golzinho nos minutos finais, com Romero.

Mas, repito, o placar foi completamente enganoso.

O Timão certamente teria sido derrotado em casa não fosse pelas espetaculares defesas do gigante Cássio!

Flamengo 0 x 1 São Paulo

E tão espetacular quanto a atuação de Cássio no Itaquerão foi a vitória do São Paulo diante do Flamengo no Maracanã.

Vitória que faz com que o Tricolor passe a sonhar até mesmo com o título!

Isso mesmo, com o título!

Afinal, o time do Morumbi agora está apenas um ponto atrás do Fla.

Se vencer o Timão no final de semana (e vai vencer) e o Rubro-Negro não triunfar no clássico contra o Botafogo, a equipe comandada por Diego Aguirre assumirá a ponta do Brasileirão.

Sensacional, não é mesmo?

Destaques da partida: Sidão (foi quase um Cássio), Éverton e Nenê!

E parabéns ao treinador Aguirre, que conseguiu fazer o São Paulo jogar novamente com alma!

Grêmio 2 x 0 Atlético-MG

Em Porto Alegre, deu Grêmio para cima do Atlético-MG.

Mas se trata de uma derrota completamente aceitável do Galo.

Afinal, o Grêmio é, há tempos, o melhor time da América do Sul.

E o Maior de Minas dará a volta por cima na próxima rodada, contra o Palmeiras!

Podem anotar e me cobrar!

Vitória 1 x 0 Paraná

O Vitória não merecia, mas acabou saindo com três pontos do duelo contra o Paraná.

Mas o Leão que se cuide, pois o time é muito fraco e o risco de cair para a Série B ainda é muito grande!

Ceará 1 x 0 Sport

Enfim, o Vozão conseguiu vencer a primeira no Brasileirão.

Agora o Ceará vai embalar e vai conseguir se salvar do Z-4!

Opine!

Gratidão é tudo na vida!

Leia o post original por Craque Neto

Muita gente me critica por defender a presença do goleiro corintiano Cássio na Seleção Brasileira. E de fato o técnico Tite confirmou neste segunda-feira, dia 14, a presença dele na lista final dos 23 jogadores. Posso falar a verdade? Na minha visão foi merecido e um gesto de gratidão do comandante brasileiro. Arrisco a dizer inclusive que se não fosse o Cássio o Tite NEM na Seleção estaria. Certeza! Afinal, vamos falar a verdade, o goleiro do Timão foi RESPONSÁVEL direito pelos principais títulos do Corinthians na década. Ou alguém duvida que se não fosse ele o Tite levaria aquela […]

O post Gratidão é tudo na vida! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: Tite acerta ao priorizar versatilidade na seleção brasileira

Leia o post original por Perrone

Não há jogador na lista de convocados de Tite para a Copa do Mundo que não mereça estar nela.

Como o treinador da seleção brasileira argumentou, existem atletas que mereciam ser chamados, mas perderam espaço para outros que, no entendimento dele podem ser mais úteis à equipe. Afinal, a seleção brasileira não é apenas uma competição entre quem é melhor no país em cada posição. E o técnico foi didático ao explicar seus critérios para formar a lista de 23 atletas. Nos casos de dúvida, ele priorizou os mais versáteis para aumentar seu leque tático. A decisão é acertada. A capacidade de mudar o esquema de jogo até sem precisar fazer substituições e contar com um atleta que possa atuar na posição de um companheiro lesionado, por exemplo, valem muito num Mundial.

Arthur, por exemplo, na minha opinião, é melhor do que Taison, escolhido por Tite. Mas o jogador do Shakhtar Donetsk pode ser mais útil taticamente do que o gremista, justamente por ser mais versátil, qualidade citada pelo treinador na entrevista seguinte ao anúncio dos convocados. Ele também usou a experiência como um dos critérios de desempate entre os concorrentes, pois mencionou o currículo internacional de Taison. Outra explicação compreensível.

Entre os outros jogadores que ficaram com as últimas vagas disponíveis, Geromel merecia estar na Rússia muito mais do que Rodrigo Caio. Faz tempo que ele é mais regular do que o são-paulino. Cássio está no mesmo nível do santista Vanderlei, mas de novo encontramos uma coerência na opção feita por Tite. Como em uma série de casos, ele escolheu um jogador com quem conviveu mais, portanto, conhece melhor. Fagner está na mesma situação. O lateral corintiano e Danilo eram as melhores opções a partir da ausência de Daniel Alves, na opinião deste blogueiro.

Nesse cenário, não vejo motivos para criticar a convocação feita por Tite. E ficou evidente o esforço do comandante para tentar evitar uma onda de críticas pela não convocação de um determinado atleta, embora não tenha deixado claro quem ele crê que pudesse causar tal sentimento. Graças ao seu didatismo ao justificar a montagem da seleção, ele deve alcançar o objetivo.

 

A lista só tem um defeito

Leia o post original por Rica Perrone

Tite foi como sempre coerente. Competentíssimo, levou o que avaliou em todo o período pra Russia sabendo que não está sendo injusto com ninguém.  Ele seria se não levasse Geromel. Os demais são todos bem argumentáveis.

Alguns dos argumentos faço pelo Tite, inclusive.

Arthur – Perdeu a vaga por contusão. Era dele, mas como tudo na vida funciona assim, o ruim de se machucar é exatamente abrir espaço pra outro. O Fred entrou, treinou muito bem, ganhou a vaga e ficou. É do jogo. 90% dos jogadores quando ganham posição são em cima da contusão do outro. Ele estará na próxima.

Taison – Eu não vejo o Shakhtar jogar. Ao contrário dos outros 99% dos jornalistas esportivos, sou capaz de dizer sem me sentir menor por isso: eu não vejo o campeonato ucraniano.

Luan – Não se encaixa em posição nenhuma da formação da seleção.  O 4141 do Tite não tem espaço pra um meia/atacante de pouca recomposição e centralizado. O Luan infelizmente, pra esse esquema, sobra. Mas, poderia ter ido pelo exato motivo que encontro o defeito da convocação.

Cássio – É um grande goleiro. Acho o Grohe em melhor fase, mas não tem nenhum absurdo em ele preferir o Cássio. Normal.

Fagner – Justo. É o melhor lateral do Brasil. E se precisar dele, joga e dá conta.  /

Enfim, esses são os “polêmicos”. Dito isso, vou para o que achei um erro.

A seleção reserva é um espelho da titular. Tite tem absoluta certeza que esse time jogando dessa forma irá vencer a Copa. Se precisar do centroavante alto que ele tanto buscou, não tem. Um meia mais central de frente pro gol (Luan), não tem. Ele tem 11 e mais 11 reservas que atual na mesma função.

Uns mais pra cá, outros pra lá. Mas você não vai olhar pro banco e ver uma chance de mudar o jogo pra bola alta, pivô, um cara que entra driblando mais pelo meio. É o banco do que se tem em campo. Vamos trocar 6 por meia duzia e rezar pra meia duzia estar numa tarde mais feliz.

Esse é o erro pra mim. A seleção não tem opção de surpreender ninguém. Todos sabem como ela joga e ela jogará exatamente dessa maneira.

Tem dado certo. Mas acho que não custava ao menos um jogador pra quebrar isso. Seja um Luan pelo meio, um Talisca pra bater de fora ou até um William José pela bola alta.

Como em 2010, se olhar pro banco estará olhando pro campo. De resto, nada a contestar sobre a lista e o ótimo trabalho da comissão técnica da seleção desde que assumiu.

abs,
RicaPerrone