Arquivo da categoria: Cerro Porteño

Opinião: Galo precisa definir se quer treinador de tiro curto ou longo

Leia o post original por Perrone

Por filosofia, este blogueiro tende a ser contra mudanças de treinadores durante a temporada. Porém, no caso de Levir Culpi, o Atlético-MG acertou na opinião do blog. A derrota por 4 a 1 para o Cerro Porteño, na última quarta (10), pela Libertadores, deu a dimensão do desgaste entre o treinador e o elenco. Mudar era a única saída.

Agora a diretoria do Galo precisa pensar se quer alguém para tentar uma rápida guinada ou para preparar um trabalho mais profundo, a longo prazo. No Brasil, não faltam especialistas no arroz com feijão, que promovem rapidamente uma mudança significativa. Estes, no entanto, costumam ter prazo de validade muito curto. Muitos são técnicos de uma nota só.

O ideal para o Atlético-MG seria um treinador com ideias claras de jogos, métodos simples, mas com vasto repertório para aplicar conforme a equipe for evoluindo. Isso, em tese, garantiria um trabalho mais consistente e duradouro.

Atualmente, a equipe mineira não tem padrão de jogo definido. Por isso, a simplicidade nos primeiros dias de trabalho ajudaria o time a ter uma cara. É preciso que a equipe possua objetivos táticos definidos e esteja preparada para reagir às situações de jogo. Ajudará muito se o futuro técnico for desses caras que conseguem ler o jogo rapidamente.

Ele também terá que mostrar conhecimento para conquistar a confiança de jogadores, principalmente os mais experientes, como Victor, Elias e Ricardo Oliveira. Boleiros rodados assim não costumam ter paciência com treinadores inseguros. O escolhido precisará de pulso firme para não perder o comando do vestiário. Tudo isso significa que a melhor opção é alguém da velha guarda? Não necessariamente. É possível técnicos jovens reunirem essas características. A missão atleticana é escolher bem, porque mais uma troca neste ano pode comprometer a temporada.

Opinião: ruindade da Libertadores contamina. Palmeiras é exemplo

Leia o post original por Perrone

A rodada decisiva das oitavas de final da Libertadores foi repleta de bizarrices que mostram porque, na opinião deste blogueiro, os clubes brasileiros deveriam se recusar a disputar o torneio.

Não há motivo para seguir disputando uma competição que tem julgamento em dia de jogo, como aconteceu com o Santos, invasão de campo (também envolvendo santistas), cadeiras e outras “armas” voando nas arquibancadas, árbitros coniventes com a cera de quem está em vantagem, estádios inseguros e violência descabida nos gramados.

Enquanto a Conmebol não se mexer para acabar com essas mazelas, a equipes nacionais deveriam ficar fora desta barca furada.

Mas o movimento é no sentido contrário. Os times brasileiros não só ficam na competição como se contaminam com ruindade dela.

Seguir disputando a Libertadores é assumir o risco de regredir. O melhor exemplo disso é o Palmeiras.

Clube com elenco mais caro do país, o alviverde desceu dez andares e fez um jogo quase que só de catimba com o Cerro Porteño na última quarta.

Felipe Melo mais uma vez foi expulso, mas seu caso não entra na conta. Ele apronta dessas em qualquer campeonato.

No geral, o Allianz Parque parece ter sido tomado pelo espírito medieval que predomina na Libertadoes. Gandulas retardando o reinício da partida, brigando e sendo expulsos. Deyverson passando vergonha ao simular levar uma bolada depois de chegar ao absurdo de comemorar ter recebido uma falta. O ambiente estava tão contaminado pelo instinto primitivo que Deyverson saiu de campo expulso com pose de herói.

É constrangedor ver um clube com um investimento tão alto como o Palmeiras assegurar a vaga investindo em faltas, catimbas e com derrota por 1 a 0 em casa para uma equipe que custa muito menos.

O cenário natural seria o alviverde brilhar com lances técnicos de Dudu e Lucas Lima, entre outros. Porém, com a participação decisiva de Felipão, o que se viu foi a troca da técnica pelo futebol pobre da maioria dos participantes da Libertadores.

Claro que não precisa ser assim. Prova disso é o Grêmio, atual campeão e que segue forte na disputa jogando bola. Mas também a equipe gaúcha deveria repensar se vale se expor numa competição de nível subterrâneo.

