Arquivo da categoria: Corinthians

Corinthians faz acordo com banco para antecipar grana da venda de Pedrinho

Leia o post original por Perrone

Com Diego Salgado, do UOL em São Paulo

O Corinthians entrou em acordo com um banco estrangeiro e espera receber antecipadamente ainda nesta semana sua parte integral na venda de Pedrinho para o Benfica.

O contrato com a instituição financeira chegou ao Parque São Jorge na última sexta para ser assinado. Segundo fonte na diretoria corintiana, trata-se de um banco em Luxemburgo.

Pedrinho foi vendido por 20 milhões de euros, com pagamento parcelado a partir do fim de junho. O alvinegro tem direito a 70% desse valor (14 milhões de euros ou cerca de R$ 88,1 milhões pela cotação atual).

Com suas dificuldades financeiras agravadas pela queda de receitas por conta das suspensão dos campeonatos como medida de combate à pandemia de Covid-19, o clube decidiu tentar antecipar o recebimento desse dinheiro.

A operação funciona assim: um banco repassa de uma só vez a quantia que seria repassada a repassada pelo Benfica parceladamente. Porém, a instituição cobra uma taxa pela operação. Ou seja, o Corinthians põe a mão na grana antes, mas recebe menos por causa da antecipação.

A avaliação na diretoria é de que a antecipação dará fôlego financeiro ao clube provavelmente até outubro.

Como mostrou o blog, o alvinegro precisou até parcelar em três vezes os salários referentes a abril dos funcionários. Ainda falta pagar 15% do valor.

Corinthians parcela pagamento de salários de abril de funcionários

Leia o post original por Perrone

Com Diego Salgado, do UOL em São Paulo

Enfraquecido por conta da queda de receitas provocadas pela pandemia de Covid-19, o Corinthians ainda não conseguiu pagar integralmente os salários de seus funcionários referentes a abril. O pagamento foi fracionado. A primeira parcela foi paga no último dia 8. Nesta sexta (15), foi paga a segunda parte e avisado aos colaboradores que ainda faltam 15%, incluindo quantia referente às férias coletivas dadas no mês passado.

A partir do próximo pagamento, a maioria dos funcionários alvinegros sofrerá um corte de 70% em seus vencimentos, forma que a direção diz ter encontrado para evitar demissões. Mas, pelo menos parte dos empregados, está irritada porque a redução foi superior à aplicada aos jogadores. O desconto para os atletas será de 25%. O argumento dos descontentes é de que a maioria dos jogadores ganha bem e que quem recebe menos, como esses funcionários, deveria ter sido mais protegido pela direção. Procurado, o departamento de comunicação do Corinthians afirmou que o clube não vai comentar o assunto.

O blog teve acesso à mensagem recebida por funcionários nesta sexta informando que 85% do pagamento referente a abril foi feito. “Prezados gestores, boa tarde! Mais uma vez contamos com o apoio de vocês para transmitir a informação aos seus liderados de que hoje foi realizado o pagamento de mais uma fração do pagamento mensal e das férias, no percentual de 40% dos respectivos líquidos, atingindo assim, 85%, dessa forma fica pendente para pagamento 15% do valor líquido a receber. Como mencionado acima pelo Gavioli, infelizmente, está difícil nosso fluxo de caixa, mas em breve superaremos. Informaremos aqui quando pagaremos a última parcela”, diz o aviso. O recado menciona Roberto Gavioli, gerente financeiro do clube.

Dois funcionários do alvinegro disseram ao blog que a diretoria não abriu negociação com eles sobre o tamanho do corte nos salários e que já apresentou pronta a decisão de efetuar o desconto seria de 70%. Há entre os empregados do Corinthians quem reclame de falta de respeito por conta dessa atitude.

A medida provisória 936, que regula a diminuição da jornada de trabalho e a consequente redução salarial de até 70%, diz que as diminuições devem ser definidas em acordos individuais por escrito com os funcionários. Os afetados pelo corte têm direito ao “Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda” a ser pago pelo governo federal com valor atrelado ao seguro-desemprego.

Parte dos colaboradores da agremiação reclama que, depois das férias, têm trabalhado em período integral de casa. Ou seja, sem diminuição da jornada de trabalho para justificar a redução salarial.

