Arquivo da categoria: Cotia

Sem Juvenal, São Paulo quer abrir ‘caixa preta’ das categorias de base

Leia o post original por Perrone

Após a demissão de Juvenal Juvêncio da direção de futebol amador, a cúpula do São Paulo inicia uma operação para abrir o que chama de a caixa preta do CT de Cotia. O argumento é de que o ex-presidente dificultava o acesso do departamento de futebol profissional às informações das categorias de base, impedindo a integração. Por essa versão, os obstáculos atrapalham até o técnico Muricy Ramalho.

A suposta cortina de ferro em volta do Centro de Treinamento dos times amadores foi um dos motivos que provocaram o rompimento de Carlos Miguel Aidar com seu antecessor na presidência. Nas palavras de um membro da diretoria, agora, com a chave do CT da base nas mãos, Aidar poderá, de fato, exercer a presidência. Por isso está aliviado após enfrentar o ex-presidente.

Segundo integrantes da atual administração, um dos exemplos de como Cotia se tornou um território fechado é o fato de uma empresa contrata para fazer levantamento em todas as áreas do clube não ter obtido as informações que desejava no centro de produção de jogadores são-paulinos.

A meta agora é desvendar todos os contratos de jovens atletas para saber exatamente quem são os agentes e empresas que têm participação nos direitos econômicos deles. E descobrir se aconteceram irregularidades nos processos de seleção de jogadores.

Uma das intenções é colocar em prática um projeto capitaneado pelo jogador Pita que reduzirá drasticamente a quantidade de atletas nas categorias de base, em tese, possibilitando uma avaliação melhor de cada um deles. O tamanho das categorias de base gerou atrito entre Juvenal e Aidar. Pelos números do atual presidente, eram no começo do ano 320 jogadores. Houve redução para 240 e agora, sem a resistência de JJ, o plano é chegar a 150.

Comissão polêmica

Outra missão é descobrir se há mais casos como o de Lucas Evangelista. Segundo relatos da nova diretoria, o clube se comprometeu a pagar 10% de sua parte como comissão na venda do jogador para a Udinese ao empresário Joseph Lee a título de formação e desenvolvimento do atleta, formado no São Paulo. Ele foi negociado por aproximadamente 4 milhões de euros. O clube tinha direito a 60% dos direitos econômicos. Mas tem que dar 10% de comissão para a Traffic pela intermediação da venda, além da porcentagem para Lee.

Pelo menos hoje, a decisão é não pagar a quantia que Lee teria direito. O blog telefonou para o empresário, mas ele não atendeu e nem retornou às ligações. Por sua vez, Juvenal disse que estava ocupado e ligaria mais tarde, mas não ligou.

Porém, segundo ex-integrante do estafe de JJ, a dívida com o agente é referente ao fato de ele ter ajudado o clube a contratar o zagueiro Rhodolfo. O empresário não recebeu dinheiro no ato, mas pôde escolher receber quando clube negociasse três jogadores. Outro da lista era o jovem Mirray. O argumento é de que em outras ocasiões, como quando o São Paulo brigou com o empresário de Oscar, Giuliano Bertolucci, levado para o Internacional, Juvenal foi criticado por não saber lidar com agentes, então, se adaptou ao mercado.

Nas novas incursões por Cotia a direção também quer confirmar se há pais de jogadores que recebem ajuda de custo, o que a atual administração promete cortar.

Para derrubar o muro que a nova cúpula são-paulina diz existir no CT das categorias de base, além de Juvenal, também foi demitido Geraldo Oliveira, funcionário do clube que cuidava de Cotia e constantemente era alvo de críticas de conselheiros. Em entrevista ao canal Fox Sports, na última segunda, o ex-presidente elogiou Oliveira, descrevendo o funcionário como um guardião de Cotia.#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,’/2014/leia-tambem-1410957231798.vm’)

Em retaliação ao Governo, São Paulo não inscreve CT de Cotia para Copa

Leia o post original por Perrone

Elogiado pela CBF, o CT do São Paulo em Cotia é objeto de desejo do comitê paulista para a Copa de 2014. Prefeitura e Governo querem colocar o local no catálogo que é oferecido às seleções estrangeiras, mas o clube do Morumbi não deixa.

Um dos motivos para o São Paulo não inscrever o centro de treinamento como candidato a um dos locais oficiais da Fifa é a insatisfação com o Governo por causa das obras da Linha 17 Ouro do Metrô.

Nos bastidores, os são-paulinos reclamam de que um empreendimento da construtora Cyrela, vizinho ao Morumbi, ainda não foi desapropriado para o alargamento de uma avenida por causa do monotrilho.

 Ao mesmo tempo, a cúpula são-paulina soube que quem já visitou o CT de Cotia demonstrou ao comitê paulista o interesse de ficar na casa são-paulina. Isso aumentou o desejo das autoridades de contar com o centro de treinamento tricolor.

Nesse cenário, o São Paulo resolveu dar o troco. Se não é atendido na questão da desapropriação, também não vai engordar o catálogo paulista para a Copa com seu CT. Além disso, Juvenal Juvêncio não vê com bons olhos as rígidas leis da Fifa. Se assinar o contrato para ser uma das sedes oficiais, ele pode ter que fazer reformas contra a sua vontade.

Reprodução do site da CBF com elogio ao CT do São Paulo em Cotia

Por sua vez, o comitê paulista entende que o Governo colaborou com o clube, pois manteve o projeto do metrô, mesmo com o Morumbi fora da Copa. Acredita que a decisão de Juvenal tem mais a ver com a vontade do clube de negociar diretamente com alguma seleção, o que não costuma acontecer. O novo período de inscrição para CTs termina dia 30 de setembro.