Corinthians tenta atacante paraguaio vinculado ao Real Madrid

Leia o post original por Perrone

Com Dassler Marques, do UOL, em São Paulo

Sergio Díaz, atacante paraguaio vinculado ao Real Madrid, virou alvo da diretoria corintiana. A contratação está sendo tentada pelo clube brasileiro apesar de ser considerada difícil. O cenário viável é o empréstimo

Sem espaço no time principal do gigante europeu, o atleta de 20 anos atuou pelo Real Madrid B e na última temporada foi emprestado ao Lugo, da segunda divisão espanhola. Neste momento, seu nome não aparece nem no elenco do Real B no site da agremiação da capital da Espanha.

Díaz chamou a atenção do Corinthians quando jogava pelo Cerro Porteño. Ele fez um gol na vitória da equipe paraguaia por 3 a 2  no confronto entre os times pela Libertadores de 2016.

Além do atacante, o alvinegro tenta um volante e um meia. A prioridade da direção é encontrar substitutos para Renê Júnior, lesionado gravemente, e Rodriguinho, que se transferiu para o Egito..

O gol mais bonito Lucca não fez

Leia o post original por Antero Greco

É bom a diretoria do Corinthians correr e acertar de vez a situação do atacante Lucca. Ele tem contrato apenas até o fim de maio, mas já mostrou que é importante no novo time de Tite. Lucca marcou os dois gols da vitória sobre o Cerro Porteño, em Itaquera, diante de mais de 42 mil torcedores.

Mas o gol mais bonito da noite ele não fez: deu um chapéu no zagueiro, venceu outro paraguaio na corrida e bateu com a certeza de que estava fazendo história. O goleiro Antony Silva conseguiu atrapalhar o que seria um sonho de menino e a bola ainda se chocou na trave.

“Estou tranquilo, a diretoria está acertando a minha contratação”, disse sem afetação após os 2 a 0, que levaram o Corinthians à liderança do grupo 8, da Libertadores.

Lucca foi o nome da noite, mas o lateral Fagner também jogou muito pela direita, o zagueiro Felipe mostrou a firmeza habitual, Giovanni Augusto vai se firmando no ataque e Maycon é a grata e jovem surpresa do time corintiano.

Aliás, o técnico Tite já faz o torcedor acreditar na reconstrução de um time de verdade, após a venda de vários titulares. O Corinthians marcou o Cerro Porteño com eficiência e atacou com sabedoria, passes rápidos e uma movimentação que evidencia muito treino, suor e inteligência.

Fica a impressão de que este Corinthians, mesmo sem grandes figuras individuais, vai ficar um time extremamente competitivo, com a volta de Elias (ainda em tratamento) e o retorno de Rodriguinho (que cumpriu suspensão pela expulsão no jogo anterior, em Assunção, quando o Cerro venceu por 3 a 2).

Por enquanto, o grande nome alvinegro é o treinador.

Que já fez história e pelo jeito vai bater o recorde de Oswaldo Brandão, que dirigiu o Corinthians em 435 ocasiões. Nesta quarta-feira, Tite completou 359 jogos como comandante corintiano: venceu 185 vezes, empatou 105 e perdeu 69 partidas.

A fiel torcida volta a ter motivos para acreditar em um 2016 de conquistas.

(Com colaboração de Roberto Salim.)

Ainda são fortes

Leia o post original por Rica Perrone

Eu disse quando sairam quase todos que o maior segredo do Corinthians não era individual, embora fizessem enorme diferença.  Cada jogo que assisto tenho mais convicção de se tratar de uma filosofia e não de um time que caiu do céu. A diferença brutal de qualidade não é proporcional a do futebol apresentado.  Apensar de …

Atípico sim senhor!

Leia o post original por Rica Perrone

Por favor, mais cautela e menos manchetes. O Corinthians que perdeu pro Cerro é um time pouco discutível, sem nenhuma polêmica e ser avaliada com estardalhaço e que mesmo se tivesse os 11 em campo, não poderia considerar esse resultado um absurdo. Quando é Corinthians se joga pro alto na mesma proporção que se atira …

Corinthians perde a cabeça e o jogo

Leia o post original por Antero Greco

O Corinthians foi vítima, no início da noite desta quarta-feira, da maldita conversa de que “Libertadores é diferente”. Isso mesmo. Caiu no lugar-comum, mais pra conto do vigário, de que se requer força para superar adversários na competição sul-americano, sobretudo quando se joga fora de casa. Erro que, em outras edições, lhe custou desclassificação.

Como isso aconteceu? Os corintianos exageraram nas divididas, tiveram dois expulsos – André e Rodriguinho – e não conseguiram suportar a pressão do Cerro. Resultado: saiu do 1 a 0 no primeiro tempo, para tomar a virada, com três gols, e ainda diminuir no final.

