Arquivo da categoria: Cristiano Ronaldo

O creme de avelã raiz

Leia o post original por Rica Perrone

Veja você que loucura. O Cristiano sacaneou o Atlético, Simeone fez um gesto “obsceno” e o melhor do mundo o repetiu em campo após atuação de gala. Lá, foi “rivalidade”. Aqui, seria 2 horas num mesa redonda qualquer de debate sobre o limite do entusiasmo após um gol. O futebol é tão lindo quando tratado…

Incomparável!

Leia o post original por Craque Neto

Quando ouço gente defendendo o Neymar dizendo que ele tem todas as condições de ser um dia o melhor jogador do mundo, fico pensando que talvez ele tenha nascido na época errada. Aos 27 anos ele sofre há algum tempo a concorrência direta de dois grandes monstros que já tem um lugar reservado na história dos grandes craques do planeta bola. O que o argentino Messi e o português Cristiano Ronaldo têm feito na última década é algo inacreditável. Se revezam ano a ano na premiação da Fifa. Com exceção da última temporada, onde injustamente o CR7 não ganhou (ficou […]

O post Incomparável! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Ronaldo curte vitória de Djokovic

Leia o post original por Fernando Sampaio

Cristiano Ronaldo teve um belo domingo, marcou seu primeiro gol no famoso San Siro para a Juventus contra o Milan. Ontem, o português saiu de Milão e foi até Londres para curtir a estreia vitoriosa de Novak Djokovic contra John Isner por 6/4 3e 6/3. “Eu tinha as cores do clube dele em minha roupa hoje à noite”, brincou Djokovic, que usava preto e branco. “Tenho certeza que ele ficou feliz em ver isso.”
Não é a primeira vez que Ronaldo assiste Djokovic ou a qualquer profissional de tênis em pessoa. No ano passado, o jogador de futebol estava presente quando Rafael Nadal derrotou Djokovic nas semifinais do Mutua Madrid Open. “É ótimo ter uma grande estrela do futebol, uma estrela do esporte como ele, uma quadra assistindo ao tênis. Ele costumava vir e assistir muito em Madri. Rafa, claro, Roger, eu mesmo. Ele é fã de tênis. É realmente muito bom ”, disse Djokovic. “Ele é uma das maiores estrelas do esporte na última década. É ótimo para o nosso esporte tê-lo aqui. Eu vi que ele estava lá com sua família. Não tive a chance de vê-lo após o jogo, mas espero ter essa chance talvez no final desta semana. ”
Djokovic voltará em ação nesta quarta-feira (14), quando enfrenta Alexander Zverev. O alemão derrotou na estreia o croata Marin Cilic, no primeiro jogo do Grupo Guga Kuerten.

Mundial mais ‘teta’ dos últimos tempos, viu?!

Leia o post original por Craque Neto

Viram o que aconteceu no final de semana na Espanha? Pelo amor de Deus! O Barcelona (sem o Messi!) arrebentou com o Real Madrid e goleou por impressionantes 5 a 1. Passadas 10 rodadas, o time merengue, atual campeão da Liga dos Campeões da Europa, é apenas o nono colocado na Liga Espanhola. É brincadeira? Fico impressionado como o clube, considerado pela Fifa como o maior do mundo de todos os tempos, desfragmentou com as saídas do técnico Zidane e de seu principal astro Cristiano Ronaldo. O tal Lopetegui, tão exaltado, já até caiu. E com o Palmeiras e Grêmio […]

O post Mundial mais 'teta' dos últimos tempos, viu?! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Injustiça merecida?

Leia o post original por Craque Neto

Depois de 10 temporadas o prêmio de melhor jogador do mundo finalmente saiu das mãos ou de Lionel Messi ou de Cristiano Ronaldo. Isso mesmo! O vencedor foi o croata Luka Modric, que já havia sido eleito o melhor jogador da Copa com a vice-campeã Croácia e o melhor da UEFA atuando também pelo Real Madrid. Querem minha opinião sincera? Acho que o melhor da última temporada foi o português novamente. Ele arrebentou pelo clube espanhol e só perdeu a taça porque a Fifa colocou o peso dobrado no desempenho de ambos no Mundial. Agora posso falar? Só o desempenho […]

O post Injustiça merecida? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

‘Best’: Modric eleito é reconhecimento ao jogo coletivo

Leia o post original por Perrone

A escolha de Modric como melhor do Mundo no prêmio “Best”, promovido pela Fifa, indica a valorização do jogo coletivo em relação ao talento individual.