Após vitória em clássico, São Paulo se prepara para receber Andrés em CT, mas corintiano não vai aparecer

Leia o post original por Perrone

A diretoria do São Paulo se preparou para receber no CT de Cotia o corintiano Andrés Sanchez nesta terça, dois dias após o clássico em que os tricolores bateram o alvinegro no Pacaembu. Mas o diretor de seleções da CBF não vai aparecer.

Na última quarta, o São Paulo recebeu um e-mail da Confederação Brasileira que informava sobre a visita de integrantes da entidade ao centro de treinamento, local escolhido pra abrigar a seleção brasileira antes do amistoso com a África do Sul, no Morumbi.

A mensagem, assinada por uma funcionária do departamento de seleções da CBF, diz que “na visita, deverão estar” Andrés, o administrador Guilherme Ribeiro, o chefe de segurança coronel Castelo Branco e o assistente de administração Roberto Valdemar.

No Morumbi, existe a desconfiança de que Andrés desistiu de aparecer depois da derrota de seu time no clássico. A assessoria de imprensa da CBF, porém, diz que sua presença nunca esteve programada. Afirmou ao blog que o nome do corintiano só aparecia no comunicado enviado ao São Paulo por ser o diretor de seleções da CBF. E que ele não estará no CT porque não é sua função examinar quartos e outros aposentos do CT. Declara ainda que Andrés já visitou o local.

Os donos dos meninos.

Leia o post original por Luiz Ceará

Vou voltar ao assunto do CT de Cotia, porque foram muitos os comentários e as denuncias. Fiquei espantado. Aqui vão alguns dos amigos do Blog e suas opiniões.
micpiroutek
6 horas atrás
Meus filhos (bons de bola diga-se de passagem), passaram pelo CT de Cotia uma semana, fizeram os treinamentos e detonaram nos treinos práticos, mas mal foram analisados, afinal, deve-se olhar o atleta do “empresário”, que não joga nada, mas vai dar dinheiro. Há 30 anos atrás, quando ainda eram as famosas peneiras, o mesmo ocorreu comigo, cheguei no Morumbi, como muitos, antes das seis da manhã, com fome e sono, esperamos até as nove, fizeram 10 times, entrei em campo as duas da tarde, e os “Profissionais do Sum Paulo” (assim mesmo, entre aspas), mal olharam os garotos. O Resultado já está aparecendo!

ALLTERADOS
6 horas atrás
O erro não é na estrutura,mas de quem comanda ela,não existe um jogador que está lá que não seja de empresario,por isso muitos talentos não são aproveitados,pq não passam da primeira peneira,pois na mão dos olheiros que estão lá já tem uma lista com os nomes dos meninos que são dos tais empresarios,o resultado é este,um timinho medonho,que na minha opinião não tem um só jogador com capacidade de ser um profissional de alto nível,o pior e que vão subir e tornar nosso futebol cada vez mais nivelado por baixo,infelizmente.

hrachovetz
7 horas atrás
como que o otimo ct de cotia, que tem tudo para produzir muito e produz pouco os ultimos jogadores da categoria de base, que foram para o profissional fracassaram, cheios de impafia, sem motivação se tornaram coadjuvantes dos mais vehos na falta de compromisso com a vitoria. na promoção, vieram reclamações dos salarios, sem provar em campo seu valor. exemplos: oscar( reclamou de ficar no banco, do salario e processou o spfc), casemiro (reclamou de salarios, desfila no gramado sua arrogancia e agora chora), lucas(foi até sortear os jogos da copa, apareceu como solução e agora esta desaparecendo) ganhar a sub-20 e valido, mas contra quem?

hrachovetz
7 horas atrás
como que o otimo ct de cotia, que tem tudo para produzir muito e produz pouco os ultimos jogadores da categoria de base, que foram para o profissional fracassaram, cheios de impafia, sem motivação se tornaram coadjuvantes dos mais vehos na falta de compromisso com a vitoria. na promoção, vieram reclamações dos salarios, sem provar em campo seu valor. exemplos: oscar( reclamou de ficar no banco, do salario e processou o spfc), casemiro (reclamou de salarios, desfila no gramado sua arrogancia e agora chora), lucas(foi até sortear os jogos da copa, apareceu como solução e agora esta desaparecendo) ganhar a sub-20 e valido, mas contra quem?

O Juliano…
17 horas atrás
É mais do que certo tratar bem a molecada, serão nossos futuros jogadores e darão lucro ao clube. O time foi desclassificado, como muitos outros times grandes, mas todo mundo se esqueceu que a poucos meses atrás foram campeões no Paulista. O problema são os tais “empresários”, ô raça dos infernos.

Bom, o leitor do Blog, que é são paulino e mesmo aquele que não é, tem concordado com nossa linha de raciocínio. O empresário de crianças é um malfeitor, um mal intencionado pra ficar barato. Ilude os pais, os meninos e dá no que dá. O clube quando vai ver, tem um elenco de moleques mascarados.
Relógio caro, roupa cara, brinco e dois celulares. E uma cabeça cheia de sonhos, alguns que nunca vão se realizar.
Mas e o empresário do Lucas e do Neymar? Bom, aí a conversa é outra, porque desde que o menino atinge dezesseis anos ou pouco mais, já se sabe se vai vingar. O restante só compõe o elenco, e dá dinheiro para os verdadeiros donos dos meninos.