Arquivo da categoria: Diego Tardelli

Corinthians analisa Marcelo Moreno sem descartar Tardelli e Love

Leia o post original por Perrone

A diretoria do Corinthians está levantando informações sobre Marcelo Moreno. Os dirigentes querem saber as pretensões salarias do atacante e sua disposição em voltar ao Brasil.

Outra missão do clube é se atualizar a respeito do desempenho do boliviano. Ele está livre de seu compromisso com o chinês Wuhan Zall. Ou seja, não é preciso pagar pelos direitos federativos.

Inicialmente, a análise é de que a contratação de Moreno seria financeiramente mais viável do que a de Diego Tardelli ou Vágner Love. Porém, o alvinegro mantém esses dois outros nomes na pauta. Tardelli é o mais cobiçado.

Moreno já disse a pessoas próximas que considera a possibilidade de retornar ao Brasil, contudo, ele tem ofertas da China e desperta o interesse de outros times brasileiros.

Conforme o blog apurou, a possibilidade de defender o Corinthians o agrada. O fato de o time paulista não estar na próxima Libertadores não é visto como problema. De seu futuro clube, ele espera força para disputar títulos.

Aos 31 anos, Moreno tem uma situação financeira confortável. Essa condição o faz estudar a possibilidade de ganhar no Brasil menos do que embolsaria na China.

Mas, como costuma acontecer com jogadores livres de contrato, ele vai exigir luvas generosas, já que o interessado não precisará pagar por seus direitos.

A exigência pode ser um fator complicador para o Corinthians, que está no mercado com poucos recursos. Por outro lado, há um aspecto positivo. Boa parte das luvas poderia ser diluída no salário. O parcelamento daria mais fôlego para os corintianos conseguirem o dinheiro. Seria também uma forma de “driblar” o teto salarial de R$ 400 mil estipulado pela direção. A quantia mensal superaria esse valor, mas, oficialmente, o montante excedente não seria considerado salário.

Há receio na diretoria de que a contratação de jogadores superando o teto salarial irrite atletas com mais tempo de casa. Jadson, por exemplo, aceitou renovar seu contrato recebendo menos para se enquadrar nessa política financeira.

A favor de Moreno está sua condição de atacante que ajuda na marcação, algo muito valorizado por Fábio Carille. Neste momento, ele também se encaixa no que o gerente de futebol corintiano, Alessandro Nunes, chama de oportunidade de mercado.

Já Tardelli, de 33 anos, tem sua contratação considerada como muito difícil, mas não impossível. Neste mês ele fica sem contrato com o Shandong Luneng e tem outras propostas estratosféricas para permanecer na China. Os corintianos avaliam ser difícil chegar a uma oferta que seduza o centroavante.

Por sua vez, Love, de 34 anos, tem contrato com o Besiktas até junho de 2020. Quem acompanha a situação indica que ele está insatisfeito no clube turco. Em tese isso poderia ajudar o Corinthians, mas ainda faltaria um acerto com o Besiktas.

A contratação de um centroavante é considerada prioritária pelos cartolas corintianos. Essa foi uma das posições mais carentes do elenco durante a última temporada.

Colaborou Diego Salgado, do UOL, em São Paulo

 

 

 

Corinthians prepara lista ‘turbinada’ de reforços para 2019

Leia o post original por Craque Neto

Olá amigos do Blog, não dá pra negar que o Corinthians fez uma péssima campanha no Brasileirão. Quer dizer, até começou bem a temporada sob o comando do técnico Fábio Carille, quando venceu o Paulistão desbancando o poderoso rival Palmeiras em pleno Allianz Parque. Mas nem o vice da Copa do Brasil convenceu depois. Ficou claro que a diretoria arrebentou com o desempenho do time após outro desmanche e a maionese azedou. Pra falar a verdade nunca vi o Timão perder tanto em toda minha vida. Algo incrível! Mas já fiquei sabendo que o Carille está bem pertinho de acertar […]

O post Corinthians prepara lista 'turbinada' de reforços para 2019 apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Teto de R$ 400 mil dificulta busca do Corinthians por centroavante

Leia o post original por Perrone

A decisão da diretoria do Corinthians de respeitar o teto salarial do clube tem dificultado a busca por um centroavante.

Segundo os dirigentes o salário máximo é de R$ 400 mil. Não está fácil encontrar um nome de peso que aceite essa quantia.

O caso de Diego Tardelli serve de exemplo. Os corintianos sondaram o jogador e ouviram que ele ganha atualmente na China R$ 1,5 milhão por mês. O clube brasileiro nem chegou a fazer uma oferta por entender que a diferença entre o que ele recebe e o teto alvinegro é insuperável.

Tardelli fica sem vínculo com o Shandong Luneng no final de dezembro.

O maior receio da diretoria é incomodar jogadores que têm tempo de casa como Cássio e Jadson,  se trouxerem alguém ganhando mais do que eles.

Jadson, por exemplo, aceitou diminuir seu salário ao renovar contrato para se enquadrar no teto.

Estourar o limite para solucionar a fragilidade do time no ataque colocaria em risco a harmonia do vestiário no entendimento da direção.

Na busca por um jogador de nível que aceite a política salarial cortintiana, a diretoria olha com carinho para outros países sul-americanos, onde avalia poder encontrar jogadores interessantes com salários viáveis.

O discurso é de que o escolhido não pode ser uma aposta, mas um atleta pronto para ocupar vaga no time titular.

 

Tardelli será esquecido por Dunga?