Internamente, cartolas não tratam o problema no pagamento de abril como atraso. Falam em “distribuição do fluxo” de pagamento por conta da diminuição de receitas durante a pandemia. O discurso é de que o clube está se esforçando para manter o emprego dos funcionários e que esse esforço deve ser valorizado. A expectativa é de que os 15% restantes referentes aos pagamentos de abril sejam depositados na próxima quarta.

Em relação aos acordos para os cortes, intramuros, a direção sustenta que todos os gestores foram orientados a comunicar seus subordinados sobre a decisão de redução de 70% com antecedência, mas que é impossível saber quando isso foi feito por cada um. E que a orientação foi para que todos os funcionários que concordassem dessem o aceite por e-mail.

Corte de ajuda enquanto Palmeiras apoia base gera revolta no Corinthians

Leia o post original por Perrone

Com Diego Salgado, do UOL em São Paulo

O corte de ajuda de custo para garotos das categorias de base do futebol do Corinthians associado à postura oposta do rival Palmeiras gera revolta entre pais dos meninos alvinegros. A insatisfação atinge também membros do departamento de futebol amador que pretendem conversar com o presidente Andrés Sanchez para tentar reverter a medida.

Em geral, o problema se concentra entre as categorias que vão do  sub-11 ao sub-14. Como não estão ocorrendo treinos por conta das medidas de distanciamento social para combater o avanço do novo coronavírus, a direção corintiana cortou a ajuda de custo dos atletas que ainda não podem assinar contrato profissional. A principal justificativa é a queda de receitas sofrida pelo clube com a suspensão dos jogos profissionais.

Familiares dos meninos, porém, reclamam que o corte veio justamente no momento em que eles mais precisam de suporte. O argumento é de que alguns já dependiam da ajuda de custo para auxiliar as famílias e que pelo menos algumas delas ficaram mais vulneráveis durante a pandemia com perdas de receita.

Os valores pagos variam entre R$ 300 e R$ 500, segundo fontes ouvidas pelo blog.

A situação ficou mais incômoda quando os meninos e seus familiares descobriram que o Palmeiras teve gesto diferente com seus atletas da base.

Apesar da suspensão dos treinamentos, o alviverde manteve a ajuda de custo para os atletas das categorias de base e, quando necessário, reforça a assistência com medidas como entrega de cestas básicas.

Desde que os jogadores entram nos times de base, o Palmeiras monitora suas condições sociais, o que facilita o acompanhamento durante a pandemia.

O clube já detectou atletas que precisaram de mais apoio porque seus pais tiveram queda de receita por conta dos reflexos da pandemia.

No Corinthians, os cortes desagradaram integrantes das categorias de base em todos os níveis.

Alguns dos responsáveis pelo departamento definem o corte  nas ajudas de custo nesse instante como um gesto insensível e um erro de gestão.

Eles relatam ter conhecimento de  que parte dos garotos sente significativamente a perda de receita. Por isso se mobilizam para tentar reverter a situação junto a Sanchez.

De acordo com um dos integrantes do departamento de futebol amador, o corte começa a valer para a ajuda referente a abril, paga agora no começo de maio.

Corinthians nega insensibilidade

O blog procurou a assessoria de imprensa do Corinthians para ouvir a diretoria sobre o tema. Abaixo, leia a nota enviada como resposta.

“A decisão está baseada simplesmente na redução de receitas que impossibilita o pagamento nesse momento. Não quer dizer que não pagaremos no futuro, quando a situação de caixa se estabilizar. A situação será avaliada caso a caso, e é importante destacar que o clube é sensível à situação desses garotos e suas famílias”.

O blog ainda indagou se os jogadores podem ser ressarcidos no futuro pelas ajudas de custo eventualmente não pagas. A resposta da assessoria de imprensa foi: “a princípio, (a ajuda de custo) pode ser retomada e não ressarcida, mas isso será avaliado oportunamente”.

Análise: Corinthians consegue criar crise mesmo sem jogar

Leia o post original por Perrone

Com o Campeonato Paulista suspenso por causa da pandemia de Covid-19, o Corinthians ganhou tempo para lamber as feridas e tentar voltar saudável para a competição na qual ostenta desastrosa campanha. Porém, justamente quem deveria cuidar dessa recuperação faz o clube sangrar mais ainda.