Na última temporada, o croata brilhou menos com jogadas individuais do que os concorrentes Cristiano Ronaldo e Salah, vencedor na categoria gol mais bonito. Porém, as estatísticas mostram que Modric participou mais das partidas de suas equipes. Foi maestro, carregador de piano, correndo incansavelmente, e habilidoso.

Obviamente, a premiação não levou em conta só a Copa do Mundo da Rússia, mas a principal competição da modalidade ajuda a entender as diferenças entre os principais postulantes ao posto de melhor jogador do momento.

CR7 foi o artilheiro de Portugal com 4 gols. Salah, que só jogou duas partidas, deixou o Mundial como goleador máximo do Egito após balançar as redes duas vezes. Modric foi apenas o terceiro a marcar mais gols pela Croácia com dois tentos.

Cristiano Ronaldo e Salah foram ainda os jogadores que mais acertaram finalizações em média por suas seleções. Modric ficou em quinto entre os atletas de seu país no Mundial.

O croata, no entanto, assume o topo da lista de sua seleção em quesitos que indicam maior participação no jogo. Ele foi quem mais acertou passes pela equipe com média de 55,3 acertos por jogo. CR7 e Salah foram superados por nove companheiros nesse quesito.

Modric ainda mostra sua importância para a Croácia liderando o ranking de cruzamentos certos de sua seleção durante o Mundial com média de 1,4 por jogo.

Os números (do site Footstats) ajudam a demonstrar como o croata consegue equilibrar talento e espírito coletivo. Ele foi menos agudo do que CR7, Salah e outros concorrentes. Mas foi mais constante. Sua vitória no “Best”, assim como o segundo lugar da Croácia no Mundial, resgata a importância do jogador habilidoso que sabe usar seu talento em prol do time.

‘Best’: Modric eleito é reconhecimento ao jogo coletivo

Leia o post original por Perrone

A escolha de Modric como melhor do Mundo no prêmio “Best”, promovido pela Fifa, indica a valorização do jogo coletivo em relação ao talento individual.

Na última temporada, o croata brilhou menos com jogadas individuais do que os concorrentes Cristiano Ronaldo e Salah, vencedor na categoria gol mais bonito. Porém, as estatísticas mostram que Modric participou mais das partidas de suas equipes. Foi maestro, carregador de piano, correndo incansavelmente, e habilidoso.

Obviamente, a premiação não levou em conta só a Copa do Mundo da Rússia, mas a principal competição da modalidade ajuda a entender as diferenças entre os principais postulantes ao posto de melhor jogador do momento.

CR7 foi o artilheiro de Portugal com 4 gols. Salah, que só jogou duas partidas, deixou o Mundial como goleador máximo do Egito após balançar as redes duas vezes. Modric foi apenas o terceiro a marcar mais gols pela Croácia com dois tentos.

Cristiano Ronaldo e Salah foram ainda os jogadores que mais acertaram finalizações em média por suas seleções. Modric ficou em quinto entre os atletas de seu país no Mundial.

O croata, no entanto, assume o topo da lista de sua seleção em quesitos que indicam maior participação no jogo. Ele foi quem mais acertou passes pela equipe com média de 55,3 acertos por jogo. CR7 e Salah foram superados por nove companheiros nesse quesito.

Modric ainda mostra sua importância para a Croácia liderando o ranking de cruzamentos certos de sua seleção durante o Mundial com média de 1,4 por jogo.

Os números (do site Footstats) ajudam a demonstrar como o croata consegue equilibrar talento e espírito coletivo. Ele foi menos agudo do que CR7, Salah e outros concorrentes. Mas foi mais constante. Sua vitória no “Best”, assim como o segundo lugar da Croácia no Mundial, resgata a importância do jogador habilidoso que sabe usar seu talento em prol do time.