Leia o post original por Neto

Tardelli está prestes a se transferir para o futebol chinês em 2015

Artilheiro do Galo está prestes a se transferir para o futebol chinês em 2015

Ídolo e principal jogador do Atlético/MG em 2014, o atacante Diego Tardelli conquistou espaço na Seleção Brasileira após o vexame no Mundial e assumiu merecidamente a titularidade da camisa 9. O problema é que o jogador está com uma proposta quase irrecusável do futebol chinês e tem medo de perder espaço com a amarelinha. Tal receio teria feito até o jogador entrar em contato com o Dunga para falar sobre isso. O técnico deu o aval de que ele não será esquecido. Mas será mesmo?

Apesar do Tardelli ser um baita de um atacante pode ter certeza que nenhuma alma viva aqui do Brasil vai vê-lo fazer gols na China. Pra falar bem a verdade acho que nem o Dunga e muito menos sua comissão técnica. Nem passa por aqui. Quer dizer, claro que o técnico vai descolar um ou outro DVD gravado com os jogos dele. Tudo vai depender da sua boa vontade.

Na minha visão quando surgir um centroavante de nível se destacando no futebol brasileiro ou europeu pode passar na frente dele. Até pelo nível técnico de disputa.

Mas como o Dunga é um cara cabeça dura e correto com seus princípios é bem capaz de observar de longe o Tardelli. Agora eu ficaria com uma pulga atrás da orelha. Afinal ir para a China é garantia de sumiço. Não tem jeito.

Dunga encaixou seu novo quarteto

Leia o post original por Neto

Willian, Tardelli, Oscar e Neymar: o novo quarteto de Dunga

Willian, Tardelli, Oscar e Neymar: o novo quarteto de Dunga

É difícil tirar algo de tão positivo nesses amistosos caça-níqueis da Seleção Brasileira. Esse jogo contra a Turquia foi um verdadeiro passeio do time do Dunga. O placar de 4 a 0 ainda ficou barato para os gringos. Não à toa lá pelo meio da segunda etapa o treinador resolveu testar todo mundo que tinha no banco de reservas. De conclusivo o óbvio: Neymar é monstro! Marcou dois gols e segue caminhando para se tornar o maior artilheiro da história da camisa verde-amarela.

Mas o que fica claro para mim nesse início de trabalho pós-Copa é que o Dunga encontrou rapidamente um fio da meada. Ele já tem na cabeça um quarteto ofensivo que deverá trabalhar com mais frequência: Oscar, Willian, Neymar e Diego Tardelli. É verdade que os três primeiros estiveram no Mundial do Brasil. Mas Willian foi pouco utilizado e Diego Tardelli sequer foi lembrado por Felipão para o grupo dos 23. Mas esse quarteto se encaixa: o Oscar articula mais, enquanto Willian e Neymar são ofensivamente mais agudos. Já o Tardelli é um centroavante que sai da área, rápido e tem um baita poder de conclusão. Nesse amistoso entrou em campo o Luiz Adriano, que é o artilheiro da Liga dos Campeões pelo Schakhtar. Tem qualidade mas o titular do Dunga é o camisa 9 do Atlético/MG.

Pra esse início de planejamento tudo é válido. Mas a verdade é que o ano praticamente acabou e precisamos de amistosos contra equipes mais fortes para testar o esquema pra valer. Quanto antes tentarmos apagar o vexame do 7 a 1, melhor.

O “novo” Tardelli

Leia o post original por RicaPerrone

Poucas vezes vi uma estréia como a dele. Foi um São Paulo x Juventude se não me engano. Ele entrou, mudou o jogo, fez lances de efeito e nunca tinhamos ouvido falar dele na base.  Era uma surpresa fantástica ao torcedor que nos jogos seguintes já o pedia em campo, ele entrava e resolvia.

Durou pouco. Tardelli logo passou a titular e os gols foram sumindo, as noitadas aumentando, as polêmicas, a tentativa de vendê-lo até se desfazer do jogador por empréstimo. Foi, voltou, foi, voltou. Não rendia mais o esperado. Tardelli era mais uma promessa que não deu certo.

Passou pelo Flamengo, também não foi o promissor atacante que esperavam ter contratado. Até chegar no Galo e lá sim, pela primeira vez, conseguiu identificação com um clube, uma torcida e rendeu mais que o esperado. Chegou a seleção, mas não se manteve. Logo, sumiu de novo lá nas Arábias.

Com 28 anos, Tardelli voltou ao Galo. A única torcida do mundo que acreditava estar contratando um craque era a do Galo. Os outros todos tinham um Diego muito menor em mente. Mas eles bancaram, apoiaram, e um novo Tardelli apareceu.

Esse do Galo sai da área, cria, corre, pede a bola e não some. Usa a técnica na hora certa, não corre a toa, é muito mais maduro e merecedor até mesmo da vaga na seleção brasileira.  Talvez não seja aquele “9” nato, e talvez por isso tenha dado mais certo.

Me lembra Muller, que foi um craque acéfalo durante anos correndo e girando até ficar velho e, então, virar gênio.  Diego aprendeu uma forma de jogar que o beneficia. Inteligente, sem se colocar como “cabeceador”, nem como o poste que espera as bolas. Uma função quase de meia, quase de atacante, mas hoje moderna e importante.

Tardelli se reinventou a tempo. Eu diria que aos 44 do segundo tempo e, enfim, vingou a promessa de 2oo4.

Com quase 30, nem acho que seja “o cara” pra ser companheiro do Neymar daqui 4 anos. Terá 33, difícil manter o nível. Mas não impossível. Até porque aquele Diego que corria hoje pensa mais do que corre. E cérebro não envelhece aos 33.

Enfim, Tardelli! Aquele que esperei, acreditei, duvidei, detestei, confirmei e hoje vejo em campo parte do “craque” que imaginamos há 10 anos.

Que bom! Pra ele, pro Galo, pra nós!

abs,
RicaPerrone