Mesmo sem derrotas ou empates diante de adversários teoricamente mais fracos, Andrés Sanchez e Tiago Nunes conseguiram a proeza de criar uma nova crise.

A primeira lambança foi feita pelo treinador, em março, já com o campeonato parado. Ele deu entrevista dizendo que o Cifut (Centro de Inteligência do Futebol)  do Corinthians estava sucateado quando ele chegou ao alvinegro.

Nunes não é um técnico do infantil para não saber que tal tipo de crítica feita publicamente vai criar problema com a diretoria. Isso mesmo se seu trabalho fosse ótimo e o time estivesse liderando o Estadual, o que está bem longe da realidade.

O assunto parecia morto até que nesta quarta (23), em entrevista ao jornalista Jorge Nicola, Andrés Sanchez resolveu responder ao técnico.

O presidente corintiano afirmou que está bravo com o treinador e que Nunes deve ter vindo do Barcelona para reclamar do Cifut alvinegro. Andrés disse que nenhum clube brasileiro, e nem o Barça, tem um departamento mais moderno do que o de seu time.

Ou seja, não se deu ao trabalho de ser fiel às declarações do técnico. Nunes não reclamou de equipamentos. Disse que o Cifut estava defasado em relação a informações.

Sanchez não é dirigente de time escolar para não saber que ao responder publicamente ao técnico comete o mesmo erro de seu funcionário.

Pelo contrário. Andrés tem traquejo de sobra para agir dentro do vestiário. Assim, não dá pra visualizar bem seu gesto. Não por falta de clareza, mas por conta da fumaça de fritura em volta do técnico corintiano.

Corinthians dá bônus para sócio-torcedor fazer pagamentos em quarentena

Leia o post original por Perrone

O Corinthians lançou programa para estimular seus sócios-torcedores a continuarem pagando mensalidades e até mesmo antecipar a renovação de assinaturas. Isso apesar de não poderem assistir aos jogos do time neste momento por conta da paralisação dos campeonatos como parte de das medidas de combate ao avanço do novo coronavírus no país.

A ação permitirá ao clube manter ou antecipar parte das receitas no período de quarentena.

Quem continuar pagando as mensalidades ou antecipar a renovação do plano ganhará bônus em pontos.

A pontuação faz parte dos critérios para definir quem tem prioridade na compra de bilhetes para as partidas do alvinegro.

A pontuação varia de acordo com a quantidade de mensalidades pagas ou antecipadas. Quem pagar por um ano ganha 20 pontos independentemente de comprar tíquetes para as partidas. Os pagamentos feitos a partir de janeiro entram na conta.

A promoção vale até o retorno das competições. Existe grande preocupação na diretoria em gerar receitas durante a suspensão dos jogos para pagar funcionários.

Secretaria analisa possibilidade de usar estrutura do São Paulo em pandemia

Leia o post original por Perrone

A Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo analisa a viabilidade técnica e a necessidade de usar os equipamentos oferecidos pelo São Paulo no combate ao avanço do coronavírus. A principal estrutura são-paulina é o estádio do Morumbi.

O departamento de comunicação do órgão cestadual confirmou que o clube tricolor fez a oferta e analisa a situação.

Outras estruturas importantes são os centros de treinamentos das categorias de base e do time principal.

O Pacaembu, por exemplo, está recebendo um hospital de campanha para  atendimentos durante a pandemia.

No último sábado (21), o Corinthians publicou em rede social que colocou à disposição das autoridades todos os seus equipamentos.

Ao blog, o setor de comunicação da secretaria estadual afirmou que não poderia confirmar no final de semana se recebeu oficialmente a oferta corintiana. Contudo, ela também deve ser analisada.

“Face ao necessário enfrentamento da epidemia de coronavírus no Brasil, e fiel à sua tradição de solidariedade e responsabilidade social, o Sport Club Corinthians Paulista está disponibilizando todos os seus equipamentos para que as autoridades avaliem de que forma poderão ser utilizados no combate ao avanço da doença e na assistência à população em geral. Estão à disposição, desta forma, sua sede social, no Parque São Jorge, o centro de treinamento Dr. Joaquim Grava e a Arena Corinthians”.