Os 3 a 2 não mudam muito a situação no Grupo 8, apesar de ter caído para o segundo lugar, com 6 pontos, contra 7 dos paraguaios. O Santa Fé tem 4. A derrota expôs, porém, limitações do grupo, principalmente no que se refere a autocontrole e maturidade.

O Cerro não é tecnicamente superior ao Corinthians – e sentiu o baque na primeira etapa, ao tomar gol de André aos 12 minutos. Tite recorreu ao 4-1-4-1 dos melhores momentos de 2015 e, dessa maneira, segurou os donos da casa. Cássio não tomou grandes sustos.

O desmoronamento veio na etapa final. Primeiro com o vermelho para o André, por acúmulo de advertências. A saída do atacante aos 6 minutos, pouco depois do gol de empate (Beltrán, aos 3), mexeu com o Corinthians.

Numa das raras ocasiões em que se viu com menos jogadores, não soube como redistribuir-se e perdeu o duelo no meio-campo. Só não ficou com 9 em campo aos 13 minutos, porque o juiz livrou a barra de Guilherme, que tinha cartão amarelo e fez falta com carrinho. Rodriguinho foi quem levou a advertência no lugar do companheiro.

Só que o refresco dado pelo árbitro não valeu nada, pois Rodriguinho depois também deu carrinho desnecessário e foi pro chuveiro. Sérgio Dias aos 30 e Beltrán aos 37 liquidaram com a invencibilidade alvinegra. Giovanni Augusto, de pênalti, aos 42, só diminuiu o vexame.

A lição com que Tite e jogadores trazem de Assunção é a de que devem esquecer a conversa de que Libertadores significa pegada, garra, catimba, entradas bruscas. Isso não resolve. O que resolve é jogar bola. E o Corinthians não jogou bola, exagerou nas faltas e… perdeu.

Santos, o maior nascedouro de craques do mundo, voltou a golear! Cruzeiro, desta vez sem ajuda da arbitragem, empata em casa! E o Vasco, se preparando para mais um vice, vence pelo placar mínimo!

Leia o post original por Milton Neves


kalil_charge

placar_17_04

Santos 3 x 0 Mixto-MT

Já diria o poeta que terra de avião é  céu.

E que o piso da jangada é o mar.

E se cada coisa tem o seu o lugar, o maior nascedouro de craques é o Santos Futebol Clube, o Leão do Mar.

Se pensarmos além da esquina, a derrota para o Ituano na final do Campeonato Paulista, poderá consolidar o caráter de uma geração de jovens talentos que podem  muito bem se transformarem em craques, do nível de Robinho, Diego e Neymar.

Na Vila Belmiro, os “meninos” da Vila golearam o Mixto, com destaque para o Gabigol

Cruzeiro 1 x 1 Cerro Porteño

Aos trancos e barrancos no último minuto, desta vez sem a ajuda da arbitragem, o Cruzeiro empatou com o Cerro Porteño, pela Libertadores da América.

No último segundo, aos 49 minutos do segundo tempo, por ironia do destino, um paraguaio, Samúdio, marcou o gol de empate da Raposa. Que agora, encara a equipe do ex-palmeirense Arce, no temível Defensores Del Chaco, na capital paraguaia.

Vasco da Gama 1 x o Resende

Com um gol de penalidade máxima, do ex-corintiano Douglas, o Vasco derrotou o time do Amazonas e se classificou para a próxima fase da Copa do Brasil, se preparando para mais um vice.

A notícia triste : Atualizado às 1h30 –  o atleta Everton Costa do Vasco desmaiou e teve um princípio de convulsão no banco de reservas . Socorrido pelos médicos vascaínos, ele deixou São Januário de ambulância e  foi internado em um hospital carioca devido a uma arritmia cardíaca.

Outros Resultados:

Goiás 0 x 0 Botafogo/PB – Verdão do centro-oeste eliminado da Copa do Brasil

Coritiba 2  x 0 Cene – Coxa classificado

Ceará 0 x 0 Fortaleza – final do Campeonato Cearense

Sport 2 x 0 Náutico – Final do Campeonato Pernambucano

E agora, torcedor,  qual será o destino do Peixe na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro? E o Cruzeiro, irá se classificar no Paraguai?

Brasileiros têm missão difícil nas oitavas da Libertadores

Leia o post original por Quartarollo

Os paulistas não podem falar nada sobre a eliminação dos cariocas Flamengo e Botafogo na primeira fase da Libertadores pois nem até lá conseguiram chegar nesta temporada. Foi a pior classificação dos paulistas em muitos anos no Brasileiro do ano … Continuar lendo