Opinião: Neymar dá motivos para mais rejeição ao monetizar desabafo

Leia o post original por Perrone

“Uma desculpa feita por um redator publicitário?”. A pergunta foi postada por Ewerton Moraes Sarmento na página da Gillette no Facebook. Ela dá a o tom do efeito contrário que a maneira como Neymar escolheu para fazer sua principal manifestação após a Copa do Mundo tem potencial para causar.

O comercial veiculado neste domingo em intervalo do “Fantástico” com o jogador narrando comentários sobre as críticas disparadas contra sua atuação no Mundial é repleto de brechas para quem pega no pé do atacante pegar mais ainda.

A principal delas é o fato de o astro da seleção brasileira monetizar até seu discurso sobre a queda (ou suas quedas) na Rússia. Grande parte dos torcedores que olham torto para Neymar o enxerga como quem coloca o dinheiro acima de tudo. Substituir declarações na zona mista depois da derrota por 2 a 1 para Bélgica por um ensaiado texto divulgado por um de seus patrocinadores, obviamente, não ajuda a apagar essa imagem.

“Trava de chuteira na panturrilha, joelhada na coluna, pisão no pé. Você pode achar que eu exagero. E, às vezes eu exagero mesmo. Mas a real é que que eu sofro dentro de campo”, diz trecho do discurso publicitário. E qual atacante não sofre? É a pergunta natural que se faz ao ouvir o desabafo. Prato cheio para quem acusa o craque do PSG de estar mais preocupado em se fazer de vítima do que em vitimar rivais com seu futebol refinado.

“Agora você não imagina o que eu passo fora dele (camp0)”, diz Neymar completando a afirmação anterior. Nesse ponto é como se ele passasse um marcador de texto nas palavras do coordenador da seleção brasileira, Edu Gaspar, responsáveis por irritar boa parte dos brasileiros. O cartola falou que “não é fácil ser Neymar” e que “chega a dar pena em alguns momentos porque o que esse menino sofre não é fácil”.

Agora imagine o trabalhador que já se prepara para dormir e levantar às 5h da manhã para pegar no batente na segunda-feira ouvir um dos jogadores mais bem pagos do planeta se queixar das durezas de sua vida. E isso ganhando dinheiro para falar. Não pode descer bem.

Se Neymar sofre com algo terrível fora de campo e que impede uma análise correta sobre seus atos, ele já deveria ter revelado o problema faz tempo. Mas, se entende ser algo estritamente pessoal, deve guardar para ele. Falar de maneira enigmática só confunde a opinião pública.

Na peça publicitária, o jogador também lembra o menino que existe dentro dele. Um dos argumentos de seus críticos é o de que ele ainda não amadureceu. Mais uma vez, as palavras escolhidas não o favorecem.

Neymar ainda afirma que demorou a aceitar as críticas. Como acreditar na sinceridade da declaração feita em um comercial?

Para encerrar, o atacante diz que você “pode jogar essas pedras fora e me ajudar a ficar de pé. E quando eu fico de pé, parça, o Brasil inteiro levanta comigo”. Nada poderia ser tão emblemático do que deixar para o encerramento o argumento que norteia sua família e seu estafe. O de que os brasileiros, incluindo os jornalistas, não devem criticar Neymar, mas sim apoiá-lo de maneira incondicional. Não faltaram nem os parças, também campeões de rejeição entre os que apontam o estilo de vida do jogador do PSG como obstáculo para ele alcançar Messi e Cristiano Ronaldo.

O conjunto da obra publicitária aproxima o atacante da figura intragável pintada nas redes sociais por “haters”. E o distancia do Neymar visto no hotel da seleção em Sochi. Um cara solícito diante dos fãs na maioria das vezes, que brincava com filhos de outros jogadores, convivia sem melindres com os jornalistas por lá hospedados e demonstrava preocupação em relação à família, em especial no tocante à irmã Rafaella. Ou seja, um sujeito muito mais cativante do que aquele que tentou conquistar consumidores no intervalo do “Fantástico”.