Por sua vez o Palmeiras emitiu nota afirmando que está pronto para contribuir com ações e recursos no combate à pandemia.

O presidente do alviverde, Maurício Galiotte, conversou com autoridades envolvidas com o tema e colocou a estrutura do clube à disposição.

O Allianz Parque, estádio palmeirense, será usado nesta segunda (23) para uma campanha de vacinação contra a gripe influenza.

Santos

José Carlos Peres presidente do Santos disse ao blog que ofereceu à Secretaria Municipal da Saúde da cidade litorânea as instalações de seu clube.

“Oferecemos a nossa infraestrutura, como por exemplo o Salão de Mármore (área na Vila Belmiro em que o clube realiza eventos importantes). E o apoio para construir provisoriamente o que for possível. Temos espaço e um departamento de patrimônio. Se houver demanda, temos engenheiros, eletricistas, encanadores, pintores, todos à disposição”, afirmou Peres. 

Ala da oposição pede investigação sobre Fernando Garcia e Corinthians

Leia o post original por Perrone

Um dos grupos de oposição do Corinthians enviou nesta terça (17) requerimento aos presidentes do clube, do Conselho Deliberativo e do Cori (Conselho de Orientação) pedindo apuração a respeito de negociações das empresas do agente Fernando Garcia com a agremiação.

A Frente Liberdade Corintiana quer saber se as empresas de Garcia, Elenko Sports e Luis Fernando Assessoria Esportiva têm algum tipo de benefício no Corinthians.

Eles usam reportagens publicadas pelo site “Meu Timão” para justificar a apuração.

A página produziu matéria afirmando que nos últimos dez anos o Corinthians contratou 51 jogadores ligados a Fernando. Ele é  ex-conselheiro, amigo do presidente Andrés Sanchez e irmão de Paulo Garcia, que pode se candidatar novamente à presidência em novembro deste ano.

A reportagem aponta que boa parte dos nomes indicados não vingou no time.

“Pelo exposto, é a presente para lhes requerer a adoção de imediatas providências visando a apuração da veracidade estampada nestas matérias, que acarretam sérias dúvidas acerca das operações nelas apontadas, que comprometem, indubitavelmente, não só a lisura institucional da agremiação, mas também transpõe-se aos resultados de alta relevância prejudiciais, não só esportivos, como também financeiros”, diz o requerimento.

“Não tenho nada declarar sobre isso. Eles têm todo o direito de pedir o que eles quiserem. Acho que não precisa nem protocolar. É só entrar no balanço do Corinthians e ver. É uma coisa tão simples de fazer. Não tem esse negócio de 50 jogadores, não tem nem jeito de eu fazer isso. Difícil, não tenho nada para falar. Eles estão certos, se têm dúvida, têm que ir lá e tirar a dúvida mesmo. A meu respeito ou a respeito de qualquer um, Carlos leite, Giuliano (Bertolucci) e outros, do tempo do Fernando Alba (ex-diretor), quando ele estava nas categorias de base”, afirmou Fernando Garcia blog.

 

O time do Corinthians é bem fraco . O técnico ainda está só aprendendo .

Leia o post original por Nilson Cesar

O Corinthians tem um elenco e um time bem fraco . Pode ficar de fora da fase decisiva do Paulistão . Acho isso lamentável . Teria obrigação de ao menos estar presente na fase decisiva . Treinador e jogadores são os culpados . O treinador ainda está aprendendo em sua carreira. Muitos dos jogadores não poderiam estar no Corinthians . Essa é a realidade . O torcedor não pode ser iludido .

Fonte

Projeto de candidatura de Gobbi avança no Corinthians, mas tem obstáculos

Leia o post original por Perrone

Faz praticamente dois anos que aliados do ex-presidente corintiano Mário Gobbi iniciaram um projeto para tentar convencê-lo a disputar a próxima eleição presidencial no clube, prevista para novembro.

Entre o final do ano passado e o início de 2020 o movimento ganhou o corpo. Porém, a situação é complexa. A candidatura depende da combinação de uma série de fatores.

Gobbi tem se reunido com membros de diversos grupos políticos oposicionistas. Nesses encontros ele disse que topa ser candidato se houver o apoio dessas correntes sem a negociação de cargos. Caso eleito, Gobbi ficaria livre para fazer suas escolhas.

Nem todos aceitam bem essa exigência. Há quem entenda não fazer sentido trabalhar por um candidato sem a garantia de ter uma participação ativa na administração.

Outro entrave é a já anunciada candidatura de Augusto Melo, o Tio, como opositor.

Entre os conselheiros  procurados por Gobbi está o ex-candidato oposicionista Antônio Roque Citadini. Ele explicou ao ex-presidente que já se comprometeu a ajudar na campanha de Melo, que fez o mesmo por Roque na última eleição. Em tese, a manutenção dessas duas candidaturas e o eventual surgimento de outras enfraqueceriam a oposição.

Só que na ala que combate o grupo de Andrés Sanchez há mais tempo existem conselheiros que enxergam Gobbi apenas como mais um elo da enferrujada corrente situacionista que se quebrou e originou novos grupos.

 Nesse núcleo, há certa resistência a abraçar o ex-presidente como legítimo opositor.

Antes de Gobbi movimentar suas peças, integrantes da velha guarda oposicionista, como o Romeu Tuma Júnior e Osmar Stábile, ex-candidatos à presidência, já trabalhavam num plano de administração que agradasse às diferentes alas oposicionistas. O objetivo é lançar candidato único contra a situação.

Aliados do ex-presidente admitem longe dos microfones que o carimbo de “ex-andresista” precisa ser apagado de Gobbi para a empreitada dar certo.

A ideia é montar uma chapa com nomes reconhecidamente antagônicos ao atual presidente, investir em projetos de compliance e adotar um discurso fortemente oposicionista.

Além de Citadini, Tuma, Stábile e Felipe Ezabella estão entre os nomes que já se reuniram com Gobbi.

 Ezabella, outro ex-candidato à  presidência e que esteve ao lado de Gobbi no apoio a Andrés na primeira gestão do cartola no Corinthians, deixa claro ver com bons olhos uma eventual candidatura do ex-presidente.

Caso seja candidato, Gobbi pretende levar em consideração estudos feitos pelo atual grupo de Ezabella. Ambos devem voltar a ser encontrar nesta terça-feira (3).

Nas conversas,  aliados de Gobbi têm dito que a oposição precisa se unir para vencer a eleição e provocar uma série de mudanças na gestão do do clube. Ele tem falado em retrocesso nos últimos anos e cita os distanciamentos financeiro e no futebol do alvinegro em relação ao Flamengo como exemplo.

Ranking de faltas: D. Alves bate mais do que F. Melo e Fágner no Paulista

Leia o post original por Perrone

A dura entrada de Felipe Melo em Yuri Alberto, do Santos, neste sábado (29), ressuscitou uma antiga discussão nas redes sociais. O debate é sobre quem bate mais: o zagueiro palmeirense ou o lateral corintiano Fágner.

Este blogueiro foi checar os números para tirar a dúvida e tropeçou numa curiosidade. O são-paulino Daniel Alves fez mais faltas no Campeonato Paulista até aqui (antes do confronto com a Ponte Preta neste domingo) do que os dois adversários com fama de mais violentos e foi menos advertido com cartões amarelos.

De acordo com o site especializado em estatísticas Footstats, o jogador do São Paulo acumula 14 infrações em sete jogos com média de duas por partida.

Fágner atingiu oponentes faltosamente em 12 oportunidades nas suas oito apresentações no estadual. A média é de 1,7 falta por jogo.

O polêmico Felipe Melo registra menos da metade de infrações cometidas por seus dois colegas de profissão em questão. Segundo o Footstats, o palmeirense fez apenas cinco faltas em sete jogos, anotando média de 0,7 infração por jogo.

Ele me deu um amarelo que não existe, tem jogadores dando voadora e fazem vista grossa.

Felipe Melo sobre o lance com Yuri Alberto em entrevista ao canal Premiere

Obviamente, os números não medem a brutalidade e a imprudência das faltas. No entanto, o ranking de cartões amarelos indica como os juízes interpretam essas jogadas.

Apesar de ser o mais faltoso entre os três, Daniel Alves é o que menos foi advertido pela arbitragem. Só tomou um cartão amarelo até aqui. Fágner levou dois. Do trio, o zagueiro palmeirense é o recordista com três amarelos. Nenhum desses jogadores foi expulso.